sábado, 16 de fevereiro de 2013

Tempo Quaresmal


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Baptista Herkenhoff

A Quarta-Feira de Cinzas marca o início da Quaresma. Não só a Igreja Católica celebra o tempo quaresmal. Também a Igreja Luterana, a Igreja Presbiteriana, a Igreja Anglicana e muitas outras Igrejas Cristãs debruçam-se, com reverência, nesta quadra do calendário, à face do mistério do Cristo que foi crucificado e ressuscitou.

Algumas Igrejas Cristãs, que guardam a Quaresma, não adotam o ritual da imposição das Cinzas, uma tradição católica que leva milhões de pessoas aos templos, pelo mundo afora, para ouvir a advertência solene: “Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris.” (Lembra-te, homem, de que és pó e em pó hás de tornar).

A Eucaristia, um dos sete sacramentos, foi durante séculos e continua sendo até hoje matéria de divergência doutrinária entre as Igrejas cristãs.

O ponto que gera a discussão resulta do entendimento de que somente o sacerdote católico  poderia presidir à celebração da despedida de Jesus cumprindo seu testamento: “Fazei isto em memória de mim até a consumação dos séculos.”

Não me parece que o tema possa ter interpretação estreita.

Creio que a promessa de Jesus Cristo, na última Ceia, não pode, de forma alguma, encerrar-se nos arraiais da fé católica.

Onde se celebre a Ceia cristã, em memória do Ressuscitado, na Esperança do advento do Reino definitivo e na luta pelo Reino provisório, que deve ser um Reino de Justiça, ali se repete a Ceia do Senhor.

Nestes tempos de Ecumenismo, quando todos os cristãos devem dar as mãos para construir um mundo mais humano, a Eucaristia não pode dividir.  O Cristo pediu a unidade, o Cristo quer a unidade, o Cristo é a unidade.

Para além do domínio cristão, creio que celebram a memória do Crucificado, mesmo sem pronunciar Seu Santo Nome, todos aqueles que lutam pela Verdade, abominam as exclusões e as discriminações, procuram construir a Fraternidade.

Eucaristia e Justiça são inseparáveis.  Comunga o Senhor Jesus quem comunga o Irmão, quem socorre o fraco, quem enfrenta a onipotência do opressor, quem se solidariza com o oprimido.

Jesus Cristo pode estar em toda parte.  Mas o Cristo está sobretudo no meio dos operários, nas favelas, nos hospitais, nas prisões. Ali onde estão os pequeninos, ali está o Cristo Libertador, como anúncio de Esperança, consolo dos aflitos, auxílio dos que sofrem.

O livro do Deuteronômio contém este preceito:

"Buscarás a Justiça, unicamente a Justiça, para que possas viver".

Buscarás a Justiça e não apenas aprovarás ou aplaudirás a Justiça — este é o conselho do Profeta.

Na segunda parte do texto vem a conclusão:  para que possas viver.

A Justiça é condição de sobrevivência.  Só uma sociedade justa pode sobreviver.

João Baptista Herkenhoff é magistrado aposentado, Livre-Docente da Universidade Federal do Espírito Santo, conferencista e escritor. E-mail: jbherkenhoff@uol.com.br Homepage: www.jbherkenhoff.com.br

2 comentários:

Anônimo disse...

Não existe justiça, a qual é efêmera dependendo do usuário. A justiça a que todos tentam alcançar como pináculo de uma civilização idônea, nada mais é do que a verdade. A verdade é simples como 1 e 0! A ela devemos perseguir! Pois por mais que às vezes doa, a verdade é insofismável. É acalentadora, tranqüilizante, pacifica e excitante como um psicotrópico. A “justiça” por outro lado, baseia-se em textos escritos pelo homem, propositalmente complexos, a maioria das vezes de forma ambígua, incitando interpretações diferentes para fins diferentes. É óbvio a qualquer cidadão, que o motivo que se leva a escrever textos dessa maneira é exatamente o de se contornar a verdade e se fazer justiça, encomendada. Jmv

Manoel Vigas disse...




Saudações.

Ilmo. Sr. João Baptista Herkenhoff

*************************
Tempo Quaresmal
sábado, 16 de fevereiro de 2013
DO TEXTO:
“Creio que a promessa de Jesus Cristo, na última Ceia, não pode, de forma alguma, encerrar-se nos arraiais da fé católica.”

DESCULPE, NUNCA HOUVE REGISTRO DO PRONUNCIAMENTO DE JESUS CRISTO.

TUDO QUE TEMOS APÓS 325 D.C, no Concílio de Nicéia, quando

foi fundada, oficialmente, a Igreja Católica...foi:

“OUTROS” (na verdade muitos outros), ATRIBUINDO
“ensinamentos” QUE “ELE” (JESUS CRISTO) NOS LEGOU !!!

*************************

IMPORTANTE É CONSTATAR PESSOALMENTE O QUE É VERDADE E O QUE É FALÁCIA ( e não sair repetindo o que foi dito ).

QUEM TEVE O CUIDADO DE LER OS ESCRITOS “DITOS SAGRADOS” JAMAIS VIU ESCRITO UMA FRASE DITA POR JESUS CRISTO.

TUDO QUE TEMOS SÃO “OUTROS” DIZENDO QUE “ELE” DISSE.

*************************

A PROPÓSITO DE “PRONUNCIAMENTOS”:

Mais de seis décadas depois da descoberta dos Manuscritos do Mar Morto — e milhares de anos após terem sido escritos — Israel completou a disponibilização on-line das cinco mil imagens dos mais antigos textos bíblicos conhecidos, numa parceria com a Google.

CONFIRA:
The Digital Dead Sea Scrolls

http://dss.collections.imj.org.il/


***********************
NOTA SOBRE OS Manuscritos do Mar Morto :

POR QUE OS CRISTÃOS NUNCA TIVERAM ACESSO IRRESTRITO E ....... POSSE CONJUNTA COM OS JUDEUS ?

E, ....... O "PODEROSO VATICANO" ( maior interessado ), POR QUE NUNCA RECLAMOU ?

E, ........ QUANTO AOS "OUTROS PERGAMINHOS ARQUIVADOS EM ISRAEL"

...... SERÃO LIBERADOS PELOS JUDEUS ?

****************************
TALVES NOS "MANUSCRITOS" QUE AINDA NÃO FORAM DIVULGADOS, POSSA EXISTIR UMA FRASE DITA POR JESUS CRISTO ! ! !

ATÉ LA´, NÃO TEMOS NADA.

Atenciosamente.
Manoel Vigas