sábado, 28 de fevereiro de 2009

E a saúde de Lula? Vai muito mal...

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Os empreiteiros, generosos financiadores de campanhas eleitorais, estão rindo de cofrinho a cofrinho. Lula da Silva avisou ontem, pela terceira vez, que seu governo programa para anunciar uma nova data para o programa de incentivo à habitação popular. O chefão promete lançar, daqui a 15 ou 20 dias, o pacotão para construir 1 milhão de casas em dois anos. Lula garante que tem dinheiro para a empreitada.

Enquanto Lula faz mais uma promessa – no que promete ser uma grande estratégia para a pré-campanha presidencial (oferecer casa para todos) -, seu desgoverno tenta esconder – com ajuda da mídia amestrada por patrocínios de estatais – um verdadeiro descalabro na área de saúde. Não se sabe por que motivo o SUS (Sistema único de Saúde, criado e gerido no melhor estilo soviético) não repassa verbas para pagamento de profissionais de saúde em grandes centros e, principalmente, no Nordeste.

Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e tantos outros profissionais que já estão há quase dois meses sem receber em hospitais conveniados ao sistema do governo ficaram indignados com a imagem do Presidente da República, em plena Passarela do Samba do Rio de Janeiro, jogando camisinhas para o povo. Simbolicamente, os sem-salário entenderam: Lula quer nosfu...

A bomba da saúde está prestes a estourar... O triste é que a irresponsabilidade do desgoverno, que segura verbas da saúde inexplicavelmente, pode custar a vida de muitos brasileiros – inclusive de uma grande maioria dos 84% que garantem a popularidade de Lula. Será que o dinheiro da saúde foi aplicado em alguma operação financeira estranha e “tomou doril”?

Enquanto a crise é real no desgoverno, Lula prossegue em sua marketagem para a platéia – inclusive a internacional, com vistas à reunião dos chefes de Estado do G-20, em Londres – sede operacional da Oligarquia Financeira Transnacional que controla o mundo globalitário. Ontem, Lula soltou a pérola: "Esse país tão humilde e tão achincalhado, quando sentar na mesa do G20, certamente será um dos países que terá mais autoridade moral para falar como se cuida de um País".

Lula, se mostrarem o que está acontecendo na saúde, a saúde da sua imagem vai contrair uma grave doença... E o remédio, depois, pode ser amargo... Quem morrer não verá!

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Fevereiro de 2009.

13 comentários:

Anônimo disse...

Gostei deste artigo Serrão, acredito que estavas inspirado ao escrevê-lo.

Dê uma olhada nesse caso:

Um caso pertinente é o que tem ocorrido no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Repassando para os que não tenham lido a respeito, Simone Janson Nejar, ha mais de dez anos funcionária concursada no mais alto nível de funcionários da instituição, advogada, colocada em primeiro lugar no exame da OAB-RS no ano que fez o exame, representante do sindicato no seu departamento, cansada de ver cargos que poderiam ser ocupados de funcionários concursados da casa ser dirigidos a pessoas nomeadas em CC fez por curiosidade um levantamento do nepotismo no TJRS.

Ficou estarrecida assim que começou a desvendar o novelo de relacionamentos, descobriu ligações fraternas entre o Presidente do TJRS, Armíno José Abreu Lima da Rosa e empresas contratadas para executar serviços e denunciou formalmente estes desmandos, documentando-os copiosamente.

[...]

Em função das denúncias, capeadas por documentos, coligidas dentro da lei por advogada que prestou juramento, portando sendo triplamente obrigada a efetuar denúncia de maus atos que perceba pelo fato de, na qualidade de advogada ser membro da estrutura legal do país, ao ser concursada dever tal zelo pelo fato de ser membro permanente do sistema, e finalmente por ter cargo sindical dever lealdade aos seus pares como um todo, passa a ser tratada como se tivesse obrigação de subalterna de ocultar o que sabia

Simone Janson Nejar foi suspensa por sessenta dias e a seguir demitida.

Não entrarei aqui no significado da perda de sua renda mensal a uma mãe de família. Vou me estender sobre a ilegalidade dos atos cometidos pelo Presidente Armínio quer tenha ordenado ou autorizado estes atos passíveis de processo criminal

Em primeiro lugar aplica-se pressão psicológica contra uma pessoa que denuncia um crime e que será em data futura testemunha. Esta pressão é vedada na Carta Máter do Brasil.

Em segundo lugar infringe-se a indenidade do emprego de pessoa com cargo em sindicato, por muito que o sindicato posteriormente tenha se omitido de defendê-la, mas sabemos da incoerência dos sindicatos no Brasil...


