quinta-feira, 27 de setembro de 2007

PT fecha com Renan para abrir CPI que investiga venda da TVA para a Telefônica, mas caso atrapalha Lulinha

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

A defesa intransigente do aliado Renan Calheiros vai custar novos ataques pesados a Lula da Silva e a pessoas muito próximas ao presidente. A revista Veja será obrigada a soltar, nas próximas edições, o arsenal de denúncias mais pesadas que tem estrategicamente guardado, para usar na hora mais conveniente. Tal momento chegou, depois que a Executiva Nacional do PT resolveu apoiar a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a venda da TVA, do Grupo Abril, para a transnacional espanhola Telefônica.

A CPI interessa diretamente a Renan Calheiros – que deseja desviar o foco das denúncias que a Veja faz contra ele. Mas a CPI, atrapalhando os negócios da Telefônica, não interessa ao primeiro-filho Fábio Luiz da Silva. Lulinha tem interesse em fechar uma parceria com a transnacional espanhola para ampliar sua PlayTV (canal que arrendou do Grupo Bandeirantes de Comunicação). O projeto dele e de seus sócios da Gamecorp é criar uma rede nacional de emissoras com a base de apoio da operadora de telefonia. Tal negócio é encarado com antipatia pelas grandes redes de televisão, principalmente a Globo, que não aceita a concorrência das teles no mercado televisivo. A briga promete muita baixaria nos seus próximos capítulos.

A tal CPI, desejada por Renan e já apoiada pelo PT, quer investigar se a transação entre a Abril e a Telefônica fere ou não a lei que estabelece em 49% o limite de capital estrangeiro numa empresa de TV a cabo. O caso já é motivo de fofoca na Câmara. Desde agosto, quando Renan Calheiros lançou suas suspeitas sobre o negócio, revelando que foi criada até uma empresa laranja para tocar o empreendimento de comunicação, a Abril teria soltado seus lobistas no Congresso para evitar a abertura da CPI.

Alguns deputados admitem que foram que foram abordados por representantes da editora e pressionados para retirar suas assinaturas do requerimento de abertura da comissão. Até petistas afirmaram que receberam orientação – supostamente do Planalto – para retirar seus nomes da CPI, mas não cumpriram “a tal recomendação”.

Um Relatório do conselheiro-diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Plínio Aguiar Júnior, informou que o Grupo Abril e a Telefônica infringiram a lei brasileira assinando um Acordo de Acionistas pelo qual as deliberações do Conselho de Administração e da Assembléia Geral dependerão de uma “reunião prévia” na qual participam e votam todos os acionistas, inclusive os que possuem as ações que não dão direito a voto. Ou seja, na prática, a Telefônica assumiu o controle da TVA.

O duro ataque de Renan

No dia 4 de setembro, Renan Calheiros resolveu chutar o balde contra a Editora abril.

Além do caso da venda da TVA para a Telefônica, Renan denunciou um suposto negócio escuso na venda das ações da empresa para a empresa sul-africana Nasper:

“A revista Veja que diz que “apura e denuncia tudo que prejudica o Brasil e os brasileiros”, precisa urgentemente publicar a venda das ações da Editora Abril para empresa sul-africana Nasper, conglomerado de comunicação racista que sustentou o “apartheid” na África do Sul e que cedeu três de seus diretores para dirigir a África do Sul segregacionista. Mas este é o aspecto imoral e repulsivo da questão. O mais grave é o caráter marginal montado na operação que já foi denunciada em diversas reportagens da Rede Bandeirantes de Televisão e da Revista Caros Amigos. É uma montagem fraudulenta com empresas fantasmas, laranjas e lavanderias para concretizar um negócio pantanoso, asqueroso”.

"A Naspers tem aqui dentro, apenas no papel, uma empresa chamada MIH Brasil Participações, que funciona na Holanda. O CNPJ da MIH Brasil, vou ler devagar para aqueles que se interessam por “tudo que prejudica o Brasil e os Brasileiros”; o CNPJ da MIH é 72.091.963/0001-77. Só que a MIH é uma empresa fantasma, isso mesmo, fantasma. O endereço declarado é fictício e este CNPJ pertence à Curundéia Participações Limitada. A Curundéia também não tem sede, não tem funcionários e os endereços e telefones apresentados pela Curundéia são de outras pessoas ou estão em endereços inexistentes. A Curundéia é virtual, não existe, só existe no papel”.”

"Agora pasmem Senhoras e Senhores. Foi este laranjal de empresas inexistentes, com CNPJ duplicados, com endereços fictícios, sem sede, sem funcionários, que adquiriu 30% da Editora Abril. Um negócio que movimentou em torno de 900 milhões de reais. A MIH Brasil Participações não existe, o que existe, e só no papel é a Curundéia e esta desembolsou R$ 380 milhões de reais para comprar 30% da Editora Abril”.

