quinta-feira, 31 de julho de 2008

Desgoverno Lula manipula dados do BC que indicam que bolha do crédito está prestes a explodir no Brasil

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Exclusivo – Nada menos que 37 milhões e 759 mil brasileiros estão hoje altamente endividados e com dificuldades mensais para quitar empréstimos bancários ou financiamentos de longo prazo. Só na modalidade de crédito consignado, onde o valor devido é descontado mensalmente no contra-cheque, existem 24 milhões e 914 mil pessoas penduradas. A maioria é formada por aposentados e pensionistas do INSS, e por servidores públicos civis e militares que apelam ao crédito (nada) fácil, com juros e taxas abusivas, por causa dos salários ou proventos defasados.

As dívidas acumuladas por cidadãos e empresas já atingem o alarmante valor de R$ 360,9 bilhões. Os juros cobrados pelos bancos subiram nas principais modalidades de crédito para a pessoa física. Em junho, o custo médio pago pelas famílias para tomar dinheiro emprestado atingiu 49,1% ao ano. Foi o maior nível desde março de 2007, e a tendência é de subida. A atual carestia especulativa (mal apelidada de “inflação”) agrava a situação dos endividados.

O mercado financeiro já teme um grande calote que terá efeito sistêmico. O maior temor é no setor de financiamento automotivo. Nos últimos 12 meses, nada menos que 4 milhões e 675 mil veículos foram financiados em “eternos” 60 meses. Outros 3 milhões e 285 mil de carros, caminhões ou motos foram comprados em parcelas abaixo de 48 vezes. Os bancos e financeiros usam os juros altos e as taxas embutidas nas operações de crédito para criar uma espécie de reserva-seguro contra o alto risco de inadimplência.

Estudos reservados do Banco Central, que o Palácio do Planalto estrategicamente esconde da sociedade, indicam que o Brasil tem uma grande bolha de crédito prestes a estourar. O quando e o como vão depender da velocidade e da intensidade da crise econômica mundial que já é uma realidade objetiva. O certo é que nenhuma blindagem não agüenta um calote generalizado sobre um volume de empréstimos que já chega a 36,5% do PIB (Produto Interno Bruto, ou tudo que é produzido em nossa economia).

O presidente Henrique Meirelles, do BC, já advertiu ao chefão Lula que as tradicionais medidas de política monetária não serão suficientes para conter o caos – como já ocorreu em outras situações. O mais grave de toda essa situação de endividamento descontrolado é a censura econômica promovida pelo desgoverno Lula. Ordens superiores impedem que os dados reais do Banco Central sejam divulgados. Antes, tudo precisa passar por um filtro pessoal da Casa Civil da Presidência.

O que o desgoverno não consegue esconder é que o grande volume de empréstimos, combinado com juros altíssimos, colaboram para o atual fenômeno especulativo da “carestia” (mal chamada de “inflação” – porque, em tese, a moeda brasileira não está desvalorizada). O único temor de Lula até o fim de seu segundo mandato são os problemas econômicos locais ou internacionais que sua frágil e dependente política econômica não tinham sido obrigada a enfrentar até então.

Oportunidade de negócio

Nos maldosos bastidores do mercado financeiro e do Congresso já circulam informações de que ilustres membros da cúpula petista já descobriram uma fórmula para se dar bem se a crise econômica estourar.

Escritórios de advocacia, de pessoas muito próximas ao chefão Lula, usando e abusando de tráfico de influência, já fecharam um acordo com grandes bancos e financeiras para um esforço de recuperação do crédito que será dado em breve como perdido.

O esquema de cobrança terceirizada – que em princípio é inconstitucional – seria remunerado com a comissão de 30 por cento do valor que fosse recuperado de grandes devedores.

Nos bastidores, afirma-se que o negócio é muito melhor e rentável que o ajuizamento de ações judiciais ou administrativas para receber indenizações políticas (a chamada “bolsa dita-dura”).

O retorno do Jedi

O chefão Lula quer o retorno o mais depressa possível do amigo e grande controller Antônio Palocci Filho ao desgoverno.

A principal missão reservada a Palocci seria assumir o Ministério da Previdência, para tocar a super reforma do sistema, implantando-se o regime de previdência privada, como já é compromisso firmado por Lula com os banqueiros que lhe dão sustentação.

Para ticar missões desse tipo, o chefão Lula só confia em Palocci – que foi o sucessor do saudoso Celso Daniel (prefeito de Santo André brutalmente assassinado em 2002) na coordenação dos negócios financeiros do PT.

