segunda-feira, 15 de julho de 2013

Aumento das dívidas das famílias e dificuldades para quitá-las aumenta desgaste de imagem de Dilma

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alerta – www.fiquealerta.net
Por Jorge Serrão
serrao@alertatotal.net

O valor total das dívidas das famílias brasileiras atingiu R$ 16,2 bilhões no ano de 2012. A média do endividamento é de R$ 1.950,00 por família. Pelo menos 22% estão com contas em atraso. A taxa de renda comprometida com o pagamento de dívidas é de 30%. Na comparação com o ano de 2011, o valor total da dívida das famílias teve um aumento real de R$ 346 milhões em 2012.

O reflexo destes números sobre o dia-a-dia das pessoas, tabulados pela pesquisa Fecomércio-SP “Radiografia do Endividamento das Famílias Brasileiras”, com base em indicadores do IBGE, é que assustam o governo. O problema concreto na hora de pagar contas reflete na indignação da classe média. Afinal, a dívida pode aumentar com a alta do custo de vida e a subida de juros sob a desculpa de conter a suposta inflação (em um país que tem o Real como moeda sobrevalorizada).

Na interpretação da Fecomercio-SP, o valor das dívidas cresceu em função da maior oferta de crédito em 2012. Os números tendem a dar uma freada porque os bancos, mesmo com dinheiro sobrando, relutam em liberar novos financiamentos. A prioridade é facilitar renegociações dos débitos, o que gera ainda mais lucro, com a subidinha da taxa selic para 8,5%. De qualquer forma, o endividamento gera pressão psicossocial – o que reflete no mau humor dos encalacrados devedores em relação ao governo – o que afeta a popularidade da Presidenta Dilma Rousseff.

A Fecomercio adverte: “O sistema pode se tornar vulnerável diante de cenários imprevistos de inflação, como em 2012, quando houve uma imposição da redução de consumo e uma elevação do valor das dívidas em atraso”.

Coisas mudando...



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 15 de Julho de 2013.

7 comentários:

Anônimo disse...

Muitos devem estar pagando por eletros da pior qualidade, descartáveis mesmo, estragam antes de serem pagos, eu aqui com minha velha maquina de lavar roupas fabricada nos anos dourados, firme e forte, lembro da histórinha de um camponês que comprou um carro fabricado pelo vizinho e foi reclamar que o carro tinha problema na embreagem, levou um chá de cadeira tão grande que resolveu fazer um carro também, sem o problema de embreagem, o carro comprado era uma Ferrari e o vizinho que foi reclamar chamava-se Lamborghini, os carros eram feitos para durar 300.000 km sem encheção de saco, claro que o systema não gostou e assim nosso planeta vai se tornando um grande depósito de lixo flutuando no espaço.
Não custa lembrar, era para estarmos todos rindo a tôa, mas uma minoria bandida nos enganou e continua a enganar, até quando???
Quando vejo os lixões a céu aberto perto das cidades me dá vontade de pendurar os políticos num pau de arrarra e colocar sem vaselina um eletrodo no fiofó e ligar no 220, deixar fritando até aprender, uma coisa tão barata de se resolver e ficam fazendo o diabo, mas o que é preciso fazer os vermes não fazem.
É óbvio que este estado de caos é fruto dos desgovernos, tudo não passa de reflexo, quem precisa de uma democracia dessas a não ser os vermes de plantão?

Jair - SP disse...

É isso mesmo. Obsolescência Programada. E essa canalha quer nos manter assim pelos próximos cem anos. Quer comer? Alimentos só de multinacionais. Quer beber? Idem. Ninguém vai mais poder fazer qualquer empreendimento, já que alguém andou assinando a Agenda 21 sem qualquer consulta ao povo.

Anônimo disse...

A teia está se revelando: Cada dia um partido se apossa do Movimento!!! quando vai acabar???

Anônimo disse...

O New York Times, que pertence a um figurão da Nova Ordem Mundial, desce o pu em cima da bulgara!

Será mensagem sublimar demais?

