sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Nelson Jobim ataca nos bastidores para se viabilizar como candidato do PMDB à sucessão do chefão Lula

Edição de Sexta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Um trabalho bem feito de marketing - reforçado por ações espetaculosas de mídia e de relações públicas, junto com um oculto lobby nos setores jurídicos, militares e, sobretudo, financeiros - tenta viabilizar o nome de Nelson Jobim como candidato à sucessão presidencial do chefão Lula, em 2010, como cabeça de chapa do PMDB, ao qual é filiado. O atual ministro da Defesa partiu para o ataque no bastidor da sucessão, depois que estudos e pesquisas revelaram que as candidaturas de Dilma Rousseff, Ciro Gomes e até de Aécio Neves não conseguem decolar.

O gaúcho Jobim quer se posicionar como uma alternativa confiável a José Serra – principalmente aos olhos da Oligarquia Financeira Transnacional que manda no mundo globalizado. O governador paulista já montou seu esquema financeiro para garantir a indicação de candidato tucano. O mineiro Aécio Neves, embora em campanha o tempo todo, vem perdendo espaço no PSDB. O neto de Tancredo Neves já não conta com o apoio seguro que tinha dos banqueiros internacionais – que já o tinham escolhido candidato desde 2004, em um mega-jantar na mansão dos Rothschild, na Inglaterra.

Nelson Jobim também é querido do sistema financeiro. Quando ocupou o cargo vitalício de ministro do Supremo Tribunal Federal, ele foi atacado nos bastidores jurídicos, várias vezes. Tudo por protelar decisões e pedir longa vista de processos que decidiriam ações contra os bancos. A opinião púbica – e muito menos a opinião publicada – se esquecem disso facilmente. Da mesma forma como já caiu no esquecimento da mídia amestrada o desgaste de Jobim com a condução da crise do setor aéreo.

Agora, no Brasil de memória curta, o ministro da Defesa posa de combatente da corrupção e das irregularidades no desgoverno. Ontem, Nelson Jobim mandou suspender as obras em nove aeroportos do País que tiveram contratos superfaturados, segundo levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU). As irregularidades podem comprometer a infra-estrutura aeroportuária para a Copa do Mundo de 2014. Entre as obras está a do Aeroporto Santos Dumont.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, informou que serão cancelados os contratos com empresas de construção civil para a realização de reformas em terminais aéreos contestados pelo TCU. Jobim aproveitou para fazer tal anúncio na solenidade de abertura da quinta edição do Encontro Latino-Americano de Negócios em Torno da Aviação Executiva.

Sobre a atuação do “General” Jobim, leia o artigo de Arlindo Montenegro: A Defesa bichada

Problemas reais

De acordo com levantamento da auditoria do TCU, foram detectadas irregularidades em contratos relativos a nove empreendimentos, que incluem o projeto do Complexo Aeroportuário de Vitória, no Espírito Santo, e em obras de melhoria nos terminais dos aeroportos de Goiânia, de São Paulo, do Rio de Janeiro e de Brasília.

Entre as irregularidades apontadas em contratos assinados no atual desgoverno estão o sobrepreço, o superfaturamento, a inadequação do projeto básico e o pagamento de serviços sem cobertura contratual.

No caso do Aeroporto Santos Dumont, a Infraero já gastou R$ 45,6 milhões a mais que o necessário nas obras de modernização, o que equivale a 13,6% do valor total do contrato, de R$ 334,6 milhões.

O TCU informou que as obras, a cargo de um consórcio liderado pela Odebrecht, estão atrasadas em mais de um ano, pois deveriam ter sido entregues antes da abertura dos Jogos Pan-Americanos, realizados em julho de 2007.

Guerra à vista

O chefão Lula voltou ontem a defender a revisão das regras de exploração do petróleo do Brasil, em razão das descobertas na região do pré-sal, para favorecer a camada mais pobre da população.

A Agência Internacional de Energia criticou ontem a proposta de mudanças na Lei do Petróleo brasileira.

A indústria petrolífera no Brasil - cerca de 70 empresas, muitas representadas pelo Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) - também é contrária à criação da "Petrosal".