Mas não seria surpresa se Palocci voltasse também para o ministério da Fazenda ou assumisse o lugar do Presidente Henrique Meirelles (louco para deixar o Banco Central).

Pedras no caminho

Os dois problemas para o retorno do deputado federal Antônio Palocci ao poder são seus problemas com a Justiça.

Mas, em Brasília, a tese geral é que não existe nada que um bom foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal não possa resolver...

O STF terá de julgar se aceita ou não a denúncia de 14 mil páginas do Procurador Geral da República, Antônio Fernando de Souza, que acusa Palocci de comandar um esquema de fraudes em licitações para coleta de lixo, superfaturamento de preços e arrecadação ilegal para o PT durante o período em que foi prefeito de Ribeirão Preto.

A prefeitura teria sofrido um rombo de R$ 30 milhões, entre 2001 e 2004, e Palocci é acusado de formação de quadrilha, falsificação de documento público, lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, inclusive porque é acusado de receber um “mensalão” de R$ 50 mil da empresa Leão & Leão (que cuidava, literalmente, dos serviços de “limpeza”).

O caso do caseiro

O STF também terá de julgar se aceita ou não denúncia contra Palocci por violação do sigilo bancário do pobre caseiro Francenildo dos Santos Costa.

Tudo porque o rapaz acusou o ministro de freqüentar uma mansão alugada pela chamada turma de Ribeirão, em Brasília, para a realização de festinhas de lobby com autoridades e prostitutas.

Antonio Palocci foi denunciado pelo procurador-geral da República por prevaricação, quebras de sigilo bancário e funcional, além de denunciação caluniosa.

Sargento solto

Enquanto não julga Palocci, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, concedeu habeas corpus ao sargento do Exército Laci Marinho de Araújo, preso no Batalhão de Polícia do Exército, em Brasília, e acusado de deserção.

Laci foi preso logo depois de se declarar gay e conceder à revista Época entrevista contando que vivia há 10 anos com o também sargento Fernando Figueiredo, assumindo o relacionamento homossexual.

Em seu despacho, o ministro Gilmar Mendes definiu que a decisão do Superior Tribunal Militar é contrária à jurisprudência do STF, "por assentar o absoluto descabimento de liberdade provisória em processo de deserção".

O argumento

Gilmar Mendes lembrou que o artigo 453 do Código de Processo Penal Militar diz que "o desertor que não for julgado dentro de 60 dias, a contar do dia de sua apresentação voluntária ou captura, será posto em liberdade, salvo se tiver dado causa ao retardamento do processo".

Em julgamentos anteriores, o STF verificou que o STM aplica a tese de que o artigo 453 estabelece o prazo de sessenta dias como obrigatório para a custódia cautelar nos crimes de deserção.

E, segundo interpretação do Ministério Público Federal (MPF), a concessão da liberdade provisória antes de terminar os sessenta dias não implica qualquer violação legal.

Vai-se

Após cinco anos no cargo, o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, decidiu se afastar do governo e anuncia hoje sua saída.

Lina Maria Vieira, atual superintendente da Receita em Pernambuco, assumirá o cargo.

Ela já é chamada de primeira leoa...

Foi-se

O cantor e compositor Gilberto Gil finalmente convenceu o chefão Lula a oficializar sua saída do cargo de ministro da Cultura.

Saiu apelando a versos de “Refazenda”, Gil se despediu já com ar de saudades do governo:

Amanhecerá tomate e anoitecerá mamão. O governo Lula teve a capacidade de fazer o país compreender o processo da transmutação da vida. É uma música que eu cederia com jingle.

Foi o terceiro pedido de demissão de Gil - um dos poucos remanescentes da primeira equipe presidencial – aceito por Lula.

Terror de aluguel

Índice que reajusta os aluguéis, o IGP-M acumulado de junho de 2007 e julho deste ano fechou em 15,12%, patamar mais alto dos últimos quatro anos.

A alta vem sendo causada pelo aumento no preço dos alimentos e de insumos como fertilizantes e produtos siderúrgicos.

O Creci aconselha inquilinos a negociarem a revisão anual do contrato com os proprietários.

Droga de coincidência

Um navio venezuelano com 2,5 toneladas de cocaína foi interceptado no Oceano Atlântico por uma unidade especial da polícia espanhola.

Os cinco membros da tripulação do "Rio Manzanares" foram detidos quando passavam a droga para outra embarcação controlada por uma organização de traficantes espanhóis.

Um outro avião venezuelano explodiu ontem depois de aterrissar no norte de Honduras.

