segunda-feira, 14 de junho de 2010

O crescimento mundial do islamismo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por João Bosco Leal

Algum tempo atrás recebi um e-mail, mostrando um estudo sobre o crescimento da população islâmica no mundo, e, conforme esse estudo, este vem ocorrendo numa proporção muito maior do que o de qualquer outra população. Tanto que alguns países europeus já declararam ser irreversível a possibilidade de, dentro de algumas décadas, se tornarem países de maioria islâmica.

Segundo o mesmo estudo, isso vem ocorrendo porque nos países mais evoluídos culturalmente - em geral ocidentais com maioria religiosa cristã, de qualquer denominação religiosa -, a população estaria crescendo em um ritmo muito pequeno, estagnada, ou mesmo decrescendo, em virtude da opção por um menor número de filhos por casal, enquanto na população islâmica não há nenhum tipo de controle de natalidade e, consequentemente, a média do número de filhos por casal é muito elevada para os padrões atuais.

Declarações de líderes extremistas islâmicos, divulgadas pela imprensa mundial, deixam muito claro essa opção. Segundo estes, se não se conseguir o domínio pela força, como tem sido tentado de diversas formas, o domínio ocorrerá pela maioria populacional, em poucas décadas.

Com a vida moderna, no mundo ocidental, tornou-se muito difícil criar um filho, ou pelo custo econômico, ou pela preocupação dos futuros pais com os riscos hoje existentes, de drogas, violência e outros. Isso significa que, no ocidente, provavelmente os casais continuarão optando por nenhum, um, ou no máximo dois filhos. E, fazendo-se uma projeção não muito longa em termos de humanidade, matematicamente, devemos concordar que esse estudo não deixa de ter razão.

Uma série de protestos ocorridos em Nova York contra a construção de uma mesquita islâmica a uma distância de aproximadamente três quadras do local onde antes existiam as torres gêmeas do World Trade Center, que foram derrubadas exatamente por extremistas islâmicos, mostra bem a situação que está ocorrendo no mundo ocidental em relação a este aumento populacional.

Uma líder religiosa islâmica local, ao ser indagada pela imprensa sobre o que pensava daqueles protestos, respondeu que nos Estados Unidos já existem mais de 1,2 mil mesquitas como a que se pretendia construir e, ali mesmo, naquele bairro, já existia outra funcionando há anos.

Na Europa alguns países já pensaram ou pretenderam impedir o uso de burcas e de símbolos religiosos islâmicos em locais públicos, e se defrontaram com muitos protestos por parte dessa população, residente nesses locais.

No Brasil o crescimento islâmico já é facilmente notado. Não me recordo de haver presenciado, até a poucos anos, senhoras com trajes típicos caminhando por nossas ruas, e atualmente isso já é bastante comum. Mesquitas são encontradas com muita facilidade em praticamente todas as grandes cidades, e, em algumas cidades de menor porte, essa população já é de proporção bastante significativa.

Lutas, domínios e guerras religiosas ocorreram, historicamente, centenas de vezes. O ser humano, porém, certamente será capaz de encontrar uma solução, pacífica, que atenda a todos. Caso contrário, será irreversível, também, o fim do cristianismo e de qualquer outra religião que não seja o islamismo, e a história já nos mostrou, principalmente em se tratando de religião, que qualquer tipo de radicalismo ou unanimidade, não é nada recomendável. E a tentativa de sua implantação à força resultará, como no passado, em derramamento de sangue.

João Bosco Leal é Produtor Rural. www.joaoboscoleal.com.br

4 comentários:

Martim Berto Fuchs (64) disse...

No Irã existem igrejas cristãs funcionando ? Ou é proibido por Lei ? Ou é proibido na marra ? Nunca me ocorreu de verificar isto.

Anônimo disse...

Sou muçulmano e vejo como triste uma pessoa alienada sem conhecimento algum escrever um texto como este.

Eu era cristão e entrei para o islam e em toda historia do islam tem sido assim, o alcorão e a sharia proibem conversões a força e isto não funciona, a pessoa só finge seguir, quem segue mesmo é quem crê como é o caso atual do islam.

O texto tambem como de qualquer alienado moderno, ignora os genocidos americanos e judeus sionistas contra muçulmanos(ja são quase 20 milhões de muçulmanos mortos em mais de 25 ataques a paises islamicos nas ultimas decadas) e tambem ignora as famosas bandeiras falsas do mossad e da CIA, bandeira falsa é quando um exercito ataca seu propio territorio para gerar odio e justificar guerra contra um inimigo poderoso juntado assim varios povo contra eles, este foi o caso do WTC por exemplo, implodido pela CIA e tudo orquestrado minimamente pelos generais americanos e judeus sionistas e existem muitas provas disso e até documentos revelados.

Por fim vemos um cidadão feito de bobo por judeus sionistas e americanos, mais que quer continuar assim, crente em sua amarra cultural jura que sua cultura esta correta e as dos bilhões de indianos e chineses erradas(por ex), que sorte a do escritor em? nasceu no país certo na epoca certa onde a verdadeira religião e verdadeira cultura existem , que beleza.

Anônimo disse...

vamos instalar várias igrejas lá no país deles e fazer filhos feito coelho lá pra ver...deportar os extremistas é a solução.

Anônimo disse...

Se você quiser conhecer o assunto, é essencial ler o livro: 610 O Império das Trevas Reage, de C. A. Machado. Nele o autor demonstra o aspecto espiritual dessa batalha entre o cristianismo e o islamismo. e-mail: ageprintbook@gmail.com