sábado, 17 de março de 2007

A Alegria do Palhaço do Planalto

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Por Jorge Serrão

O circo dos horrores políticos tem tudo para queimar no infernal fogo amigo das disputas petistas. O presidente Lula da Silva conseguiu sofisticar o “mensalismo”. Invocando seus divinos poderes palacianos, cooptou uma base aliada. Distribuiu poder ao PMDB, que é mais governista de todos os partidos do mundo. O “dando que se recebe” se aplicou aos demais partidos da velha base aliada “companheira” do escândalo que quase derrubou seu governo passado. Até o PDT do falecido Leonel Brizola (barbaridade) foi cooptado em troca de um ministério. O problema é que desagradou ao PT, o Partido Príncipe, toda esta cooptação negociada pelo sindicalista de resultados duvidosos na Presidência. E os bolcheviques petistas já se rebelam internamente. O Campo majoritário vai virar praça de guerra.

Lula deu dois presentes de grego ao “amigo” José Dirceu de Oliveira e Silva, que ontem completou 61 verões. O primeiro foi a indicação de Tarso Genro, inimigo figadal do Zé, para o Ministério da Justiça. O segundo foi não entregar a Infraero aos aliados de Dirceu. O radical Tarso substitui o mais ardoroso fã da pequena notável Carmem Miranda. Que a exoneração de Thomaz Bastos tenha sido leve para a caneta que assina o Diário Oficial. O presidente fez questão de salientar que Bastos continuará sendo o seu advogado particular e que “quando deixar a Presidência vai precisar ainda mais da ajuda de um advogado”.

Além de ter ares proféticos, Lula nos brindou com suas tradicionais pérolas de comentários. "Se vocês pensam que é moleza ser ministro, vão ver que muitas vezes é difícil. Coisas que não apareciam na imprensa começam a aparecer e o salário é muito baixo". No genial entendimento de Lula, em razão da diferença entre os salários pagos pelo Estado e pela iniciativa privada, alguns ministros "pagam" para trabalhar no governo. "Quando fico vendo ministros que ganhavam muito bem vindo ganhar R$ 7 mil ou R$ 8 mil eu falo: são heróis. Alguns pagam para ser ministros. Essa é a pura verdade". Mas o comentário final foi ainda mais fantástico: "Sou o único que não posso reclamar do meu salário (R$ 8 mil), pois não tem nenhum torneiro mecânico ganhando isso".

Mas a mão de Dirceu vai pesar contra os homens mais próximos de Lula por um segundo motivo. Lula aceitou a indicação de Dirceu para nomear marta Suplicy para o Ministério do Turismo. Só que não fez tudo que o Poderoso Zé queria. Não dará a Marta poderes para mexer na Infraero. O presidente Lula alegou que não pode tirar a Infraero do Ministério da Defesa neste momento, pois ela está sendo alvo de uma investigação. Pelo mesmo motivo, não poderá ser criada agora a Secretaria de Portos e Aeroportos. Assim, não saiu do chão o plano de Dirceu para pilotar o setor aéreo, como eminência parda.

Por isso, surge uma dor de cabeça pior que a de uma bruta ressaca para Lula. Contrariado, Dirceu arranja briga com a própria sombra. Nada custa lembrar que foi a intempestividade dele que gerou a guerra quase sem fim com Roberto Jefferson. O conflito fez vir à tona, do mar de lama governamental, o quase tsunami do Mensalão. Sorte de Lula que a impunidade generalizada transformou a onda gigante em marola. Do contrário, seu primeiro mandato não teria chegado ao fim. Fernando Collor caiu por muito menos. Mas, naquela época, o PT era o partido que tinha a vã pretensão de ter o monopólio da ética e da virtude. Bastou chegar ao poder para comprovar que o partido era “mais ruim” que os piores partidos que pensávamos existir no Brasil.

