quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

“Oposição” ameaça pressionar para que Gilberto Carvalho explique sua relação com advogada da Máfia do DF

Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Leia mais artigos no site Fique Alertawww.fiquealerta.net
Por Jorge Serrão

Não deve ser para valer, como de costume. Mas a oposição ensaia mais um ataque ao centro nervoso do governo DilmaRousseff-Lula da Silva. Líderes da “oposição” na Câmara e no Senado ameaçam cobrar explicações do secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, sobre seu suposto envolvimento com a "Máfia do Distrito Federal" e as ações criminosas de Durval Barbosa, autor de vídeos de pagamento de propina para politicagem do Distrito Federal – naquele esquema que queimou o governador José Roberto Arruda.

Gilberto Carvalho deverá ser alvo de uma representação no Ministério Público Federal. Também pode ser investigado, a pedido da oposição, pela Comissão de Ética Pública da Presidência da República. Reportagem de capa da revista Veja revelou que Carvalho manteve “relações de amizade” com uma bela e sedutora advogada alagoana que prestava serviços para o cabeça da chamada "Máfia do DF", desarticulada pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal em 2009. Naquele tempo, o “Sacristão do Palácio do Planalto” (como opositores o chamam) era o todo-poderoso chefe de gabinete do chefão Luiz Inácio Lula da Silva.

A sempre contida “oposição” sabe que bater no Carvalho significa acertar diretamente em Lula. O Cardeal Carvalho é o articulador e fiel guardião de todos os segredos do chefão Extalinácio, desde casos rumurosos, como o seqüestro, tortura e bárbaro assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, de quem Carvalho era assessor direto. Por enquanto, o caso da Advogada corrupta com Carvalho recebe, da mídia amestrada, o mais discreto tratamento – sempre seguindo a regra de abafar más notícias que comprometam a cúpula petralha.

Mantega na maior m...

A “oposição” no Senado sacramentou uma representação contra o ministro Guido Mantega amparada em "indícios da prática de atos de improbidade administrativa", em razão de sua omissão quanto a fatos ocorridos na Casa da Moeda.

Os senadores alegam que Mantega fora conivente com o "esquema de corrupção comandado pelo presidente daquela empresa pública, vinculada ao ministério da Fazenda, e seu consequente enriquecimento ilícito".

A representação afirma que Guido Mantega, inicialmente "sabia das acusações contra o chefe da Casa da Moeda, Luiz Felipe Denucci, ou seja, mesmo após ter sido alertado oficialmente de que ele estava sendo investigado pela Receita e pela Polícia Federal e, logo, que existiam robustos indícios de corrupção, o ministro manteve Denucci no comando da Casa da Moeda, com isso dando causa à continuidade dos atos lesivos ao interesse público".

O Crime compensa

O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, conhecido como o operador do mensalão, foi condenado a nove anos de prisão pela prática dos crimes de sonegação fiscal e falsificação de documentos públicos.

Em novembro do ano passado, Valério havia sido condenado a seis anos de prisão por prestar informações falsas ao Banco Central.

Como responde a tudo, recorrendo em liberdade, as duas condenações são mais um exemplo de como os poderosos e bem articulados politicamente escapam de punição no Brasil das impunidades.

Vai dar am alguma coisa?

Marcos Valério é réu no processo principal do "mensalão mineiro", que envolve a participação de políticos tucanos e seus aliados em Minas, corre no âmbito da primeira instância da Justiça estadual e ainda está em fase de tomada de depoimentos de testemunhas.

Também é réu no processo principal do mensalão petista está em fase mais avançada e tramita no Superior Tribunal Federal, podendo até ser julgado este ano.

Já pensou o que pode acontecer se Valério for o único culpado em todas essas histórias de corrupção?

O fugitivo

O senador Demóstenes Torres (GO) ironizou ontem a resistência da base governista em aprovar o convite para que o ministro Fernando Pimentel preste esclarecimentos ao Congresso Nacional:

No Senado, o ministro é considerado um fugitivo. Sugiro que como Cesare Battisti (ex-ativista político acusado de assassinato que ganhou refúgio político no Brasil) peça refúgio no Palácio do Planalto.

A Comissão de Ética Pública da Presidência deve analisar a representação da oposição questionando a conduta de Pimentel a frente do ministério.

Punição?

Por 12 votos a dois, o Conselho Nacional de Justiça puniu com aposentadoria compulsória, a pena máxima em um processo disciplinar, o desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro Roberto Wider.

Ele foi condenado por ter nomeado para comandar cartórios do Rio dois advogados sem a necessidade de aprovação em concurso público.

Wider, que foi corregedor geral de Justiça do Rio, está afastado de suas funções desde janeiro de 2010, quando o CNJ abriu o processo administrativo contra ele.

Absolvido

O Conselho Nacional de Justiça julgou improcedente o processo administrativo disciplinar 0004057-42.2010.2.00.0000, contra o desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa, do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Amazonas (TRE-AM).

Moutinho era acusado de agir com parcialidade no julgamento de processos que envolviam interesses econômicos e políticos de seus familiares.

O magistrado teria inclusive pressionado um juiz de primeiro grau a decidir em favor de seus interesses. Entretanto, o magistrado negou a acusação.

Pode ou não pode?

A corregedora do Conselho Nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, insiste em baixar uma resolução para limitar a participação de magistrados em congressos e eventos patrocinados por entidades privadas.

O receio é de que haja incompatibilidade ética com a atividade do profissional, já que muitas vezes o patrocinador responde a processo no mesmo tribunal onde o juiz trabalha.

Os demais membros do CNJ, divididos, concordaram em submeter a proposta a consulta pública na Internet.

Só em dois meses eles decidirão se aceitam ou não a ideia.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.


Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 15 de Fevereiro de 2011.

3 comentários:

Anônimo disse...

Jorge

Você è um vidente!

"Não deve ser para valer, como de costume."

Claro que não è nem vai ser. A terrorista grossa e mal encarada entre outras coisas mais, vai encher os bolsos desses vagabundos da política e eles vão ladrar para outro lado!

Vai uma cerveja de aposta?

Anônimo disse...

fernando haddad e kassab adoraram o tal kit gay, mais própriamente o membro fálico emborrachado! Tem quem lhe chame de kit anti-homofobia! Será que que ambos o exprimentaram um no outro já que são ambos defensores da terceira via sexual? Hetero convitos, não são. Isso ainda è continuará sendo coisa de macho, previlégio de macho coisa que ambos deixam muito a desejar! Basta olhar para eles!

Ambos vão ser cobrados nos votos!

http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=11985&Itemid=141

Jonecy Leite disse...

Para esse governo corruPTo dossiê é curriculo