segunda-feira, 11 de abril de 2011

Execrável oportunismo na tragédia de Realengo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Thomas Korontai

Não há como evitar a comoção pela ocorrência de fato tão grave como o de um assassinato de 12 crianças, marcando ainda, para sempre, as vidas de muitas pessoas que sobreviveram, crianças e adultos, pais e professores. Mas a loucura humana é imprevisível. Não se tratava, em nenhum momento, de um ataque com fundo político, ideológico, étnico ou religioso, como ocorrem em outras nações. Resta apenas reforçar a segurança nas escolas.

Há uma dificuldade muito grande de se lidar com a arma no Brasil, tanto pela falta de costume e conhecimento real de como se lida com uma, quanto pelas implicações feitas por desarmamentistas com suas incansáveis batalhas pelo desarmamento da população. E nisso, reside nosso protesto, esse oportunismo político, por um fato isolado em uma cidade conhecida como violenta, pelo menos até o presente momento, em face do banditismo e das drogas. Repetimos aqui: fato isolado em uma cidade.

O federalismo pressupõe que cada estado e até cada municípios deva possuir um alto grau de autonomia, com direito de adotar a medida que julgar cabível para cada caso, cada situação, cada circunstância, desafio ou cada oportunidade. E mesmo que uma cidade ou estado adotem uma medida que não esteja nas proibições principiológicas da Carta Maior – a Constituição do País – não significa que tal medida deva ser implementada em todo território nacional.

A volta com mais força do tema focado no desarmamento em todo o País reflete um inescrupuloso oportunismo, baseado nas infelicidades de tantas famílias ora enlutadas, típico de gente que ficou absolutamente cega até para os melhores princípios de ética. Em lugar nenhum do mundo civilizado o cidadão normal, dono de suas faculdades mentais, que seja possuidor de arma para a sua defesa pessoal e de sua família sai por aí atirando, matando pessoas. O fato aconteceu, como aconteceu nos EUA em algumas ocasiões, tal como ocorre com a queda de aviões, acidentes com automóveis ou mesmo assassinatos com facas. O que se poderia fazer? Proibir aviões, carros e facas só para ficar nestes exemplos?

Protestamos, pois, veementemente contra os inescrupulosos, insensatos e insensíveis agentes a serviço da exclusão de um direito humano legítimo – o da auto-defesa. Que respeitem o luto das famílias que acabaram de enterrar seus pequenos, junto com seus sonhos. Que respeitem, no mínimo, esse legítimo direito humano de chorar e rezar, pois suas ações, nesse momento, se comparam a dos abutres. Respeito é bom e todos gostam.

Thomas Korontai é fundador e líder do Movimento Federalista – www.movimentofederalista.org.br

8 comentários:

Marcelo Delfino disse...

Excelente texto. Eu também detonei essa picaretagem, em artigo escrito ontem: http://brasilpaisdetolos.blogspot.com/2011/04/derrotados-do-referendo-de-2005-ainda.html

Anônimo disse...

Para quem estuda história sabe que sempre que um ditador toma o poder ou antes de começar uma guerra a primeira coisa que o governo faz é passar leis proibindo o uso de armas, até o Hitler passou uma lei proibindo armas.

Essas leis de proibição de armas vem dos satanistas da ONU que representam a elite do mundo, pois eles sabem que um povo desarmado e indefeso é fácil de controlar e manter sempre com medo.

O governo brasiliense é hipócrita ao extremo, gostam de vangloriar os estados unidos como uma grande democracia, um exemplo a ser seguido, e ignoram o fato que na constituição deles estar escrito que é essencial que o povo tenha acesso a armas e se necessário formar MILÍCIAS ARMADAS para caso o governo se torne TIRÂNICO (pt) o povo possa remover esse governo A FORÇA.

Aqui no Brasil o povo já está sofrendo a anos com esse desarmamento pois a quantidade de crimes nunca para de crescer.

Sou a favor de armas os professores! e porte de arma deveria seguir o mesmo trâmite para tirar uma carteira de motorista.

Associar essas tragédias com a necessidade de desarmar o povo é realmente "Execrável"

Anônimo disse...

Também protesto veementemente contra os inescrupulosos, insensatos e insensíveis agentes a serviço da exclusão de um direito humano legítimo – o da auto-defesa.

Não è a arma que mata mas sim quem a empunha!

Mas para completa tomada do Poder, todos esses bolcheviques retardados mentais, esses loucos petralhas esquerdopatas, esse PT (partido terrorista) continuam querendo desarmar a população. Já è tarde! Já ninguém vai em conversas!

Começem pelo bolchevique tarso genro que possui duas pistolas em casa!

Anônimo disse...

Ainda a absurda atribuição de 4 das mais altas condecorações militares brasileiras a uma terrorista que por força de votos com urnas eletrônicas comprovadamente manipuláveis 100%, chegou ao mais alto cargo político que um civil pode ser chamado a cumprir, sem que nada de nada tenha feito pelas Forças Armadas do Brasil, sem que determinasse o urgente reaparelhamento das Forças Armadas, para que cumpram bem a sua função constitucional da defesa da soberania, torna-se no minimo, estranho!

A triste conclusão que de imediato salta aos olhos, è que a atribuição dessas condecorações, apenas e unicamente servem de agradecimento para a perpetua manutenção as próprias funções por parte desses 4 "guardiões", em troca de um cartão corporativo a cada um, com um fabuloso saldo secreto, tipo, segredo de estado!

Airton Leitão disse...

Com licença, mas assino embaixo. Fiz uma postagem hoje abordando o mesmo tema.

Mario disse...

Do decálogo de Lênin:
10.. Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa.

Pergunta que se deve fazer da qual os imbecis (para dizer o mínimo) desarmamentistas fogem: A proibição total de portar armas teria impedido esse e tantos outros crimes?

Evidente que não, pois quase todos os crimes são praticados com armas de fogo adquiridas ilegalmente.

No mais, discordo em se afirmar que esse caso específico não tem conotação fanática religiosa. Há, no mínimo, que se investigar essa possiblidade, até porque o maluco tinha se convertido ao islamismo.

Luciano disse...

Eu tenho a impressão de que o estado brasileiro não teme bandidos nem psicopatas, mais sim os cidadãos de bem. Afinal, são estes que possuem a legitimidade, a força e o direito moral de mudar ou derrubar um governo corrupto e decadente.

Em tempo, já pensaram nas consequências se a tragédia tivesse ocorrido em São Paulo?

Skorpio disse...

Uma arma como aquela utilizada por aquele psicopata, de remuniciamento sofisticado, e tanta munição que ele possuia, poderiam ter sido adquiridas legalamente?
Será que o senhor José Sarney, o ministro da justiça e o Viva Rio acham que somos idiotas?