sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Ex-presidente do Citibank se suicida em São Paulo

2a Edição de Sexta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão


O empresário Alcides de Souza Amaral, de 72 anos, ex-presidente do Citibank no Brasil, se suicidou hoje de manhã em São Paulo. Alcides se jogou do décimo segundo andar do prédio em que morava, na rua Jesuíno Arruda, 325, no Itaim Bibi. Jornalista por formação, ultimamente ele escrevia artigos para o jornal Estado de S. Paulo.

Num primeiro momento, não há relação entre a crise global e o gesto extremo. Amigos relatam que ele sofria de depressão. Tratava-se com medicamentos. Alcides escreveu o livro "Os limões de minha limonada", no qual conta sua trajetória como jornalista e executivo de bancos e descreve sua luta contra a depressão.

Alcides presidiu o Citibank S/A, no Brasil de 1998 a 2001. Foi também Presidente da ABBI- Associação Brasileira de Bancos Internacionais de 2000 a 2001, Conselheiro e Diretor da Febraban – Federação Brasileira de Bancos de 1985 a 2001, Conselheiro da Oxiteno, Grupo Maeda e Makenji (Sta. Catarina).

Foi eleito “Líder Empresarial do Mercosul” pela Gazeta Mercantil Latino-Americana em 2000, eleito um dos cinco Líderes Empresariais do setor financeiro do país pelos leitores da Gazeta Mercantial em 1999 e foi representante do Citibank S/A no Comite de Renegociação da Divida Externa Brasileira em New York, de 1991 a 1994.
Em nota oficial, o Citibank lamentou a morte do ex-executivo. "Lamentamos profundamente a perda do sr. Alcides Amaral. Ele sempre foi uma referência para todos nós do Citi e, sem dúvidas, deixará um enorme legado e muitas saudades".
O sepultamento será neste sábado, às 14 horas no Cemitério Gethsêmani.

45 comentários:

Unknown disse...

Depressão acontece, mas é estranho com uma pessoa dessa idade e com esse curriculum...

O Mascate disse...

Taí um exemplo que o LULLA deveria seguir!

Anônimo disse...

Até agora nimguém mais deu a notícia.

Anônimo disse...

Até agora ninguém mais deu a notícia.

Anônimo disse...

Hoje deixo de acompanhar o seu blog. Sua especulação sobre as razões de tão trágica notícia mostra que não só é pouco preparado como profissional como, também, não tem qualquer tipo de compromisso ético. Qualquer um sabe que por 20 anos ele enfrentou uma depressao severa, conforme ele mesmo disse em entrevista a Epoca. Ou seja, também és mal informado. O ponto é que especular as razões de uma tragédia que afeta profundamente uma família não é humano, nem jornalístico, nem nada.

Alerta Total disse...

O leitor anônimo ficou maluco?
Eu apenas noticiei á morte. Não fiz qualquer relação com qualquer crise. Não especulei nada, meu caro anônimo.

Anônimo disse...

Vocês jornalistas não possuem nenhuma sensibilidade com os familiares ao colocar uma notícia dessa forma.
Meus pessames Sr. Serrão.
Sylvia Piazza

Anônimo disse...

Serrão, não se impressione.
No Brasil tem uma multidão que le o que não foi escrito. Não sei movidos por qual força, mas estão por toda parte.

Alerta Total disse...

Sylvia Piazza,
Meus pessames sinceros à família do Sr Alcides Amaral - um profissional brilhante, pessoa corretíssima e que desistiu da vida de forma trágica para seus amigos e pessoas próximas.
Sempre discordei da orientação geral na imprensa de censurar notícias de suicídios. Não aceito censura nem auto-censura. Nos veículos que dirigi ou fui editor-chefe, sempre assumi o "ônus" de divulgar tais fatos humanamente lamentáveis, exatamente para que outros reflitam sobre o papel da vida. Da vida real. Do valor que esta vida tem. Valor que não tem a ver com os bens materiais. Infelizmente, muitos hoje levam uma vida fora da realidade, e isto é a csusa de muitos males existenciais e crises. Repito: Se dei tal notícia, lamentável, foi exatamente para não brigar contra os fatos e cumprir meu compromisso de informar, mesmo notícias ou informações que não me agradam.

Anônimo disse...

