quarta-feira, 31 de outubro de 2007

O povo é tratado como boiada

Edição de Artigos de Quarta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

Uma das torturas mais cruéis, dentre as praticadas por órgãos de repressão ao terrorismo no mundo, consiste em colocar o sujeito sentado, um dos braços algemados ao fundo de caldeirão ao lado, cheio de água que vai aos poucos sendo fervida.

Esse tipo de suplício, se praticado pelo Estado, é admissível. Se praticado pelo outro lado, por revolucionários, é ato de desumanidade. Na realidade, os dois lados estão irmanados na tarefa de mutilar semelhantes, respaldados em argumentos filosóficos e/ou religiosos. O melhor lado, segundo sádicos e loucos, é o que irá ganhar.

Mas ganhar o quê? Os EUA estão descobrindo que já não conseguem submeter determinados países (mesmo invadindo militarmente para mutilar velhos, mulheres e crianças), no massacre de populações civis. O caso do Iraque é exemplar.

Na terça-feira (30), os registros indicavam a morte de 3.842 militares norte-americanos, com baixa estimada de quase 85 mil civis. Mas não existem números precisos a respeito dos civis mortos, até porque o general Tommy Franks (que liderou a invasão do Iraque em 2003 e a derrubada de Saddam Hussein), declarou:

“-Nós não contamos corpos.”

Os EUA juram defender os chamados valores democráticos, garantindo a paz no mundo. Não admitem a prática de tortura, embora se saiba que têm levados prisioneiros para países onde não existam restrições ao massacre físico e psicológico.

Há pouco tempo, da prisão de Abu Ghraib e da de Guantánamo, emergiram dezenas de fotos de prisioneiros cruelmente martirizados, amontoados em pilhas ou sendo mordidos por cães (inclusive nos órgãos genitais), para deleite de jovens soldados norte-americanos (homens e mulheres).

À época, o secretário de Estado dos EUA, Donald Rumsfeld, assegurou não ser essa uma prática normal, embora tenha vindo à tona, algum tempo depois, documento no qual ele próprio autorizava a tortura.

Mas tomou-se imediata providência: ficou proibido o ingresso de aparelhos celulares e máquinas fotográficas naquelas prisões, asseverando-se o fim dos atos criminosos pelo simples fato de deixar de exibi-los.

No Iraque não é como no Brasil, onde os EUA dominam com a aquiescência dos dirigentes de plantão, levando nossas matérias-primas a preço de banana e controlando nosso mercado financeiro através de prestimosos serviçais.

A guerra iraquiana já está ultrapassando o custo de dois trilhões de dólares! Valor que de alguma maneira terá de ser pago. Em sua maior parte, com o sacrifício e o suor da população brasileira, através do gerenciamento de dívida externa que se tornou eterna e jamais será saldada.

Essas questões de imensurável importância ficam bem claras, no instante em que o presidente da República e comitiva de políticos vão à Suíça louvar o fato de o Brasil ser escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2014. Como se fosse este o principal problema que enfrentamos.

Num país onde não existem estradas, os hospitais estão à míngua e a violência ultrapassa com freqüência à marca iraquiana de mortos (na sua resistência), eis que o circo continua a pleno vapor.

E a Rede Globo irá torcer por confronto direto com o Uruguai, para vingar a derrota na Copa de 1950, episódio que só os inteiramente vidiotizados ainda suportam discutir. Como é que se conseguirá formar uma nação com tanta estupidez e desinformação? É postura tresloucada, nas 24 horas do dia, num país despreocupado.

Márcio Accioly é Jornalista.

5 comentários:

Anônimo disse...

Porque será que os brasileiros tem tanto ódio e se metem tanto em assuntos dos EUA que não lhes dizem respeito?Fica fácil entender INVEJA - o americano é MUITO invejado MUITO.

BRAGA disse...

Desculpe anônimo. Mas inveja de que?
O povo é mais alienado que nós. Sempre usaram da truculência e o poder militar para impor a sua vontade. São fragéis e incompententes, vide o caso das torres gêmeas, pentágono, etc.
A maior parte da população sem perspectivas de futuro (veja o filme Embalos de sábado a noite, que continua atual).
A rede Globo nos empulha e empurra toda sorte de “campanhas”(Natal, Carnaval, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, e por aí vai.) para nos tirar do “foco”. Lá todas as redes fazem isso.
Torno a perguntar: INVEJA DE QUE?
Braga.

Anônimo disse...

Mais um blog esquerdista para ignorar! Que pena...

Alerta Total disse...

Toda ideologia é uma forma de dominação. Pense nisso, antes de praticar rotulagens ideológicas imprecisas e indevidas. O Alerta Total não pratica dogmas. Pratica jornalismo e dá liberdade de expressão a todos que quiserem se expressar.

Anônimo disse...

Avante Brasiu varonil...e tome pao e circo e dinheiro de obras superfaturadas pra enriquecer a canalhada.