As entidades, porta-vozes das grandes transnacionais do setor de energia, argumentam que o País precisará de investimentos externos para extração e que as mudanças nas leis podem prejudicar a rentabilidade das novas descobertas.

Os donos do nosso petróleo

Possuem blocos na área do pré-sal, além da Petrobras, a Shell, Amerada Hess, Galp, Repsol, BG e Exxon.

Em conversas com governadores, Lula tem se lembrado que “50% do capital privado da Petrobras está nas mãos de acionistas norte-americanos”.

Logo, por tal lógica, o petróleo não é mais nosso há muito tempo...

Protecionismo súbito?

Por isso, o desgoverno definiu que empresas privadas não vão receber novas concessões para explorar as gigantescas reservas recém-descobertas na Bacia de Santos, em área conhecida como camada do pré-sal.

A gestão de todos os contratos referentes às novas reservas ficará a cargo de uma estatal que será criada por meio de projeto de lei.

A chefona da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, vão negociar mo Congresso a aprovação do projeto.

Arábia brasileira

Os reservatórios do pré-sal podem conter bilhões de barris de petróleo e gás natural e se localizam numa faixa desde o Espírito Santo à Santa Catarina.

Especialistas afirmam que os reservatórios podem conter mais de 100 bilhões de barris.

A estimativa de reservas foi feita em apenas um bloco, o de Tupi, onde existe potencial entre 5 e 8 bilhões de barris.

Interligação

A Petrobras anunciou ontem que fará uma sísmica de alta definição no campo de Tupi para descobrir se os blocos do présal estão interligados.

A Petrobrás considera que é bem possível haver necessidade de unir os reservatórios.

Se ficar comprovada a interligação entre os blocos, as empresas que possuem áreas na região terão que explorar juntas o petróleo e o gás.

Vamos limpando

A Polícia Federal acredita ter indícios para enquadrar Daniel Dantas em crime de lavagem de dinheiro.

Segundo a Polícia Federal, a lavagem foi consolidada por meio da ocultação de valores ilícitos e a posterior inclusão desse dinheiro em atividades aparentemente legais.

O indiciamento, baseado no trabalho do delegado Protógenes Queiroz, ocorrerá ao final da investigação.

Irritado, mas calado

As declarações do banqueiro Daniel Dantas na CPI dos Grampos causaram um grande incômodo no Palácio do Planalto.

O governo entendeu que Dantas, repetindo estratégias adotadas anteriormente, deu as declarações que queria, como queria, lançando ataques em várias frentes contra órgãos e autoridades, com intuito de criar uma cortina de fumaça sobre o seu depoimento.

Apesar da tática usada por Daniel Dantas, o Palácio do Planalto não vai responder aos ataques dele, que tenta envolver mais uma vez, o filho do presidente, Fábio Luiz Lula da Silva, sócio da Gamecorp, produtora de TV que recebeu R$ 5 milhões da Telemar (atual Oi).

Parcialmente, pode...

O Supremo Tribunal Federal limitou por 7 votos a 1 o acesso “generalizado” da CPI dos Grampos a informações sob segredo de Justiça.

A Suprema Corte já concedera às teles, em liminar, o direito de não enviar as informações sigilosas à comissão.

Mas o STF decidiu que a CPI poderá receber dados estatísticos, como total de mandados expedidos, lista das varas que os expediram e relação das cidades.

Sai a algema e entra o fio

Proibida de usar algemas, a polícia do Rio se valeu ontem de fios elétricos ou de plástico para manter imobilizados acusados de tráfico no Pavão-Pavãozinho.

Em Brasília, policiais federais protestam contra a decisão do STF que proibiu o uso de algemas em criminosos.

O ministro da Justiça, Tarso Genro, garantiu que a Polícia Federal cumprirá a determinação do Supremo de limitar o uso de algemas nos presos em suas operações.

Carlinhos Metralha em ação

O delegado da Polícia Civil de São Paulo, Carlos Alberto Augusto, constrangeu ontem um grupo de procuradores da República que discutiam a punição para torturadores da dita-dura no Brasil, no seminário "Crimes da Ditadura: Ainda é Jurídico Punir?".