Nao existe censura. A pratica de nao divulgar suicidios nao é para defender o anonimato das familias, mas pq psicologos acreditam que a divulgacao da apoio para que mais casos ocorram, dando coragem para os que estao precisando de ajuda.

Malcolm Gladwell, famoso jornalista, defende causa parecida no estudo publicado em seu livro The Tipping Point.

Anônimo disse...

Caríssimos, o dia de hoje está se tornando péssimos para todos nós aqui do CIEE (Centro de Integração Empresa Escola). Para aqueles que o conheciam, Alcides era uma pessoa extremamente humilde e que adorava o que fazia.

A família CIEE deixa aos familiares e amigos do Dr. Alcides, um forte abraço e nossos sentimentos.

Bandeiras ficarão a meio pau!

Alerta Total disse...

A tese do Malcolm Gladwell é subjetiva. Insisto na questão correta e objetiva. Você não ensina alguém com exemplo negativo. O exemplo que vale é o positivo. É preciso valorizar a vida, sempre. O próprio Alcides, pelo que contam dele e pelo que escrevia, dava bons exemplos. O problema hoje é que nossa imprebsa não tem compromisso com a reflexão e nem gosta de fazer as pessoas pensarem - por diferentes motivos.

Temos a obrigação de noticiar tudo, sempre no enfoque de levar as pessoas a pensarem, a identificarem nos bons e maus exemplos, soluções, saídas criativas para a vida. Esta é a missão deste blog - que, graças a Deus, nem sempre agrada a gregos e baianos. E vida que segue...

Unknown disse...

Divulgar o fato ainda pode ser discutível, mas infomar o endereço completo já é ultrapassar o limite de respeito à família.

Renata disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Lamento profundamente a morte de Alcides Amaral. Á família, meus sentimentos. Aos muitos amigos e ex-colegas, a inesquecivel lembrança de um homem de bem.

Alerta Total disse...

Deixa de ser implicante, Renata. Perdoe os erros de digitação, no Brasil que escolheu Lula para presidente...

Anônimo disse...

Sr. Alcides foi um exemplo para todos aqueles que tiveram o privilegio de trabalhar/conversar/rir e chorar com ele...
Meus mais sinceros sentimentos à familia do sr. Alcides....

Anônimo disse...

Sr. Serrão
Cidadão, não podemos afirmar que nesse caso o suicídio se enquadra como um exemplo negativo. Prá início de conversa você não tem conhecimento dos reais motivos, qualquer pessoa um pouco lúcida sabe que remédios antidepressivos podem levar pessoas, mesmo com passado brilhante, a agir de forma impensada. É preciso valorizar a vida sempre e principalmente o passado das pessoas. Procure conhecer um pouco da obra do Alcides, tanto na área de trabalho, no convivio familiar e principalmente na social (asilos e creches).
Quando foi colocado endereço completo do local da tragédia, você ultrapassou todos os limites revelando o tipo de pessoa que você é (se isso pode ser chamado de pessoa).Sylvia Amaral

Alerta Total disse...

Implacável julgadora Sylvia Amaral,

Entenda uma coisa, antes de insistir com a agressão pessoal contra mim - que não matei ninguém e nem denegri a imagem de uma pessoa digna como o Alcides Amaral:

Não dá para fazer jornalismo desinformativo. Do tipo: Fulano morreu em São Paulo... Eu apenas informei o local da notícia, sem qualquer juízo de valor, que não cabe.

Por favor, não perca seu tempo com polêmicas inúteis e desnecessárias. O triste foi a tragédia humana. É ela que lamento. Você não sabe, porque não me conhece, mas eu ajudo muito gente a se manter vida - não só com meu trabalho jornalístico diário, mas em minhas outras atividades.

Portanto, pega leve... Vamos manter o respeito... Assim trato todos os meus leitores, até os que me odeiam e lêem por que só aqui saem informações que outros veículos não têm coragem de publicar.

Anônimo disse...

A crise, que começou financeira, transformou-se em econômica e, na ausência de governo, já está se transformando em crise social. A crise social é reflexo, à primeira vista, do maciço desemprego e na conseqüente queda de consumo e na inadimplência que acarretam menor produção e mais desemprego.