"O capital social da Curundéia é de apenas 878 mil reais. Isso significa que para concretizar o malcheiroso negócio, a Curundéia gastou 430 vezes mais do que seu capital Social na compra sorrateira de 30% da patriótica editora Abril. Mas por qual motivo recorrer a tantos “laranjas”, tantos porões infectos, tantos negócios furtivos? Simples. Sendo a Curundéia uma empresa nacional, mesmo só no papel, pode comprar além dos 30% das ações permitidas pela Lei brasileira”.

Coleguinhas do poder

A jornalista Tereza Cruvinel será a presidente da Empresa Brasil de Comunicação, a rede pública de TV que o governo Luiz Inácio Lula da Silva pretende lançar em dezembro.

Cruvinel é a principal colunista de política do jornal "O Globo", onde trabalha há mais de 20 anos. Também faz comentários na Globonews.

Ela foi convidada pelo ministro da Secom (Secretaria de Comunicação Social), Franklin Martins, que também pertenceu à Rede Globo.

Noite de estrela televisiva

O Chefão Lula da Silva será recebido hoje, com toda majestade, no Teatro Record, na Barra Funda.

Exatamente às 20 horas, Lula apertará o botão para dar início às transmissões do canal jornalístico 24 horas Record News, e deve fazer um rápido discurso.

Os céus indicam que o Bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus e principal investidor-acionista da nova emissora, estará presente para abençoar abundantemente o momento histórico.

Cortesia

O novo canal começa com uma cortesia ao todo poderoso do Palácio do Planalto.

O Record News Brasil levará ao ar uma entrevista com Lula, feita em Brasília.

O primeiro programa da emissora será ancorado pelo jornalista Eduardo Ribeiro.

Record roubada

Espertalhões da Internet tentam tomar uma grana da Rede Record.

Eles registraram, previamente, o endereço eletrônico http://www.recordnews.com.br/

Quem consultá-lo vai ver escrito: “O domínio está sendo oferecido para venda”.

Apelação

O departamento jurídico da Record foi acionado ao saber que o endereço eletrônico não poderia ser usado pela nova emissora.

Por isso, a Record News teve de apelar para um endereço meio chato de decorar: http://www.recnews.com.br/

A partir de agora, todos os todos os programas e telejornais que forem ao ar no Record News e na Record estarão disponíveis, uma hora depois da exibição, neste media center virtual.

Maçonaria pela Amazônia

A Maçonaria brasileira resolveu entrar pesada na briga pela soberania brasileira sobre a Amazônia.

Criado há um ano, o programa “Amazônia: Soberania Nacional” realizado pelo Grande Oriente do Brasil pretende atingir todo o território nacional através da divulgação do vídeo institucional produzido pela TV GOB.

O material será repassado a todas as 2.381 Lojas Maçônicas do Brasil.

Sessões nada secretas

As Lojas Maçônicas devem realizar durante o mês de novembro uma Sessão Pública tendo como assunto principal a Amazônia.

O enfoque da reunião aberta ao público será a preservação do território, defesa de suas fronteiras, desenvolvimento sustentável, cobiça internacional, atuação de organizações não governamentais, exploração indevida de riquezas da fauna, flora e subsolo, entre outros.

O objetivo é mostrar ao grande público o envolvimento e preocupação da Ordem Maçônica com o futuro da região Amazônica.

Sem colaboração

Oficiais que participaram da caçada aos guerrilheiros do PC do B no Araguaia se recusam a colaborar com o governo Lula na localização dos restos mortais dos 58 ativistas que desapareceram entre 1972 e 1975 – conforme manda decisão da juíza da 1ª Vara Federal, Solange Salgado, que mandou investigar em 120 dias o paradeiro dos guerrilheiros desaparecidos no Araguaia.

Os militares pensam em entrar com um mandado de segurança preventivo, alegando que, na época, cumpriram uma missão pelas Forças Armadas na região, simplesmente obedecendo a ordens superiores.

Pretendem invocar o princípio lançado pelo ex-ministro do Exército Walter Pires (na gestão do general-presidente João Figueiredo), segundo o qual “militar que cumpre missão não deve satisfação a mais ninguém além de seus superiores e à sua consciência. Se chamá-los a depor e a julgamentos tem que botar os safados lá também. Desde de os que mataram Calabar, Tiradentes, os Indios, os Negros e outros. Palhaçada por dinheiro para advogados. Ninguém sentará nos bancos dos réus".

Outro mandado

A outra hipótese para os militares é entrar com um outro mandado de segurança contra uma eventual convocação do Exército para prestar depoimento.

Mas, dificilmente, o Alto Comando do Exército vai convocar algum oficial hoje na reserva para depor.