Investigador do Dops (Departamento de Ordem Política e Social) naquele período, o delegado tomou a palavra para defender as Forças Armadas em meio ao debate sobre a criminalização da tortura cometida no Dói-Codi.

O delegado fez seu ataque depois que o sub-procurador-geral da República, Wagner Gonçalves, minutos antes, defendera a punição de torturadores.

A denúncia

O delegado Carlos Alberto pegou o microfone e pediu que outro palestrante, Ivan Seixas - torturado no regime militar -, o apresentasse.

Seixas, constrangido, disse: "Esse é o Carlinhos Metralha, um dos torturadores do Dops e hoje delegado da Polícia Civil".

Identificado, o delegado disparou:

"As Forças Armadas já foram sucateadas. Agora vocês querem sucatear a moral das Forças Armadas", disse o delegado. "O Ivan Seixas tem o hábito de mentir. Eu trabalhei pela segurança do País".

Procuradoria vai ouvi-lo

O delegado denunciou que muitos desaparecidos daquele período não foram assassinados, mas estariam "escondidos".

Carlos Augusto defendeu novamente os militares:

"Eles não foram os culpados".

Terça-feira que vem o delegado prestará depoimento na Procuradoria, às 14 horas, sobre o que denunciou.

Os organizadores

O seminário foi organizado pela procuradora da República, Eugênia Augusta Fávero e pelo procurador-regional da República, Marlon Alberto Weichert.

Juntos entraram com uma ação civil pública pedindo a condenação por tortura dos ex-comandantes do Doi-Codi de São Paulo Carlos Alberto Brilhante Ustra e Audir Santos Maciel.

Antes do evento, Weichert pediu um posicionamento firme do governo federal sobre o tema.

"É importante que o governo se posicione em relação à abertura de todos os documentos existentes. Se não fica difícil o processo de responsabilização".

E a identidade do Cabo Anselmo?

O delegado Carlos Augusto aproveitou seu discurso inflamado no seminário para fazer uma cobrança pública.

Pediu que a Comissão de Anistia e a Marinha emitam o documento de identidade de José Anselmo dos Santos, o “Cabo” Anselmo.

Carlos Augusto foi o policial que prendeu Anselmo nos tempos da dita-dura.

Lins foragido e deprimido

O ex-deputado estadual Álvaro Lins está com prisão preventiva decretada.

Cassado por quebra de decoro parlamentar, Lins foi denunciado pelo MP na Operação Segurança Pública S/A, da Polícia Federal, por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, facilitação de contrabando e corrupção passiva.

O advogado do ex-deputado afirmou que ele está internado em uma casa de saúde, com sintomas de depressão, mas deve se apresentar hoje.

Outro processo

Lins vai responder a mais um processo administrativo, na Corregedoria Geral Unificada (CGU) da Polícia Civil do RJ.

O procedimento foi instaurado para apurar a suposta participação do ex-chefe de Polícia Civil em fraudes no concurso para inspetor realizado durante sua gestão.

Ele também é citado em outra investigação por suposta ligação com a máfia dos caça-níqueis.

Os dois processos estão em fase de instrução e podem resultar na exoneração do delegado.

Presidente Beira-mar no RJ

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, será julgado hoje no 4º Tribunal do Júri, no Centro do Rio.

O chefão do Comando Vermelho é acusado de associação para o tráfico de drogas, crime pelo qual foi denunciado em 2000.

O processo se refere à denúncia de que, em 1996, na Favela Vila Ideal, em Duque de Caxias, os policiais Andecley Antônio Santana Cardoso e Demerval Edson Lourenço viram um Monza com homens suspeitos.

Plano desarticulado

Há 11 dias, a Polícia Federal desencadeou a Operação X com objetivo de desarticular esquema de extorsão e seqüestros de autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário de vários estados.

O plano descoberto foi elaborado por Beira-Mar, pelo megatraficante colombiano Juan Carlos Abadía e pelos assaltantes de banco João Paulo Barbosa e José Reinaldo Girotti.