Insensível, o governo já projeta a mesma arrecadação de impostos verificada no ano passado, haja vista o impostômetro apresentar valor de 100 bilhões no mês de janeiro, o que projeta arrecadação de 1,1 trilhão de reais no ano. Um fio muito tênue, ao mesmo tempo em que separa, une a crise social à violência, principalmente nos grandes centros urbanos.

Os empregados, mais prudentes que o governo sindicalista, já abrem mão de salários integrais com a correspondente redução de jornada de trabalho, a fim de manter seus empregos. Mas, o governo perdulário, até agora não acenou com a redução de impostos e de gastos, como se vivesse num universo paralelo, imune aos problemas dos mortais que os sustentam.

Em breve teremos convulsão social e, sem forças armadas, uma possível guerra civil, de conseqüências castatróficas.

"LIBERTAS QUAE SERA TAMEN"

Anônimo disse...

Sr. Serrão
Tenha um pouco de humildade e muito menos arrogância em suas respostas aos leitores de seu blog.
Algum dos outros internautas já disse que o senhor, além da falta de compromisso ético, também é desinformado.
Nenhum outro veículo de imprensa noticiou a morte do sr. Alcides como suicídio, podendo muito bem ter sido um acidente, visto a medicação que ele estava tomando.
A imprensa decente e respeitosa - que não é o seu caso, arvorado em semideus e dono da verdade - está cuidadosa com o caso, anunciando que a polícia ainda vai verificar as causas da morte.
Tenha um pouco mais de respeito à verdadeira informação.
Eduardo

Anônimo disse...

Serrão, ética nada tem a ver com desinformação. Caso tenha se formado em jornalismo, deve ter visto algo sobre ética em casos de suicídio. Afinal, causa da morte, nesses casos não é de interesse público. Ainda mais no caso em que seu texto relaciona (de forma passiva) a morte e a crise.

Alerta Total disse...

Quem me rotula de semideus ou dono da verdade não acompanha o meu trabalho. Por favor, antes da crítica fácil e acomodada, dê uma lidinha em outros posts graves deste blog - como as notícias de hoje , que mostram não o suicídio de um ser humano, mas a falência múltipla e a morte de uma sociedade.

Agora, a morte de uma pessoa importante - qualquer seja a causa - é de interesse público, sim. Não dá para debater com críticos que usam argumentos subjetivos.

Anônimo disse...

Acho que está havendo um certo exaqgero na censura ao sr. Jorge Serrão. Em 1974 houve um suicídio de uma parente muito querida minha. Hoje, após trinta e cinco anos, ainda sofro muito por isso. Ser noticiado ou não, não aumenta nem dimnui a dor de tal ato de um ente querido. Tão grande é a dor, que não há palavras.
A pessoa que se joga da janela, se joga diante de um endereço e os transeuntes aí se reúnem, cirundando o morto e os familiares. Não são insensíveis ao fazerem isso. São tomados de perplexidade. E,mesmo entre os curiosos, há manifestações de solidariedade com os parentes. Creio que as vidas terminam por muitos motivos. Quem poderá entender?
Saber o motivo da morte não desmerece em nada a pessoa falecida: seu passado não se apequena, o carinho dos seus próximos continua inalterável. È um novo mundo de reflexão desconhecido para os que têm que encara o vazio.
Uma coisa é certa: a família fica marcada indelevelmente e não é por causa dos jornalistas ou das notícias.
Tenho liberdade de falar porque passei por isso.

Anônimo disse...

Sou amigo da familia e fiquei sabendo da tragedia graças ao post no blog. O fato aconteceu e foi simplesmente noticiado pelo alerta total. Nao vi problema nenhum nem falta de respeito. Meus pesames a familia.

MIL-B disse...

Corretíssimo o irmão Serrão. Nós do Movimento Integralista e Linearista Brasileiro MIL-B sabemos que o Controle do Mundo não está nas mãos de OBAMA, Sarkozy, Merkel, Lula, Evo Morales e essa camarilha de fantoches. Os nomes que devem ser lembrados é dos Rotschild, Rockfeller, JPMorgan, Warburg, Grupo Bilderberger, esses sim " As Forças Ocultas" que dominam o mundo. O Citibank, grupo pertencente ao JPMorgan é mais um " Templo dos Filhos de Mamonn". E mais banqueiros e ex-banqueiros vão acabar se suicidando, por que o Deus Verdadeiro, Jesus Cristo, resolveu punir os " Sacerdotes do Capital". Avante Serrão, jornalista independente e verdadeiro.

