sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

E os políticos?

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

As cenas fortes de batalha campal, transmitidas ao vivo e a cores pela televisão, durante  a partida entre o Vaco da Gama e o Atlético Paranaense em Joinville, cuja recorrência vem aumentando nos últimos tempos, têm como efeito nefasto, é óbvio, o afastamento cada vez maior  dos estádios, dos verdadeiros apaixonados por futebol e das famílias, os que abrilhantam o espetáculo, dando lugar a selvagens e assassinos travestidos de torcedores. 

Esses episódios, no entanto, remetem-nos a temores bem mais fundamentais, ligados à inescapável sensação de falência da nossa justiça e de sua incapacidade ser aplicada com um mínimo de eficiência, no sentido de fortalecer a confiança da sociedade. 

A um ano da copa do mundo, numa época em que a tecnologia permite identificar com nitidez os protagonistas de tais acontecimentos, verificamos com tristeza a ausência completa de punições e, inclusive, o retorno daqueles vândalos aos estádios, em partidas posteriores. 

O que se vê, em contrapartida? Um lamentável jogo de empurra entre o Ministério Público e a Polícia do estado de Santa Catarina, sem as necessárias iniciativas para resolver o problema e penalizar exemplarmente os responsáveis.  

Será que os melancólicos eventos que se verificam com frequência cada vez mais preocupante nas nossas arenas constituem somente a metástase de um tumor mais grave que vem retirando a saúde e a vitalidade da sociedade? 

Se for, é necessário um tratamento urgente com remédios fortes e, às vezes, amargos. 

É a grande oportunidade de nossos políticos se mostrarem dispostos a melhorar o baixo conceito de que desfrutam entre a população, ao invés de tentarem vender uma imagem de "boas praças" e emitirem declarações cosméticas, dando conta de que em várias partes do mundo ocorrem fatos semelhantes.


Paulo Roberto Gotaç é Capitão-de-Mar-e-Guerra, reformado.

Nenhum comentário: