sábado, 17 de janeiro de 2009

Lula desiste de apoiar fim da reeleição com 5 anos de mandato, mas prevê que isso pode acontecer em breve

Edição de Sábado do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão


Se o chefão Lula da Silva realmente desistiu de apoiar o fim da reeleição e um mandato presidencial de cinco anos – conforme revelou ontem Kennedy Alencar na Folha de S. Paulo -, é porque Lula ainda acredita na reeleição. Para um bom entendedor, a tese do terceiro mandato ainda está mais viva que nunca. Negá-la faz parte da estratégia oportunista e golpista do Palácio do Planalto.

A desculpa de que Lula não apóia agora o fim da reeleição, porque isso facilitaria um eventual acordo entre os tucanos José Serra e Aécio Neves, não passa de mais uma grande conversa para o BOI dormir ou se embriagar... Aliás: Por que a Folha de S. Paulo não deu manchete para notícia tão importante? Mistério editorial...

Ontem, na Venezuela, Lula fez uma previsão de que a reeleição indefinida venha a ser aprovada no Brasil, um dia: “Em mais de um século, este período de 20 anos é o mais longo da democracia no país. Estamos num processo de construção e fortalecimento das instituições no Brasil. Mas isso não impede que daqui a algum tempo apareça um partido político que proponha mudar a lei que proíbe ter apenas uma reeleição e proponha ter três ou quatro reeleições. Pode acontecer. Na hora que tivermos instituições consolidadas, legalidade política e o povo quiser, isso vai acontecer”.

Chávez pode...

O chefão Lula da Silva defendeu ontem a possibilidade de reeleição infinita para o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

Lula comentou que é o povo quem deve decidir sobre o assunto e que a iniciativa é válida, desde que no processo democrático todos possam concorrer e tenham direito de participar.

Lula ressaltou que não defende esse mecanismo no Brasil e que irá trabalhar para eleger o sucessor.

Diferença

Lula avalia que não se pode comparar processo venezuelano com o brasileiro, porque são culturas diferentes:

Minha posição é que eu não quero reeleição. O Brasil tem muito pouco tempo de experiência democrática. Agora, é óbvio que eu vou trabalhar para fazer o meu sucessor para dar continuidade aos programas do governo”.

Lula lembrou que até 1988 o mandato do presidente no Brasil era de seis anos, mas após a Constituinte, o mandato caiu para cinco anos, sem direito a reeleição, e, depois, o Congresso reduziu o prazo para quatro anos.

Leia abaixo as Rapidinhas Políticas e Econômicas

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 17 de Janeiro de 2009.

Um comentário:

Unknown disse...

A canalha no caminho da eternidade... Deus nos livre!

Bom fim de semana
Beijo