Embora esse seja o desejo da cúpula do governo e do ministro da Defesa.

De acordo com Nelson Jobim, a sentença judicial determinando a tomada de depoimentos de oficiais ligados à repressão no Araguaia será cumprida.

Terra de corruptos

No momento em que o governo do presidente Lula da Silva enfrenta uma série de denúncias de corrupção, a organização Transparência Internacional divulgou um relatório que melhora a nota do País em relação ao combate ao problema.

De 3,3 no ano passado - o pior nível histórico do Brasil - a nota do Brasil subiu para 3,5 neste ano, na medição anual da ONG, que vai de zero a dez.

Não dá para comemorar tais números porque a pesquisa ocorreu antes de episódios como a decisão de processar os acusados pelo mensalão e a absolvição do senador Renan Calheiros no Congresso Nacional.

Um pouco mais corrupto

No ranking geral dos países com mais corrupção, o Brasil subiu de 70ª para 72ª posição.

Mas a pequena mudança reflete a entrada de novos países na pesquisa.

Foi a primeira vez que a nota de combate a corrupção subiu um pouquinho no governo Lula.

Leia o artigo: Inocentes e Pecadores

Apoio ao Walfrido

O porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baumbach, jurou ontem que o ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, tem a confiança do presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

O ministro tem a confiança do presidente, da mesma forma que tinha antes desse episódio. Então, no que diz respeito ao presidente, a situação do ministro não se modificou”.

O porta-voz de Lula só foi evasivo ao responder se Walfrido permanecerá ou não no governo.

Vôo dos abutres

Apesar de terem ido ao Palácio do Planalto, na noite de terça-feira, prestar solidariedade a Walfrido, líderes governistas disputam o cargo feito abutres.

Eles defendem o nome do líder do governo, deputado José Múcio Monteiro (PTB-PE), para a função, caso Walfrido caia.

A base aliada ficou possessa com a candidatura precoce do vice-líder do governo, Henrique Fontana (PT-RS) à eventual vaga de Walfrido - caso seja denunciado pelo MP no caso do mensalão mineiro e seja obrigado a se afastar do governo para preparar a defesa.

Tucanos se comendo

Acusado de ter inventado o esquema do mensalão em Minas Gerais e irritado com a "falta de apoio" dos companheiros para evitar que seja denunciado ao STF, o senador Eduardo Azeredo deflagrou uma crise no PSDB.

Declarou que o valerioduto também irrigou outras campanhas tucanas, incluindo a da reeleição de Fernando Henrique Cardoso.

Cardeais tucanos, indignados, chamaram-no ontem de "mau-caráter".

No plenário do Congresso, o presidente do PSDB, Tasso Jereissati, exigiu que Azeredo se retratasse, mas o ex-governador não o fez.

Sem longo prazo

Comandado pelo PMDB e pelo presidente da Casa, Renan Calheiros, o Senado derrubou a Medida Provisória 377, que criava a estrutura da Secretaria de Planejamento de Longo Prazo, ocupada por Mangabeira Unger.

A derrota teve amplo placar: 46 a 22.

Com a rejeição, ficam extintos os 83 cargos vinculados à secretaria de Mangabeira e mais 660 postos comissionados da esfera federal.

Uma comissão terá agora que elaborar um decreto legislativo para tentar solucionar o problema.

Contra o trabalho escravo

Quem pensa que a escravidão foi extinta no Brasil pela princesa Izabel em 13 de maio de 1888 está muito enganado.

O Ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, entregou aos senador José Nery, presidente da Subcomissão Temporária do Trabalho Escravo, os 18 volumes do relatório da ação do Grupo Especial de Fiscalização Móvel do Trabalho Escravo na Fazenda Pagrisa.

O trabalho foi realizado no mês de julho, no estado do Pará.

Nudez só castiga o jornal?

A apresentadora Xuxa Meneghel deve ganhar uma bolada do jornal O Dia.

O juiz Leandro Ribeiro da Silva, da 41ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou que o jornal pague R$ 1,5 milhão à apresentadora, a título de indenização por danos morais e materiais.

Em julho de 2002 a publicação estampou em sua capa foto de Xuxa semi-nua, retirada de uma revista na qual ela posou nua da década de 80, para anunciar que um exemplar desta mesma edição estava sendo leiloado numa livraria do Centro do Rio.

Jornal vai recorrer

O Dia vai recorrer da decisão publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial.

Na ação, Xuxa "alegou que tem família e uma filha de 4 anos de idade (hoje Sasha tem 9) e não gostaria que essa primeira fase de sua carreira artística voltasse à tona".

Ainda em juízo, ela "também afirmou que desde que assumiu o comando de programas infantis nunca mais fez fotografias de nudez".