O grupo articulava crimes de dentro da penitenciária de Campo Grande por intermédio de parentes que os visitavam, de correspondências e, supostamente, de seus advogados.

A PF investiga ainda o envolvimento de policiais e agentes penitenciários no plano de seqüestros liderado por Beira-Mar e Abadía, além da possibilidade dos presos se comunicarem por mímica.

Concurso para agente secreto

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) abre inscrições no dia 18 de agosto para selecionar 190 candidatos de nível médio e superior.

São 160 vagas para o cargo de Oficial de Inteligência e 30 vagas para Agente de Inteligência.

Hoje as remunerações são de R$ 7.411,78 e R$ 3.275,57, respectivamente.

A partir do dia 1.° de outubro de 2008, passarão a ser de R$ 9.713,13 para o cargo de Oficial e de R$ 4.458,38 para Agente.

Militares na eleição

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu ontem, por unanimidade, autorizar o envio de tropas militares para garantir a segurança durante a campanha eleitoral deste ano no Rio de Janeiro.

As Forças Armadas poderão ser enviadas assim que o governador Sérgio Cabral (PMDB) formalizar o pedido que já fez informalmente ao presidente do TSE, Carlos Ayres Britto.

Ontem, em novo telefonema a Ayres Britto, Cabral disse que considera extremamente necessária a presença de militares para garantir a segurança durante a campanha e as eleições no Rio.

Tropa eleitoral

Ayres Britto informou que o TSE está fazendo um mapeamento das áreas mais delicadas, e que a atuação das tropas militares não será na cidade toda.

A idéia é localizar pontos de maior fragilidade para haver presença ostensiva das forças”.

Quando tropas militares forem deslocadas para o Rio, será a primeira vez que a medida será realizada por tanto tempo num processo eleitoral.

Normalmente, a pedido de governadores ou tribunais regionais, o TSE autoriza o envio de militares a cidades ou estados só no dia das eleições, para garantir a votação.

Dia do Bispo

O ex-bispo católico Fernando Lugo, toma posse hoje na Presidência do Paraguai com o carimbo de esquerda, após 61 anos de poder do Partido Colorado.

Sem a maioria na Câmara e no Senado, ele já enfrenta pressões de conservadores e de sua própria base.

A primeira batalha dele é discutir o preço pago pelo Brasil pela energia elétrica de Itaipu, carro-chefe de sua agenda política.

Guerra do Cabo

A Record vai usar a Olimpíada de Londres, em 2012, como arma de barganha com a operadora de canal pago NET.

A Recerd quer que a empresa do grupo Globo melhore o espectro da RecordNews, que atualmente é sintonizado no canal 93, para não disputar com a Globonews, o Multishow e o GNT, canais da Globosat.

A RecordNews quer o canal 37, hoje ocupado pelo terceiro canal da SportV

Ingleses no livro

A Abril Educação decide em setembro o futuro das editoras Ática e Scipione.

Até agora, a empresa já recebeu uma dúzia de ofertas de compra.

A principal candidata à aquisição é a britânica Pearson.

Vamos ler mais

Começou ontem a 20ª Bienal do Livro, em São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Mais de 2 milhões de livros e mais de 150 escritores participam do evento, e devem atrair para lá cerca de 800 mil pessoas em dez dias.

O ingresso para a Bienal custa R$ 10, e o horário para visitação é das 10h às 22h de quarta-feira, de 14 de agosto, até domingo, dia 24 de agosto.

Mais informações sobre a bienal no site: http://www.bienaldolivrosp.com.br/

Cu de Apito barrado?

A Justiça cearense não permitiu o registro do candidato da coligação Mãos Limpas (PTB-PTN) no município de Bela Cruz.

Só porque o candidato se apresenta com o fantástico nome de “Cu de Apito”.

O site do Cláudio Humberto informa que o sururu é grande por causa da decisão judicial, já que Cu de Apito está em primeiro nas pesquisas.

Conclusão: Para o eleitor cearense, é melhor votar em Cu de Apito que “tomar na urna”...