A região caribenha de Honduras é um dos corredores utilizados pelos narcotraficantes para levar drogas da América do Sul para os Estados Unidos.

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

7 comentários:

Anônimo disse...

O desgoverno já manipulou o IPEA e agora o BC.
E já tem o antídoto para a bolha, caso ela estoure.
De safadeza em safadeza il cappo enche o papo.
Esse inútil não governa, ele empurra tudo com a barriga.
A única bolha que deveria estourar é a bolha-llulla.

Anônimo disse...

OLha a capa da revista "CAMBIO' de Bogota:
El 'dossier' brasileño

El computador de 'Raúl Reyes' revela que los vínculos de las Farc con altos funcionarios del gobierno de Brasil, entre ellos cinco ministros, llegaron a niveles escandalosos.


Esta tudo dominado!


O link: http://www.cambio.com.co/787/index.html

Anônimo disse...

Penso que não é só a bolha de crédito que vai explodir neste País, se depnder do Ministro tarso Genro. Sua postura no malfadado seminário que "rediscuti" a lei de anistia deixa claro isto. E penso que é hora de dizer ao mesmo:

Que se dê logo um galão com gasolina ao Ministro da Justiça!!






Pensa o cínico e hidrófobo Ministro da Justiça, Tarso Genro, que a nação brasileira é idiota! Imagina ele do alto de seu cargo que os brasileiros não tem memória, e que não se lembram dos assaltos a banco, dos seqüestros, dos assassinatos, dos justiçamentos, do terrorismo e das torturas praticadas pela sua gente da esquerda. Acha que se esta discussão, proposta no malfadado seminário, for levada a sociedade, esta certamente o apoiará em sua missão de colocar gasolina e acender o fogo, dando-lhe razão em contrariar o disposto na lei da anistia. Ministro, saia deste seu salto alto. Se o senhor fosse macho mesmo, estaria é contribuindo para evitar os crimes de lesa pátria que o governo que o senhor representa está cometendo, e o que é pior com sua ajuda!! Porque do seu interesse em coibir os arrozeiros em continuarem em sua terra na Raposa do sol? Ministro, este debate está chegando a sociedade brasileira. E ela certamente saberá que o sr. e os demais asseclas deste governo que aí está, estão vendendo nosso território a potências estrangeiras através das ongs que as representam . O sr. já pensou que é o senhor mesmo que breve, com a ajuda de Deus, estará sentado no banco dos réus prestando conta do crime de lesa Pátria? Quem o senhor pensa que é para tentar dividir nossas forças armadas com argumentos imbecis e revanchistas!? Ministro nossa gente não é como a sua, que é dada a criar bodes espiatórios! Nós não temos Delúbios entre nós Ministro! Portanto penso que se deva baixar a bola, como diria seu chefe...Abaixa a bola, Tarso Genro!!! Abaixa rapidinho!

Anônimo disse...

Penso que não é só a bolha de crédito que vai explodir neste País, se depnder do Ministro tarso Genro. Sua postura no malfadado seminário que "rediscuti" a lei de anistia deixa claro isto. E penso que é hora de dizer ao mesmo:

Que se dê logo um galão com gasolina ao Ministro da Justiça!!






Pensa o cínico e hidrófobo Ministro da Justiça, Tarso Genro, que a nação brasileira é idiota! Imagina ele do alto de seu cargo que os brasileiros não tem memória, e que não se lembram dos assaltos a banco, dos seqüestros, dos assassinatos, dos justiçamentos, do terrorismo e das torturas praticadas pela sua gente da esquerda. Acha que se esta discussão, proposta no malfadado seminário, for levada a sociedade, esta certamente o apoiará em sua missão de colocar gasolina e acender o fogo, dando-lhe razão em contrariar o disposto na lei da anistia. Ministro, saia deste seu salto alto. Se o senhor fosse macho mesmo, estaria é contribuindo para evitar os crimes de lesa pátria que o governo que o senhor representa está cometendo, e o que é pior com sua ajuda!! Porque do seu interesse em coibir os arrozeiros em continuarem em sua terra na Raposa do sol? Ministro, este debate está chegando a sociedade brasileira. E ela certamente saberá que o sr. e os demais asseclas deste governo que aí está, estão vendendo nosso território a potências estrangeiras através das ongs que as representam . O sr. já pensou que é o senhor mesmo que breve, com a ajuda de Deus, estará sentado no banco dos réus prestando conta do crime de lesa Pátria? Quem o senhor pensa que é para tentar dividir nossas forças armadas com argumentos imbecis e revanchistas!? Ministro nossa gente não é como a sua, que é dada a criar bodes espiatórios! Nós não temos Delúbios entre nós Ministro! Portanto penso que se deva baixar a bola, como diria seu chefe...Abaixa a bola, Tarso Genro!!! Abaixa rapidinho!

