sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Fernandinho Beira-Mar e a Presidência da República

Edição de Artigos de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

Na ausência do Estado (e na desmoralização das instituições nacionais), cresce a força da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), como seria de se esperar. Ela começa a ocupar espaço vital, no vácuo deixado pela desordem.

Matéria assinada pelo jornalista Chico Siqueira, publicada domingo (17), no Estado de S. Paulo, revela que o PCC “faz cada vez mais o papel de Justiça e polícia em periferias de cidades paulistas”. Ali, é dito que existem até “tribunais paralelos” julgando “pequenas causas”.

Os elementos que alimentam e fortalecem tal organismo são encontrados todos os dias no noticiário político do país. São gerados na roubalheira indiscriminada, na impunidade que se alastra de forma assustadora e no sentimento de insegurança que atemoriza cidadãs e cidadãos.
Dois dias depois de noticiarem a ampliação da ação do PCC, os meios de comunicação divulgaram um outro acontecimento emblemático na ilustração de tal cenário. É preciso que se dê devida atenção para evitar surpresa desagradável.

Rogério Buratti, ex-secretário de governo do então prefeito de Ribeirão Preto, Antônio Palocci Filho (PT-SP), retirou todas as acusações contra ele efetuadas, em 2005 (quando Palocci era ministro da Fazenda), em depoimentos prestados à CPI dos Bingos e a seis promotores de Justiça e um delegado de polícia graduado.

Buratti havia sido favorecido num acordo de delação premiada (depois de ter sido preso), mas agora alega que assumiu o papel de acusador “sob coação”. Apesar do recuo, o esquema denunciado por Buratti, segundo o delegado seccional de Ribeirão Preto, Benedito Antônio Valencise, foi “fundamental” para entender as fraudes.

A apuração está concentrada nas gestões de Palocci (hoje deputado federal), como prefeito de Ribeirão Preto. Na primeira delas (1993-97), o então prefeito teria recebido R$ 50 mil mensais, durante dois anos, da empresa Leão & Leão.

Em 1999, Buratti assumiu a vice-presidência daquela empresa, a qual se tornou a maior financiadora da segunda campanha eleitoral vitoriosa de Palocci à mesma Prefeitura. Este renunciou ao mandato (2002), um ano e meses depois de tomar posse, para assumir a coordenação da campanha presidencial de Dom Luiz Inácio (PT).

Aguarda-se, na seqüência, o desdobramento do caso nas providências legais que deverão ser tomadas diante da atitude de Buratti. Ele mentiu na primeira vez, ou está mentindo agora ao desdizer juramento anterior? Que palhaçada é essa, afinal? E a comprovação dos fatos denunciados, segundo o delegado Valencise?

Num país sério, alguém teria de ser punido. Os homens públicos flagrados em casos escabrosos como esse, seriam afastados de forma definitiva da vida pública. Não teriam condições de assumir a gerência dos recursos financeiros da população.

Um querido amigo recifense, dos tempos de universidade, costuma desenvolver teoria segundo a qual a Presidência da República deverá ser ocupada, dentro de alguns anos, por figura similar à de Fernandinho Beira-Mar.

Argumenta que, diante das frustrações no nosso sistema institucional, a população fatalmente irá apelar a organização capaz de estabelecer padrão de referência, por mais brutal que seja. O cansaço já é visível em face de tanta insegurança.

Nossos “dirigentes” navegam ao largo da deterioração exibida. Mas os recentes acontecimentos levantam a ponta de iceberg que se enraíza em setores deliberadamente excluídos do quadro formal. A mudança a ser promovida exige verdadeira revolução. O problema é desalojar criminosos que se refestelam alegremente no Estado.

Márcio Accioly é Jornalista.

6 comentários:

Anônimo disse...

Sem querer fazer apologia a criminosos , mas aqui cabe uma distinta comparação entre Marcola do PCC e lULACORLEONE DO PT.
Marcola é um intelectual assumido, já leu mais de 3 mil livros , é culto e inteligente ,sabe "administraR" seu bando com muita eficiencia , já nosso apedeuta é um confessado ignorante que assume não gostar de ler" e sua administração é o maior desastre do brasil não dah para comparar...
Marcola 2010 para presidente!!!

Anônimo disse...

Seu amigo recifense está errado!

A PRESIDÊNCIA JÁ É OCUPADA POR ALGUÉM MUITO PIOR QUE FERNANDINHO BEIRA-MAR OU MARCOLA.

Anônimo disse...

O BRASIL E A POLÍTICA doc.25 – 2008
SITE:www.fortalnet.com.br/grupoguararapes

Todo brasileiro sabe que o GRUPO GUARARAPES não é de DIREITA, ESQUERDA OU CENTRO. È um GRUPO que luta pelo Brasil e pronto. Podem chamá-lo de reacionário e de outros epítetos, que pouco importa. Hoje, vamos mostrar um exemplo histórico e compará-lo com o Brasil de hoje. Cada um tire a sua conclusão.

URSS 1922. Figurantes: LENINE – TROTSKI – STALIN – BUKHARIN – KAMENEV – ZINOVIEV e outros coadjuvantes, inclusive a esposa de LENINE, KRUPSKAIA. Este no seu leito de morte faz uma carta para o CC alertando da desgraça de STALIN ser o dono do Partido. TROTSKY e STALIN travam luta de morte pelo PODER. O TRIÚNVIROS (STALIN – KAMENEV – ZINOVIEV) treme com medo da leitura da carta de LENINE por TROTSKI. Ajoelham-se, oferecem tudo e TROTSKI aceita não ler a carta no CONGRESSO. BUKHARIN, que era TROTSKI, soluça no ombro dele e afirma:”o que estão fazendo com o Partido, o estão transformando num esgoto”. Resultado da hipocrisia um: STALIN trai, fortifica-se no PODER. A carta passa a ser segredo de Estado.