Continua no endereço

http://www.diegocasagrande.com.br/index.php?flavor=lerArtigo&id=1061


Aragorn

Anônimo disse...

Gostei deste artigo Serrão, acredito que estavas inspirado ao escrevê-lo.

Dê uma olhada nesse caso:

Um caso pertinente é o que tem ocorrido no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Repassando para os que não tenham lido a respeito, Simone Janson Nejar, ha mais de dez anos funcionária concursada no mais alto nível de funcionários da instituição, advogada, colocada em primeiro lugar no exame da OAB-RS no ano que fez o exame, representante do sindicato no seu departamento, cansada de ver cargos que poderiam ser ocupados de funcionários concursados da casa ser dirigidos a pessoas nomeadas em CC fez por curiosidade um levantamento do nepotismo no TJRS.

Ficou estarrecida assim que começou a desvendar o novelo de relacionamentos, descobriu ligações fraternas entre o Presidente do TJRS, Armíno José Abreu Lima da Rosa e empresas contratadas para executar serviços e denunciou formalmente estes desmandos, documentando-os copiosamente.

[...]

Em função das denúncias, capeadas por documentos, coligidas dentro da lei por advogada que prestou juramento, portando sendo triplamente obrigada a efetuar denúncia de maus atos que perceba pelo fato de, na qualidade de advogada ser membro da estrutura legal do país, ao ser concursada dever tal zelo pelo fato de ser membro permanente do sistema, e finalmente por ter cargo sindical dever lealdade aos seus pares como um todo, passa a ser tratada como se tivesse obrigação de subalterna de ocultar o que sabia

Simone Janson Nejar foi suspensa por sessenta dias e a seguir demitida.

Não entrarei aqui no significado da perda de sua renda mensal a uma mãe de família. Vou me estender sobre a ilegalidade dos atos cometidos pelo Presidente Armínio quer tenha ordenado ou autorizado estes atos passíveis de processo criminal

Em primeiro lugar aplica-se pressão psicológica contra uma pessoa que denuncia um crime e que será em data futura testemunha. Esta pressão é vedada na Carta Máter do Brasil.

Em segundo lugar infringe-se a indenidade do emprego de pessoa com cargo em sindicato, por muito que o sindicato posteriormente tenha se omitido de defendê-la, mas sabemos da incoerência dos sindicatos no Brasil...


Continua no endereço

http://www.diegocasagrande.com.br/index.php?flavor=lerArtigo&id=1061


Aragorn

Anônimo disse...

A saude vai mal? É porque os médicos brasileiros, viciados no capitalismo não querem trabalhar...
LuLu pode convocar umas brigadas de médicos e estagiários cubanos, pagando 30 dolares por mês a cada um e dar jeito em tudo.
Que nem em Sta Cruz para combater a dengue... Que nem na Venezuela.
Construir casas? É só fazer mutirão que nem na ex-Russia e construir um monte de cohab.

Anônimo disse...

Quando não se tem dinheiro, estamos sempre pensando nele. Quando se tem, é muito difícil pensar em outra coisa...

Pobre daquele que necessita de um atendimento médico e não possui dinheiro para pagar um atendimento privado...Este, está literalmente “morto”.
Devemos preservar a nossa saúde física e mental a qualquer preço, pois é dela que nos valemos no nosso dia-à-dia.
O duro, o difícil, é em um mundo tão agitado (escrevo de São Paulo – Capital) termos o controle de 100% de nossas emoções e reações. Estamos sempre sobre o fio da navalha.
Quando se é jovem, a saúde (com raras exceções) não é a nossa principal preocupação, mas a saúde e a juventude não é eterna para ninguém. Daí, vão aos poucos, surgindo as deficiências. Ora aqui, ora ali, e o que antes era uma “Brastemp” agora passa a ser uma “pururuca”.
Então, primeiro a saúde, depois as vãs necessidades para suprir a nossa alma vivente.
Esta é a minha regra número um. E deixem os amantes da prata se fartarem da prata, pois no final mesmo o que conta é a saúde...
Abraços e parabéns pelo Blog.

Esperança disse...

Os noticiários que passam nas TV estão mostrando a calamidade pública.
Não é possível que os deputados e senadores não estejam acompanhando esse absurdo.
E o Ministério Público, ainda existe?

DO disse...

Creio que nada atinge o Pinócchio. É impressionante a habilidade que ele tem de fazer com que absolutamente nada cole nele.
Abraços!!

