sábado, 19 de maio de 2007

Oportunismo e Miopia

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

Vivemos bombardeados de forma inapelável pelos meios de comunicação, com a informação de que a situação econômica internacional está muito boa e que “os indicadores” registram cenário só comparável aos que se observam no paraíso.

Como se os que vivem mergulhados na miséria crônica passem fome e necessidade tão somente por teimosia. Ou, talvez, por não reconhecerem as maravilhas do capitalismo, na “oferenda” de oportunidades incomparáveis aos que acreditam no espírito de liberdade que só um “Estado de Direito” como o nosso é capaz de propiciar.

Vivemos num planeta com mais de seis bilhões de pessoas, reproduzindo-se numa velocidade tão grande quanto à do preá do mato. Mais de um terço desse total não tem acesso às possibilidades do mundo moderno, amontoando-se nas ruas, favelas e cortiços.

A maioria dos “aproveitados” dentro desse modelo serve apenas como força de trabalho na acumulação desumana de riquezas que beneficiam reduzida parcela. Quanto mais rico o país, maior a opressão e maior o domínio exercido pelo grupo político-administrativo que controla os seus recursos.

No plano mundial, repete-se o cenário: os países mais industrializados e com alto potencial bélico saqueiam os ditos emergentes e transferem seus recursos naturais para as suas indústrias, devolvendo manufaturados que custam dezenas e até centenas de vezes mais caro do que o preço original.

Para que a coisa funcione com ar de igualdade, os países explorados devem contar com um sistema organizado de poderes equivalente aos dos países exploradores, com Câmaras Municipais, Assembléias Legislativas, Congresso Nacional, Judiciário e Executivo. Tudo no mais perfeito aspecto de legalidade.

A idéia disseminada é a de que os cidadãos desfrutam dos mesmos direitos (“todos são iguais perante a lei”), embora, como na frase de George Orwell, saibamos que uns são mais iguais do que outros.

E como nada funciona (num país meramente de fancaria), seu Poder Legislativo passa a discutir tamanho de mandato presidencial, votação para a eleição de listas nominais, reeleição, etc., nada que diga respeito às necessidades do dia-a-dia.

Enquanto isso, jornalistas considerados de primeira linha falam dos “bons fundamentos econômicos”, sem tomar conhecimento da mobilização da maioria de miseráveis, através dos mais de cem mil homicídios que se registram anualmente.

No cerne administrativo, “respeitáveis” congressistas sequer questionam determinação constitucional obrigando a realização de auditoria para saber a quantas anda a impagável dívida externa. E a sangria de minérios e de empresas estatais continua a empobrecer um país que já foi muitas vezes considerado “do futuro”.

É ignorância ou má-fé difundir a existência de “favorável panorama econômico internacional”. Como fechar os olhos a invasões armadas e sangrentas, tais como as exercidas pelos EUA no Afeganistão e Iraque, com o intuito único de se apropriar dos mananciais de petróleo e áreas estratégicas da Região?

No Brasil, temos o agravamento de situação de guerra civil não declarada, com helicópteros que agora se vêem obrigados a desviar de certas áreas no Rio de Janeiro, ameaçados de serem derrubados pelos traficantes.

O exercício de liderança exige a capacidade de certa previsão dos fatos, para que se apliquem medidas preventivas na correção de rumos. A maioria dos nossos dirigentes só consegue enxergar o que se encontra um palmo adiante do nariz. Às vezes, nem isso.

Márcio Accioly é Jornalista.

2 comentários:

Anônimo disse...

Márcio , eu te admiro e fico ao mesmo tempo indignado ao ver que pessoas como vc e o Jorge, falam para um vazio, pq o Brasil não quer ouvir, o brasileiro está estagnado e imune a verdade.
Estou de luto por um país que era a esperança do futuro, o "celeiro do mundo"....hahahahahahahahaha...
o MST já acabou com esta esperança e o dolar Ireal, acabou com o resto!

JOSÉ disse...

Boa noite Márcio.
Não desanime, pois estamos assistindo a OMISSÃO CRIMINOSA do nosso povo, que está preocupado em TER, esquecendo o SER. Estão colhendo a semeadura que fizeram!
Quando era criança, escutava minha mãe falar que “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”! Continue lutando. Você e o Serrão!
Sempre tomo a liberdade de espalhar os inteligentes artigos deste blog, que congrega figuras EXPONENCIAIS, como Serrão, você e tantos outros da mesma estirpe.
Com tantos APEDEUTAS, liderados pelo ALCAIDE APEDEUTAR MOR desse país, vai ser difícil, mas não impossível, “acordar” a turma do “deixa prá lá, não adianta”.
Finalizo com um pensamento de Charles Chaplin:
"Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, pois o triunfo pertence a quem mais se atreve. E a vida é muito para ser insignificante."