"Desespero da presidenta


The New York Times faz análise das atitudes de Dilma diante de protestos vemprarua


Artigo diz que ao pedir conselhos para Lula, a presidenta passa por marionete do mentor

A inabilidade política da presidenta Dilma foi tema de um artigo do The New York Times, escrito pelo desafeto de Lula, Larry Rohter. Aquele do visto suspenso, etc. Em seu artigo, Rohter faz uma análise das decisões da presidenta, desde o início dos protestos, e praticamente todas se voltaram contra ela.

Constituinte, plebiscito e até o dinheiro dos royalties para a educação e saúde, segundo Rohter, são ideias jogadas ao vento e sem nenhum efeito prático. As manifestações continuaram e a presidenta ficou sem saber o que fazer.

“Um mês após surgirem manifestações contra a corrupção oficial, superfaturamento das obras de infraestrutura e dos estádios da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, brutalidade policial e inúmeros outros assuntos, uma nuvem de desespero aparece no governo dela”, diz o artigo.

O jornalista ainda lembra as vaias que tem atormentado a presidenta, inclusive quanto às recebidas pelos prefeitos, logo após anunciar a liberação de R$ 3 bilhões para a Saúde nos municípios. Greves e fogo amigo tem atormentado Dilma como se não fosse sobrar ninguém para estender-lhe a mão.

(...)"

http://resistenciademocraticabr.blogspot.com.br/2013/07/desespero-da-presidenta.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+ResistnciaDemocrtica+(Resist%C3%AAncia+Democr%C3%A1tica)

Anônimo disse...

"Dilma sem fronteiras
Em resposta às demandas da sociedade, Dilma exerce o direito de ingerência que acredita que o seu status de chefe da nação lhe confere

Passadas duas semanas da grande mobilização do dia 20 de junho, ainda que não tenhamos um diagnóstico único e preciso sobre o que levou mais de um milhão de pessoas às ruas na simbólica quinta-feira, é possível afirmar com contundência: Dilma não tem fronteiras. Em resposta às demandas da sociedade, exerce o direito de ingerência que acredita que o seu status de chefe da nação lhe confere. Depois da atabalhoada proposta de convocar uma Assembleia Constituinte de caráter exclusivo, transmutada na proposta de um plebiscito para a reforma política, deu uma trégua à ingerência sobre o poder legislativo para influenciar diretamente a formação dos médicos brasileiros. Em resposta aos clamores da população por melhorias na saúde, lançou o controvertido programa Mais Médicos, que obriga a todos os estudantes de medicina, de universidades públicas ou privadas, a passar dois anos trabalhando para o SUS como precondição para receber o diploma.

(...)"

http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/dilma-sem-fronteiras/

glauco disse...

Essa é a receita de como se faz uma crise econômica. Estamos da segunda etapa, a terceira e cortar o crédito. Então a economia irá recuar, a inflação não irá parar de subir e com as dívidas o povo irá perder seus bens e os bancos que lucraram muito com juros poderão comprar tudo por uma fração do valor.
Tudo se repete como já acontece a séculos, e aconteceu recentemente na Europa e EUA. Aqui vai ser igual.
Parece que o Chile vai ser o próximo.

Anônimo disse...

Caro Jorge,
Em outras ocasioes em que postei aqui e em que discordei de suas interpretacoes economicas, o meu comentario nao foi publicado.
No intuito de esclarecer os leitores deste blog vou discordar novamente c/ algumas afirmacoes suas que no meu entender nao fazem sentido. Voce disse:

"Afinal, a dívida pode aumentar com a alta do custo de vida e a subida de juros sob a desculpa de conter a suposta inflação (em um país que tem o Real como moeda sobrevalorizada)"

1- a subida de juros e necessaria e tardia. Nao e desculpa pra nada.
2- a inflacao nao e uma suposicao, ela existe e e muito maior do que o desgoverno propala.
3- o real nao esta mais sobrevalorizado e moeda fraca e desacreditada nunca ajudou pais nenhum.
Quantas moedas fracas e desacreditadas o Brasil ja teve? Varias, certo? E deu no que deu.