Anônimo disse...

"Conhecereis a verdade e ela vos
libertará "


Serrão, os que amam a verdade o
apoiam.

Fique com Deus.

Anônimo disse...

Parece que a bronca é pessoal.

O Terra também noticiou e ninguém foi lá contestar.

Serrão, pode me dizer qual a diferença entre cometer suicídio e se jogar do prédio.

Link do Terra: http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI3482956-EI6578,00.html

Anônimo disse...

Serrão, não se deixe abater por essas criaturas que publicaram essas mensagens desagradáveis em seu blog.
Aposto que a maior parte dos que lhe criticaram, deve ser PTralhas ou admiradores do Lula Ignorante Pinóquio da Silva.

Anônimo disse...

O deputado italiano Ettore Pirovano, do partido conservador Liga Norte, ironizou nesta sexta-feira o trabalho de juristas brasileiros ao comentar o refúgio político concedido ao ex-militante de esquerda Cesare Battisti. "Não me parece que o Brasil seja conhecido por seus juristas, mas sim por suas dançarinas", disse Pirovano. As informações são da agência Ansa.

Pivô de uma grave crise diplomática entre Brasil e Itália, Cesare Battisti foi condenado na Itália à prisão perpétua por quatro assassinatos cometidos, de acordo com a Justiça italiana, entre 1978 e 1979, quando era membro da organização Proletários Armados Pelo Comunismo (PAC). No dia 13 de janeiro, o italiano, que alega inocência, recebeu do ministro da justiça, Tarso Genro, o status de refugiado político, o que impede sua extradição.

Pirovano criticou duramente o ministro Genro por suas declarações à imprensa brasileira de que a Itália ainda vive fechada em seus "anos de chumbo". "Antes de pretender nos dar lições de Direito, o ministro da Justiça brasileiro faria bem se pensasse nisso não uma, mas mil vezes", disparou o deputado governista.

Pirovano lembrou que ainda vivem no Brasil ex-agentes do regime nazista, e questionou se para eles também vale a regra usada para dar o refúgio a Battisti. Para o deputado da Liga Norte, "cada nação deve pensar em como administrou internamente os próprios critérios de justiça e liberdade".

Um parecer final sobre o caso Battisti será emitido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em fevereiro. No começo da semana, o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, recomendou à corte a extinção do processo. Na quinta-feira o ministo Cezar Peluso, do STF, autorizou a Itália a se posicionar sobre o caso. O país terá cinco dias para atender à solicitação.
Redação Terra

Anônimo disse...

CRITICAS TAMBÉM SÃO BOAS POIS ELAS FAZEM SEU BLOG BOMBAR!

ITAPEMIRIM 36 disse...

Caro Jorge,

Eu acho que você pode noticiar o lamentavel fato.
Mas acho desnecessario o título. Lembre-se que o seu post ficará por muitos anos no Google e certamente a lembrança que gostariamos de ter do Sr Alcides não foi como ele faleceu mas sim da sua existencia.
Pelo menos pense sobre a mudança do seu título pela história de uma pessoa íntegra.
Pense se fosse com você.

Mauricio disse...

Não entendi porque tantas criticas a você,não houve especulação de sua parte,apenas noticiou o fato.Este senhor,não pensou na sua família,nos amigos nada,e foi,em um ultimo ato,covarde,em decidir em se atirar de um prédio....

Anônimo disse...

Aos prezados e incompreendidos (até por mim) comentaristas anônimos dos primeiros posts:

Que mal há em relatar tal notícia? Não vejo mal nenhum na comunicação. Quanto ao fato, é claro que muito em breve iria ser comunicado dada à notoriedade do cidadão em questão.

Outra coisa: a "causa mortis" não é de interesse público? É, sim, dado que a pessoa em questão é uma pessoa pública.

Se a questão levantada pelos comentaristas supracitados e não identificados era pessoal, registre-se: em minha família enfrentamos três suicídios e nem por isso me abalo pessoalmente com a notícia veiculada neste meio. Cada caso é único. Se não era pessoal, não vejo razão para tanto drama.