URSS 1926 – 1927. TROSTSKI – KAMENEV – ZINOVIEV – juntos e fazem declarações de amor. Numa reunião, os dois últimos, confessam que mentiram e injuriaram a pessoa de TROTSKY, em 1922.. Do outro lado, da mesma maneira, STALIN – BUKHARIN - abraços e este que chorou no ombro de TROTSKY o aniquila no Congresso. Resultado da hipocrisia 2: A oposição (TROTSKI – KAMENEV – ZINOVIEV) exilados nos confins da Rússia, sendo que TROTSKY foi para lá do fim do mundo ALMA ATA, no CASAQUISTÃO

Resultado final da HIPOCRISIA: Os que não foram mortos se suicidaram nos porões da KGB.

O GRUPO GUARARAPES não afirma que haverá mortes ou suicídios. Apenas gostaria de lembrar que vivemos o mesmo sistema da URSS (mentira, engodo, compra, promessas, choro etc.). Cada político brasileiro faça a sua análise. Vamos colocar o mesmo número de cabeças principais: LULA – FHC - DILMA – SERRA – CIRO – AÉCIO – TARSO e vários outros coadjuvantes. Não esqueçam que muitos já ficaram pelo meio do caminho. O antigo Presidente da Câmara dos Deputados –ALDO RABELO - foi um deles e o partido de joelho junto ao PODER, pensando que se salvará.

DOS ABRAÇOS, BEIJOS E PROMESSAS O QUE SERÁ DO BRASIL? QUEM SAIRÁ VIVO DESTA LUTA DA POLÍTICA? É BOM LEMBRAR QUE A OPOSIÇÃO FOI PARAR EM ALMA ATA.

Com bolsa família, luz para todos, com acordo para não se apurar nada nas diversa CPI não será que possamos :

TER UM NOVO STALIN? É APENAS UM ALERTA.

ESTAMOS VIVOS! GRUPO GUARARAPES! PERSONALIDADE JURÍDICA

Anônimo disse...

Diante do atual nível de aprovação do governo (não me digam que é forjado porque o que percebo em volta é isso mesmo)o que desejo, de todo coração, à maioria dos brasileiros é um Fidel Castro por 50 anos. Isso mesmo! 50 anos de feroz ditadura "socialista" quem sabe esse povo larga mão de ser abestalhado. Sinto pela minoria não-abestalhada, mas paciência.

Anônimo disse...

Anônimo não merece resposta, mas, em todo caso, ao das 9:57 AM:

Você está enganado(a): a aprovação do (des)governo é mínima, apenas 5% em número redondo. Apenas o VAGABUNDO CACHACEIRO tem a aprovação de mais de 60%.

O que isso significa?

A resposta é simples: quem aprova o vagabundo cachaceiro NÃO SABE que o (des)governo é COMANDADO por ele, isto é, o dito cujo nada tem a ver com as estradas em petição de miséria, com gente morrendo nas filas e corredores dos hospitais públicos, com falta de segurança, etc., que são as SITUAÇÕES vividas pelo "povão". Para nós é muito difícil entender como este raciocínio é possível, mas, é um FATO, os números estão aí para comprovar.

Anônimo disse...

A História jamais absolverá “El Comandante”
Por Carlos Alberto Montaner
http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=4032&Itemid=235
Fidel Castro decidiu morrer como ex-presidente. Não agüenta mais. Depois de meio século gloriosamente vestido de verde oliva, disfarçado de guerrilheiro heróico, é muito difícil governar um país de moletom, sentado em uma cadeira de balanço.

O saldo destes cinqüenta anos é pavoroso. Não há como a História absolvê-lo. Isso é impedido pelos dois milhões de exilados, milhares de presos políticos, fuzilamentos, a ausência absoluta de liberdades em Cuba, as famílias destroçadas, e o maior fracasso material da história das ditaduras latino-americanas. Quase todos os regimes tirânicos, do paraguaio Alfredo Stroessner ao nicaragüense Somoza, foram corruptos e injustos do ponto de vista social, mas deixaram seus países mais ricos. Em Cuba foi diferente. Como conseqüência do torpe governo de Fidel Castro e do sistema comunista imposto ao país (responsável pela improdutividade quase assombrosa da ilha), os cinco itens que medem a qualidade de vida da população pioraram: alimentação, habitação, vestuário, transporte e comunicações. Hoje, além da ideologia, a vida em Cuba é um pesadelo insuportável.

Nada ocorreu de bom nesse período? Sim: o país dispõe de 800 mil profissionais, entre eles 65 mil bons médicos, para uma população de 11 milhões de habitantes. Mas esse dado, longe de eximir Fidel de culpa, o incrimina duramente. Só um governante minuciosamente incompetente pode manter na pobreza uma sociedade que conta com semelhante capital humano. Em todos os cantos do planeta os profissionais fazem parte da classe média e vivem com certo nível de conforto. Em Cuba eles vegetam sem esperança e em meio a uma imensa pobreza.

Continua no link acima.