Anônimo disse...

Muito boa a matéria do www.cambio.com.co. Já saiu no coturnonoturno.

Anônimo disse...

Conheça VOZ, o site para quem tem algo a dizer

Caro Jorge,

Você, que escreve no blog Alerta Total, e se interessa em expor suas idéias sobre os temas relevantes para o desenvolvimento do Brasil, está convidado a conhecer o portal VOZ.

O VOZ é um espaço onde todas as pessoas que como você têm algo a dizer, podem participar do debate sobre questões tão fundamentais sobre o país que queremos ter.

A sua voz é muito importante. Saiba mais como participar e solte a Voz. www.dialeto.net/clientes/voz

Equipe VOZ.

Anônimo disse...

Caro Jorge Serrão,

Primeiramente gostaria de lhe parabenizar em razão de seu interesse estar voltado a grande número de questões de interesse geral.

Se me permitir alguns contrapontos do que foi publicado por VSa. em http://alertatotal.blogspot.com/2008/07/desgoverno-lula-manipula-dados-do-bc.html ,segue:

"Nada menos que 37 milhões e 759 mil brasileiros estão hoje altamente endividados e com dificuldades mensais para quitar empréstimos bancários ou financiamentos de longo prazo. Só na modalidade de crédito consignado, onde o valor devido é descontado mensalmente no contra-cheque, existem 24 milhões e 914 mil pessoas penduradas. A maioria é formada por aposentados e pensionistas do INSS, e por servidores públicos civis e militares que apelam ao crédito (nada) fácil, com juros e taxas abusivas, por causa dos salários ou proventos defasados."

-> É importante lembrar que as taxas praticadas no crédito consignado obedecem a um teto que muitas vezes não satisfaz ao emprestador do recurso, daí a razão de não ser praticado com voracidade pelos grandes bancos, as grandes carteiras expostas no segmento consignado são de médios e pequenos bancos. A facilidade de captação fez com que os bancos pequenos-médios se aventurassem no credito consignado, de alguns meses para cá a vida desses agentes ficou difícil, secaram os recursos externos, esses recursos de fora representavam importante fonte de irrigação de um sistema de baixo retorno para os bancos.

"As dívidas acumuladas por cidadãos e empresas já atingem o alarmante valor de R$ 360,9 bilhões. Os juros cobrados pelos bancos subiram nas principais modalidades de crédito para a pessoa física. Em junho, o custo médio pago pelas famílias para tomar dinheiro emprestado atingiu 49,1% ao ano. Foi o maior nível desde março de 2007, e a tendência é de subida. A atual carestia especulativa (mal apelidada de “inflação”) agrava a situação dos endividados."

-> O que você chama de carestia, o mercado chama de escassez, os poucos que se dispõem emprestar exigem um premio maior dado o maior risco. Não é especulação: é realidade

"O mercado financeiro já teme um grande calote que terá efeito sistêmico. O maior temor é no setor de financiamento automotivo. Nos últimos 12 meses, nada menos que 4 milhões e 675 mil veículos foram financiados em “eternos” 60 meses. Outros 3 milhões e 285 mil de carros, caminhões ou motos foram comprados em parcelas abaixo de 48 vezes. Os bancos e financeiros usam os juros altos e as taxas embutidas nas operações de crédito para criar uma espécie de reserva-seguro contra o alto risco de inadimplência."

-> Os riscos sobre os empréstimos é mitigado de varias formas: se sou um agente financeiro (um banco por ex.) e lhe dou um limite no cheque especial de imediato quando você utiliza 1000$ dentro do limite... sou obrigado pelo BC a provisionar a mesma quantia devido a qualidade do tipo de empréstimo (por isso que o juros no cheque especial é um absurdo). No cheque especial, você sendo um banco imobiliza 2000$ quando empresta 1000$ em razão do elevado risco histórico contido nesse tipo de operação (é de difícil recuperação). No caso de capital de giro, onde por vezes os recebíveis por cartão de credito são dados como garantia os juros são bem menores e em razão da melhor qualidade dos mesmos, aí têm menor incidência de juros. Enfim, mesmo em caso de "hecatombe", os riscos nas operações de crédito são muito bem calculados, o regulador (Banco Central do Brasil) não permite que os agentes contraiam riscos elevados, já pagamos caríssimo por isso no passado (PROER) e acho que aprendemos a lição.