Esperança disse...

Liberdade de imprensa?????

EU NA SIBÉRIA
O ministro Paulo Bernardo (Planejamento) conseguiu. Em processo criminal, baseado na Lei de Imprensa de 1967 (sim, a da dita) fez proibir este escriba de falar de sua "vida pessoal" e condenou-me a vinte horas de trabalhos forçados em entidade filantrópica.

Nada tenho contra trabalho voluntário, desde que ele seja... voluntário. No meu caso, vou para a Sibéria.

Para lembrar o jargão preferido de Lula, chefe-mor de Paulo Bernardo, nunca antes na história se viu processo tão "ligeirinho". Fui intimado no sábado antes do Carnaval e seis dias depois condenado, ainda que a Justiça use o termo "conciliação frutífera". Frutífera para quem, ô cara?

Caberia aqui uma nota sobre o clima de convescote que permeou a audiência no Juizado Especial, em que se serviu água gelada e tricoteou-se amenidades, enquanto o Raskolnikóv aqui seguia para o cadafalso. O fato do juizado ter sofrido intervenção determinada pelo Tribunal de Justiça logo depois do Carnaval soa apenas como uma ironia fatalista.

De nada adiantou o argumento fresquíssimo àquela altura acerca da separação de Marta Suplicy e Luís Favre noticiada pela "imprensa séria" que, de certa maneira, batia com o objeto criminoso ali tratado, de autoria da "imprensa leviana", conforme afirmação do ministro petista.

Deu para entender, né? Notícia que não envolve o ministro é jornalismo sério. A que envolve é jornalismo leviano. Vai para os manuais de redação.

Quando enfim me foi dada a palavra, o juiz me considerou exaltado, ainda que tenha usado o mesmo tom do ministro.

Pobre de mim. Só queria lembrar a Paulo Bernardo e à sua consorte (como é mesmo o nome dela?) que o considerava uma pessoa iluminada, afinal já encontrara um jornalista sério. Eu de minha parte, tal qual Diógenes, ainda seguia com a lanterna em punho, em busca de um político da mesma estirpe.

De resto o que se viu foi o tribunal do absurdo.

Kafka adoraria a cena.

http://www.blogodomarcus.com.br/

Jurema Cappelletti disse...

O pior é que o povo se encanta com as oferendas governamentais. Luís Inácio é esperto; sabe enganar com promessas e 'doações' rocambolescas quem procura tratamento médico e não encontra. Passa mal, mas acredita em que lhe oferece um teto.

Anônimo disse...

E quem é lulla, tão imoral e amoral, pra falar em mostrar autoridade moral ?

Laguardia disse...

Tem um anônimo que não sabe o que fala. Os médicos do SUS recebem menos de R$5,00 por consulta e o SUS não paga. Dizer que o SUS vai mal porque os médicos não querem trabalhar é uma mentira deslavada e uma imoralidade. Típico de lulopetista.

O sistema SUS é tão bom que Lula se trata no Incor em São Paulo. Queria ver ele esperar na fila de antendimento de um hospital mal equipado e que não tem dinheiro nem para fazer limpeza, pois o SUS não paga.

Enquanto isto Lula samba na Sapacai, promove convescote para Dilma Rousseff. O que gastou nestes dois dias de convescote daria para pagar salário mínimo a 468 famílias durante um ano.

Uniblab disse...

Prezado Laguardia

Calma aí. Pelo que entendi, o anônimo ao qual você se refere usou de ironia, descrevendo como a propaganda lulista trataria a questão da saúde se houvesse comoção nacional.

BRAGA disse...

É Laguardia. Esses merdas que criticam os profissionais da saúde pública, são os que têm seus parentes salvos por eles (médicos, etc), mesmo sem as mínimas condições de trabalho, incluindo segurança pessoal. Enquanto isso, o Apedeuta-mor e sua súcia, que mereciam e merecem levar porrada e desprezo, se valem de alas vips dos hospitais públicos, pagas por nós e, as quais jamais teremos acesso, para se "tratarem".
Pior, a mídia "vendida" ao desgoverno, "baixa o pau" sem dó nem piedade na classe da área de saúde e educação (públicas). O povão acredita. Será que não há jornalistas venais, corruptos, aéticos e prostituídos também?
Acorda minha gente. Que esse cretino e sua "equipe" que nos desgovernam saibam que ser pobre não significa ser burro (há exceções).

Anônimo disse...

Que blog é este? que coisa besta!

vocês batem bem da cabeça ou são do PIG? há,há,há,iiiiiii.......

ISA