sábado, 5 de dezembro de 2009

Acreditar em quem?

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

As pessoas que ocupam o topo da pirâmide política, aquelas que mandam e desmandam, fazem e desfazem, prometem e esquecem, interferem abusivamente na vida das empresas e dos indivíduos. Aparecem bem arrumadinhas e maquiadas nos programas de TV, roubando as horas de descanso e convívio familiar aos que ficam hipnotizados, diante da “maquininha de fazer doido”, ouvindo mentiras repetitivas associadas a sons, cores e movimentos carregados de mensagens subliminares.

Os olhos e ouvidos conscientes parecem ver e ouvir uma coisa séria, uma mentira importante. Mas o inconsciente, que rege as decisões de cada dia, grava a mensagem das cores, gestos, símbolos que aparecem como relâmpago, em segundo plano. Mensagens que induzem comportamento e opiniões a gente não sabe de onde tirou. Mensagens repetidas e repetidas, até que a mente fique atrofiada, incapaz de censura, escravizada e sem capacidade de iniciativa para libertar-se.

Assim é formada a opinião pública dos carneiros conformistas. Dos que acreditam em mais em nada, em mais ninguém, nem em si mesmos. Os mentirosos maquiados arrumadinhos bloqueiam toda a possibilidade de pensar livremente. Os hipnotizados ficam prontos para divertir-se, viver a vida à espera do próximo espetáculo catártico de “rock”, “heavy” ou futebol, “show que distribui pequenas fortunas”, espetáculos das casas vigiadas, novelas.

As pessoas educadas na ausência de um objetivo de vida moral são induzidas a substituir valores espirituais por comportamentos bizarros. São induzidas a espelhar, macaquear “ídolos”, ou pensar que os regimes políticos vão resolver tudo. Prá que esquentar a cabeça? Assim, muitos vão pelo caminho da rotina burocrática, que garante uns trocados para alimentar os baratos alucinógenos, as “viagens” que levam ao banditismo e à morte prematura.

As instituições políticas estão desmoralizadas e conduzidas por psicopatas. A família, a religião, o clube social, a empresa atuando num mercado obediente ao direito, foram durante certo tempo, barreiras opostas aos estados gigantes e totalitários e concorreram para a queda de ditadores e governantes que excederam seus limites e responsabilidades.

Mudaram as regras da revolução gestada há mais de um século. Completa-se a destruição ética e moral, instala-se o vazio mental e espiritual. O ânimo social, com a vontade esgotada, sente o cerco e o caminho aberto para a implantação do estado global. A carga de informação é tanta, que se dificulta a compreensão e resolução do quebra cabeças das imagens utópicas, vendidas em embalagens coloridas e emocionantes.

Há muito, muito tempo mesmo, no topo da pirâmide social, reis e famílias tradicionais compravam os “mágicos”, que nem na lenda de Merlin, monopolizavam o conhecimento. Até hoje o conhecimento científico e as altas tecnologias são monopolizadas por uns poucos que decidem o que fazer com a vida de cada grupo social. Monopolizam a educação, a comunicação e até a distribuição dos remédios e alimentos, a informação e o lazer padronizado.

Os controladores das mega empresas são todos descendentes de reis, famílias tradicionais e banqueiros. Os mega empreendimentos transnacionais com suas marcas milionárias concentram a iniciativa privada, monopolizam a riqueza das nações e controlam as mentes com a tempestade de informação, ração diária em doses que atingem toda a população global.

Na base da pirâmide, suportando o peso das camadas superiores, estamos nós, que os deuses residentes no topo da pirâmide chamam de “comuns”, “povo”, “massa”, “gentinha” utilizada como bucha de canhão para a guerra e para o consumo de produtos supérfluos, consumo de ideologias, utopias, drogas e pornografias. Agora querem fazer o funeral coletivo das poucas liberdades que por instantes as nações conquistaram.

Só nos resta protestar, gritar, assumir a defesa da vida para sobreviver. Denunciar a submissão dos Lulas, Chávez e todos estes simuladores, aos propósitos mais escabrosos dos regentes sem face, que nos conduzem a passos largos para o ambiente orwelliano da nova ordem mundial. Onguistas, ambientalistas fascinados por Al Gore, políticos, padres e pastores teólogos da libertação, todos estes exércitos midiáticos pagos pelos que estão no topo da pirâmide do poder. Calar diante disto é morrer.

A minoria, empenhada em minar os obstáculos à vida e liberdade, vai estar sempre presentes, persistentes na busca do caminho que nos livre da tragédia imposta pela Nova Ordem Mundial. É uma condição de vida: protestar em defesa da liberdade em todas as esferas de atividade, seja educacional, religiosa, associativa, empresarial. Pensar livremente e aprender a descartar o que nos mandam pensar, dizer, fazer através das novelas, músicas, espetáculos, noticiários e outros meios de deformação comportamental.

Acreditar no milagre da vida e na força infinita que rege a vida. Restaurar os valores tradicionais e eleger uma missão: sair de m... em que nos meteram, com fé em Deus e cabeça erguida.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

2 comentários:

Anônimo disse...

No império romano, os escravos eram impedidos de constituir família.Isto os mantinha fracos, sem laços, dependentes do Estado.
Ontem, na novela da globo de fim de tarde, simulavam uma discussão em uma escola. O tema: manter ou não a máquina
de camisinhas na escola.
O objetivo: facilitar e estimular a promiscuidade infanto-juvenil, e com isto, aniquilar futuras famílias. Sem família, serão todos escravos do Estado.
O governo do PT e a globo estão seguindo direitinho as diretrizes da Nova Ordem Mundial.

BRAGA disse...

Boa noite Arlindo.
É triste, já no ocaso da vida vermos um país como o Brasil ter tamanho retrocesso. Moral, ético, patriotismo, etc. Essa nova ordem, escancarou geral com a criação da Comissão Trilateral, que digamos assim, deu um ordenamento ao que já vinha "existindo" por trás dos panos, desde a Companhia das Índias e assemelhados. Lula, o deslumbrado, está se "achando"! Mero repetidor, quando não servir mais, vai prá vala. Até o Kennedy, "sifu" (desculpe o termo).
Mas ainda tem um velho ditado que diz: "quanto mais no alto, maior o tombo!" Ah! Não se esqueçam do asteróide. É só pesquisar!
Um grande abraço,
Braga