"Estudos reservados do Banco Central, que o Palácio do Planalto estrategicamente esconde da sociedade, indicam que o Brasil tem uma grande bolha de crédito prestes a estourar. O quando e o como vão depender da velocidade e da intensidade da crise econômica mundial que já é uma realidade objetiva. O certo é que nenhuma blindagem não agüenta um calote generalizado sobre um volume de empréstimos que já chega a 36,5% do PIB (Produto Interno Bruto, ou tudo que é produzido em nossa economia)."


-> A bolha é desinflada em razão da escassez de credito, o que é natural, a mesma coisa: Os riscos sobre os empréstimos é mitigado de varias formas: se sou um agente financeiro (um banco por ex.) e lhe dou um limite no cheque especial de imediato quando você utiliza 1000$ dentro do limite... sou obrigado pelo BC a provisionar a mesma quantia devido a qualidade do tipo de empréstimo (por isso que o juros no cheque especial é um absurdo). No cheque especial, você sendo um banco imobiliza 2000$ quando empresta 1000$ em razão do elevado risco histórico contido nesse tipo de operação (é de difícil recuperação). No caso de capital de giro, onde por vezes os recebíveis por cartão de credito são dados como garantia os juros são bem menores e em razão da melhor qualidade dos mesmos, aí têm menor incidência de juros. Enfim, mesmo em caso de "hecatombe", os riscos nas operações de crédito são muito bem calculados, o regulador (Banco Central do Brasil) não permite que os agentes contraiam riscos elevados, já pagamos caríssimo por isso no passado (PROER) e acho que aprendemos a lição.

"O presidente Henrique Meirelles, do BC, já advertiu ao chefão Lula que as tradicionais medidas de política monetária não serão suficientes para conter o caos – como já ocorreu em outras situações. O mais grave de toda essa situação de endividamento descontrolado é a censura econômica promovida pelo desgoverno Lula. Ordens superiores impedem que os dados reais do Banco Central sejam divulgados. Antes, tudo precisa passar por um filtro pessoal da Casa Civil da Presidência."


-> O Meirelles jamais diria algo parecido, nosso compulsório bancário supera em muito à media, estamos na fase do pleno-emprego (pode mudar), não acho que os dados do BC sejam manipulados, as pessoas envolvidas nisso não se exporiam ao "risco moral", dar tratamento desonesto a dados é crime, também é criminoso fazer ilações mesmo com provas parciais que atentem ao sistema financeiro nacional, e aqui não estamos falando de liberdade de imprensa. Acho perigoso lançar isso que o escreveu, você é muito corajoso. Saiba mais sobre CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL -> http://www.jfservice.com.br/proconjf/sist-fin.htm .

"O que o desgoverno não consegue esconder é que o grande volume de empréstimos, combinado com juros altíssimos, colaboram para o atual fenômeno especulativo da “carestia” (mal chamada de “inflação” – porque, em tese, a moeda brasileira não está desvalorizada). O único temor de Lula até o fim de seu segundo mandato são os problemas econômicos locais ou internacionais que sua frágil e dependente política econômica não tinham sido obrigada a enfrentar até então."

-> Desgoverno onde "cara-pálida"? O volume é proporcional à demanda, democratizada a demanda... os juros ficam em linha com riscos somados aos custos de captação para atender tal demanda, mimetismos acontecem... estamos vivendo uma das fases dentro mimetismo que é fisiológico.

"Oportunidade de negócio

Nos maldosos bastidores do mercado financeiro e do Congresso já circulam informações de que ilustres membros da cúpula petista já descobriram uma fórmula para se dar bem se a crise econômica estourar.

Escritórios de advocacia, de pessoas muito próximas ao chefão Lula, usando e abusando de tráfico de influência, já fecharam um acordo com grandes bancos e financeiras para um esforço de recuperação do crédito que será dado em breve como perdido.

O esquema de cobrança terceirizada – que em princípio é inconstitucional – seria remunerado com a comissão de 30 por cento do valor que fosse recuperado de grandes devedores.

Nos bastidores, afirma-se que o negócio é muito melhor e rentável que o ajuizamento de ações judiciais ou administrativas para receber indenizações políticas (a chamada “bolsa dita-dura”)."

-> Isso que você afirma, supostamente amparado na ética (?proteção de fontes? <-> ?fiança da mentira?) é facilmente repelido, O BC trata do tema aqui: http://www.bcb.gov.br/noticias/Noticias.asp?noticia=1&idioma=P&cod=1872 .