Se alguns agora deixarão de frequentar este veículo de comunicação, é uma pena. A partir de agora eu passarei a frequentar. Não por interesse mórbido em notícias funestas, e sim pelo compromisso inabalável com a informação. Grata pelo espaço e pela atenção.

Anônimo disse...

É uma notícia importante e pertinente ao momento atual, quando diversas empresas, inclusive estatais, se encalacraram por especular na Bolsa e em outros "investimentos". Vou dar mais um empurrão aos "indignados" com a verdade: um alto executivo, com essa bagagem, não pularia de lugar algum. A maioria dos deprimidos usa cordas e banquetas. Será que esse homem aplicou mal o dinheiro de outrem? Cabe à polícia o desfecho para esse misterioso caso, muito bem informado pelo responsável Serrão.

Anônimo disse...

Star, estou contigo e não abro. Que tal tomarmos um cafezinho? Anônimo ataca de novo!

Fred disse...

Status social, idade, nacionalidade, etc..., nada disso é levado em conta quando o assunto é depressão. É uma doença devastadora como o câncer o é. Não tem vontade, religião, Deus, ou família que possam impedir que o enfermo tome atitudes tão extremas pois ele está alheio a tudo e a todos. Deve-se ter muita paciência e principalmente conhecimento de como lidar com ela. A ignorância só cria frases infelizes que não ajudam em nada tal como "Você tem tudo para sair dessa".

Domaneschi disse...

Serrão,
o nível e intensidade dos comentários mostra a linha correta do Alerta,siga meu caro, o Brasil precisa de opções e inteligência para fazer o seu caminho,
a passagem para o oriente eterno é inexorável e varia quanto a maneira,

a sociedade nacional apenas reclama das decorrências de suas decisões,devemos sim propor, sugerir e lutar pelo que escolhemos,

lamentável é, que do fato que gerou todo o debate, que apenas mais um agente inconsciente tornou-se conhecido.

abraço meu caro,

Anônimo disse...

Anônimo

Palmas pela enorme contribuição ao nosso país!

Anônimo disse...

Serrão...dá um gato para cada um desses seus "criticos". Assim eles irão cuidar das sete vidas do gato e pararão de cuidar da sua......

Stephany de Bourbon

shopc disse...

O simples fato da grande mídia não usar a palavra suicídio nas notícias da morte do Ex-presidente do Citibank, denuncia a claro relação com a baixa do banco no mercado de ações. Saibam que nem mesmo pessoas que trabalham dentro do Citi ficaram sabendo da causa morte. Nunca vi uma operação abafa como esta.

Anônimo disse...

Alem de lamentar o ocorrido (sinceros pesames a familia) lamento esta turba que insiste em querer omitir as verdades do fato, o pior cego, eh aquele que nao quer ver.

JOEL RIBEIRO DO PRADOEL disse...

Eu estive na noite de autógrafos do livro OS LIMões DA MIONHA LIMONADA e aqté brinquei com o Alcides dizendo-lhe que, sendo a vida dele uma trajetória de grandes conquistas, o título do seu livro poderia ser S LIMÕES DA MINHA LARANJADA>: ELE LIMITOU-SE_DE A RIR... < EU COSTUMAVA OUVIR OS SEUS COMENT´RIOS NO JORNAL GENTE , DA RÁDIO BANDEIRANTRS AM - DEUS O ACOLHA! Joel Ribeiro do PRADO

Unknown disse...

Como médico, sei da devastação que um
processo depressivo pode operar em um
ser humano. A depressão aflige, de for
ma ostensiva ou insidiosa, milhões de
pessoas no mundo inteiro. Ela consti
tui o ..."verdadeiro impasse existen
cial sério", dizia um filósofo. Nin
guém merece um fim tão terrível.E,
Sr. Fernando, ninguém ..."deveria" se
guir esse "exemplo". Nem uma pessoa co
mo o Sr.

Unknown disse...

Como médico, sei da devastação que um
processo depressivo pode operar em um
ser humano. A depressão aflige, de for
ma ostensiva ou insidiosa, milhões de
pessoas no mundo inteiro. Ela consti
tui o ..."verdadeiro impasse existen
cial sério", dizia um filósofo. Nin
guém merece um fim tão terrível.E,
Sr. Fernando, ninguém ..."deveria" se
guir esse "exemplo". Nem uma pessoa co
mo o Sr.