O advogado de Xuxa, Maurício Lopes de Oliveira, informa que a indenização será destinada integralmente à Fundação Xuxa Meneghel, de assistência a crianças carentes, por decisão da artista.

Indústria da indenização

A ex-estudante de Direito Suzane Louise Von Richthofen, condenada a 39 anos e 6 meses pelo assassinato dos pais, processa o Governo do Estado de São Paulo por danos morais e materiais.

Em duas ações judiciais, ela pede indenizações de R$ 950 mil.

Na primeira, ela alega ter sofrido ameaça de morte e passado fome durante uma rebelião em agosto de 2004, no Carandiru, zona norte de São Paulo.

Na segunda argumenta ter sido obrigada pela diretora-geral de um presídio no interior a dar entrevista coletiva.

Patricinha do PDT

A senadora Patrícia Saboya deixou o PSB e vai se filiar ao PDT.

Patrícia Saboya decidiu sair do partido porque PSB vai apoiar a candidatura à reeleição da prefeita petista de Fortaleza, Luizianne Lins.

A decisão da ex-mulher de Ciro Gomes foi tomada na de ontem, depois de uma reunião da senadora com o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, e o presidente do PSB no Ceará, Sérgio Novais.

Vistam a carapuça

Frase do jornalista Pedro Porfírio que serve para muita gente boa do nosso mundo político:

Tentar sobreviver só com o ônus do poder é mais do que temerário: beira ao suicídio político”.

Voto eletrônico

Até sábado, acontece na cidade de Monterey no México, o V Colóquio Internacional sobre Votación Electrónica.

Representando o Brasil participam de debates os professores Pedro Rezende da UnB (hoje) e José Rodrigues Filho da Universidade Federal da Paraíba (amanhã).

O tema só é tabu para ser discutido no Brasil.

Duas visões

O professor Rezende costuma abordar a questão do voto eletrônico pelo lado da segurança e confiabilidade técnica.

Já o professor Rodrigues costuma ressaltar o problema sócio-econômico questionando se todo investimento em voto eletrônico seria justificado.

Embora haja algumas diferenças em suas abordagens, ambos defendem que o voto eletrônico no Brasil deveria ser discutido e tratado com muito mais seriedade do que simplesmente se implantar um sistema no qual a sociedade tenha que ter confiança cega e cujo resultado não pode ser conferido.

Mais detalhes estão em: http://votobit.org.mx/

Esperança para a turma da Varig

Os fundo de pensão Aerus (Varig e Transbrasil) e o Aeros (Vasp) podem ser salvos da quebradeira.

O agravo do Ministério Público contra a ação de defasagem tarifária da Varig foi mais uma vez negado, por unanimidade, pelo Superior Tribunal de Justiça.

A ação de defasagem tarifária foi dada em garantia à dívida da Varig com o fundo de pensão Aerus, passivo trabalhista, entre outros créditos.

A indenização é referente ao congelamento das tarifas aéreas durante o governo Sarney. Em 1992, o montante chegava a R$ 3 bilhões.

Crédito Carbono

O banco holandês Fortis Bank NV/SA desembolsou R$ 34 milhões pelo lote de 808.450 créditos de carbono colocados em negociação ontem pela Prefeitura de São Paulo na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F).

O leilão foi o primeiro de créditos de carbono do mundo realizado no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) instituído pelo Protocolo de Kyoto.

Pelo documento, países desenvolvidos, além de se comprometerem com metas internas de redução de gases poluentes, têm condições de comprar crédito de carbono gerado por países em desenvolvimento: quem polui menos acumula créditos e pode vender para os países que não conseguem reduzir a emissão dos gases.

Acredite se quiser

O Fortis Bank pagou € 16,20 por tonelada de carbono equivalente.

Foi 27,5% a mais do que o valor mínimo da abertura do leilão.

Os créditos leiloados nesta quarta-feira são do Aterro Sanitário Bandeirantes, em Perus, na Zona Norte de São Paulo, e equivalem à quantidade de despoluição que o aterro conseguiu ao canalizar gases tóxicos antes de serem jogados na atmosfera.

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura de São Paulo, o valor arrecadado será integralmente aplicado na melhoria sócio-ambiental na região de Perus e Pirituba, na Zona Norte.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

2 comentários:

Luiz disse...

Apenas uma retificação a bem da verdade. Na notícia: "Esperança para a turma da Varig" a ação ganha pela VARIG poderá e vai beneficiar apenas aos ex-funcionários da VARIG e do fundo de Pensão AERUS plano I e II da própria VARIG, infelizmente os colegas da TRANSBRASIL E VASP não estarão entre os beneficiados.

Anônimo disse...

"Movimento “Fora Lula”. Uma voz para o Brasil: dia 29 de setembro de 2007, uma data que pode ser histórica! Participem conosco!

http://www.cavaleiroconde.blogspot.com/