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Caro Serrão,
desculpe-me a “colagem” mas, é importante!

Vem aí chumbo grosso
15 de agosto de 2008
Por Heitor de Paola (*)(*) Fonte: http://www.heitordepaola.com/publicacoes_materia.asp?id_artigo=245
Quem disse que o Tarso Genro e o Vannuchi queriam rever a Lei da Anistia de 1979, leu e ouviu o que quis e não o que foi dito e escrito. Jamais disseram isto e quando Tarso vem agora de público dizer que nunca fez esta sugestão, está dizendo a mais pura verdade. Note-se que o Seminário realizado em Brasília tinha como título “Limites e Possibilidades para a Responsabilização Jurídica dos Agentes Violadores de Direitos Humanos durante Estado de Exceção no Brasil". O objetivo era “analisar as potencialidades e dificuldades do estabelecimento de responsabilidades, no plano cível e criminal, aos agentes que praticaram condutas atentatórias aos direitos humanos entre os anos de 1964 e 1985 no Brasil, quando estava em vigência a ditadura militar”.
O que se discutia não era a revisão da Lei, mas o alcance da mesma, os limites que ela estabeleceu para a punibilidade por crimes “políticos” (ver minha opinião sobre isto na minha entrevista que não saiu). Não há nenhum interesse dos terroristas aboletados no governo em rever uma lei que os protege, pois sabem que estarão tão expostos a uma revisão quanto aqueles que querem atingir. A constante insistência em que se abram os “arquivos secretos” da ditadura não passa de uma falácia, quem tem interesse em abri-los já o fez: o site A Verdade Sufocada, de Joseíta Brilhantre Ustra, publicou capítulos do ORVIL, parte dos “temíveis” arquivos. ORVIL significa apenas a palavra LIVRO escrita ao contrário, embora já tenha suscitado inúmeras elucubrações sobre seu significado secreto – ouvi uma vez que seria alguma “Organização Revolucionária de Vigilância”!!!
Em artigo anterior eu dizia que se as Forças Armadas simplesmente optarem pelo “esquecimento” estarão dando dois tiros no pé. “Os Genros e Vannuchis vão topar e dizer: estão vendo, se eles querem esquecer é porque têm culpa no cartório, torturaram inocentes mesmo! E ainda mais eles não esquecerão, comunistas têm em comum com os elefantes a truculência e a privilegiada memória. As cobranças não terminarão jamais!” Foi um pouco diferente, mas no fim deu no mesmo: Lula voltou e “deu um cala boca” nos seus Ministros, os Comandantes Militares aceitaram – chegando o da FAB a dizer que “o Presidente” sempre sabe o que faz” – e reina a mais tranqüila paz no governo e na caserna.
Será? Para acreditar nisto é necessário aceitar como verdade uma série inacreditável de acontecimentos. Lula viaja e Tarso e Vannuchi, aproveitando a ausência do papai, passam a fazer baderna. Papai volta e puxa as orelhas dos menininhos travessos e segue os conselhos do bom titio Jobim que controla a “turma do outro quarteirão” que foi atacada. Desde que escrevi que Jobim era cúmplice na palhaçada, tenho razões fortes para acreditar que não – pessoa da minha absoluta confiança assim o afirma. Jobim seria então um inocente útil usado por Lula e seus asseclas para apaziguar os Militares.
Mas, e eles acreditaram mesmo ou tudo é só jogo de cena? Desde o início de seu primeiro governo a tática de Lula é a mesma: finge não saber de nada e sente-se traído pelos amigos! Assim fica “blindado”. E como tem dado certo! Será que os Comandantes acreditaram mesmo que não foi o próprio Lula que deu ordem para que os dois desencadeassem a ofensiva durante sua ausência? Ou Lula ficou com medo dos Militares? Mas medo de que, se eles estavam quietos cumprindo suas obrigações constitucionais?
Logo no começo deste imbróglio percebi que se tratava de um factóide para encobrir algo mais sério: a desmoralização e o achincalhe das Forças Armadas como um todo e, depois da notícia que comento abaixo, para levar acusados de tortura aos Tribunais Internacionais, tão ávidos quanto Genro e Vannuchi em punir sempre um lado só. Neles, não há nenhum risco de serem processados os terroristas.
O anúncio da Carta Capital da realização do Seminário Internacional “Direito à Memória e à Verdade” no qual falará dia 18/08 o Juiz espanhol Baltasar Garzón acrescenta mais um dado da estratégia. Alguém acredita que estes acontecimentos não estejam encadeados e planejados há longo tempo? Garzón é certamente um homem muito ocupado em caçar caçadores de comunistas e congêneres e não poderia ser convocado às pressas.
Há precedentes: em 2007, a Justiça italiana expediu mandados de prisão contra brasileiros por envolvimento na morte de italianos na Operação Condor e encontrou eco no assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia. A decisão do governo de analisar pedido de abertura de inquérito sobre os militares brasileiros acusados recebeu reforço do ministro especial da Secretaria dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi.
O retorno à paz com o retorno do papai ao lar não passou de outra pantomima: a casa nunca esteve em desordem. Pelo contrário, tudo funciona às mil maravilhas como uma engrenagem bem azeitada que segue o planejamento à risca!
Quem acreditar nas falácias, chorará!