Lula já sabe que seu maior inimigo, hoje, é o fogo amigo que vem de dentro do PT. O problema, agora, atinge as raias da dialética luliana. Resta saber se a alegria do Palhaço do Planalto é ver o circo pegar fogo. Ou se a alegria do Circo é ver o palhaço sair queimado do poder que imagina ter. Enquanto não se chega a uma conclusão sobre tal dilema, a sorte do governo é que o povo brasileiro se diverte com o pão e o circo dados pela classe política que faz o jogo de quem estiver no picadeiro do poder palaciano.

Uma coisa é certa. Um incêndio dentro do circo é o maior risco para a sobrevivência dos palhaços no poder.

Jorge Serrão, jornalista radialista e publicitário, é Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. http://alertatotal.blogspot.com/ e http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

2 comentários:

Anônimo disse...

A patologia do etanol no comportamento de Luiz Inácio da Silva
17 de março de 2007


Do Observatório de Inteligência


Análise acurada e profunda da saúde de Luiz Inácio da Silva revela um quadro bastante preocupante, sobretudo pelos sintomas bastante visíveis de quem sofre dos males etílicos, percebidos pelos seus colaboradores mais próximos que tecem observações a terceiros, fato este de discreto conhecimento da mídia. Segundo especialistas no assunto, qualquer pessoa pode ser vítima da patologia: homens e mulheres, ricos e pobres, analfabetos e intelectuais, brancos e negros, descrentes e religiosos, jovens e velhos, gente “boa” e gente “ruim”, inclusive presidentes.


São gritantes as manifestações do alcoolismo no comportamento do presidente da República. Síndrome de Deus, megalomania, delírios de grandeza combinam-se perfeitamente bem nesta personalidade doentia. Exemplos típicos desta combinação estão no uso de superlativos e da primeira pessoa, do tipo "Eu faço como e quando quiser", "Como nunca se viu neste país", "Estou convencido" e outros.


Mentir compulsivamente é outra característica da patologia, o doente mente para evitar críticas, para tentar salvar seu valor ou seu cargo, para que se transforme em sua própria verdade. Costuma andar sempre nervoso, culpando os outros pelo seu estado. Bebe em ocasiões importantes, antes de entrevistas ou situações que envolvem platéia.


Basta observar as aparições em público do Chefe da Nação. Atos falhos, comprometimento dos reflexos, perda das inibições sociais, comportamento expansivo - muitas vezes inadequado ao ambiente, emotividade exagerada, alteração da capacidade cognitiva, distúrbios de realidade, dificuldade crescente para a articulação da palavra, falta de coordenação motora, movimentos vagarosos ou irregulares dos olhos, visão dupla, rubor facial e taquicardia são outros sintomas que se pode detectar em seus pronunciamentos e falas. O pensamento fica desconexo e a percepção da realidade se desorganiza.


O alcoolismo prejudica, ainda, os aspectos da função sexual masculina, em especial a ereção, objeto de investigação clínica constante. Não foi por acaso a citação do Ponto G, durante a coletiva por ocasião da vinda de Bush ao Brasil. O fato denota preocupação do presidente da República com alguma disfunção glandular, dada a compulsão a falar insistentemente no assunto. É a lei da compensação. Talvez a primeira dama pudesse se aconselhar com a futura ministra sexóloga Marta Suplicy e tê-la como fiel psicoterapeuta familiar. (OI/Brasil acima de tudo)

Bagli&Blog disse...

Prezado Jorge Serrão, boa tarde.

Eu disse: o Circo de Moscou já está aí. E uma das coisas mais importantes para um porco marxistas...é ver o circo pegar fogo, você sabe.

Prezado público, todos estão convidados para o show.

A entrada é franca, só não há saída...(para o Brasil e sua gente ignorante, covarde e omissa).

Parabéns pela lucidez.


P.S.: Estou tentando enviar o release com o link daquela nota, mas seu e-mail sempre retorna com erro. Já está tudo online, mas pela segunda vez, a mensagem retornou com erro.