Anônimo disse...

AJURI

Surgido do Amazonas, setentrião tropical, de Municipio a território, agora Estado, quase FATAL, tua terra rica e boa, de viver, plantar, criar, pioneiros te baraçaram e te fizeram prosperar, Roraima teu grito de morte ecoa no norte, pedindo para não morrer, mais os surdos mercadores, desta pátria traiodores, te retalham para vender.
Te sabemos cobiçada, não queremos te entregar, impondo estagnação, armarão pra te rifar, dando parte pra Inglaterra, num tratado imoral, alegando segurança e defesa ambiental. Roraima teu grito de morte, ecoa no norte, pedindo pra não morrer, mais os surdos mercadores, dessa pátria atraidores, te retalham pra vender. A falsa nação indígena, imposta a tua gente, não é mais que arapuca, sinistro meio ambinte, Cimentando numa cova, tanta coisa em ti querida, teu povo tua riqueza, chorandO tua morte em vida. roraima teu grito de morte ecoa no norte, pedindo pra não morrer, mais os surdos mercadores, dessa pátria traidores, te retalham, pra vender, Roraima teu grito de morte, desta pátria traidores, te retalham, pra vender.

Joaquim disse...

O Juiz da cidade de Bela Cruz/Ceará,Dr. ANDRÉ TEIXEIRA MAGALHAES, nem c.. de apito, nem cú de apito deixou registrar, registrando em uma atitude antagonica só JOAO BATISTA CORDEIRO, nome proprio do candidato, mas como o apelido é de mais de 30 anos, o povo não baixou a guarda e segurou a peteca mantendo nas reuniões o apelido que tanto motiva os simpatizantes dessa candidatura que sugiu de uma coligação de dois partidos PTB e PTN, de nome coligação MÃOS LIMPAS, tendo o numero da campanha o do PTN 19. Bela Cruz tem hoje 5 candidatos onde a justiça eleitoral de braços cruzado mais uma vez nessa eleição deixa haver não uma disputa eleitoral, e sim uma disputa de quem tem mais dinheiro, ficando a gente da coligação MAOS LIMPAS, fazendo uma campanha de pé no chão, fazendo reuniões improvisadas encima de casa, de carroça, de banco de madeira, enfim tentando a todo custo leva a população de 42 mil pessoas, que chegou a hora de mudar, pois Bela Cruz, tem um historico de cassação de prefeitos, nenhum prefeito conseguiu chegar até ao final do seu mandado, na última eleição o forum de Bela Cruz foi arrombado 3 vezes, e na última vez fizeram coco na mesa do Juiz, ato até hoje nunca apurado pela justiça. Enfim estamos na luta tendo como simbolo da nossa campanha o apito, como meio de aleta, mostrando para o povo que sempre no final de qualquer disputa o apito é o que dá o final da peleja.