segunda-feira, 31 de março de 2014

Lembranças de 64


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net 
Por João Baptista Herkenhoff

Dentre os muitos atos de arbítrio praticados pela Revolução de 1964, um dos mais revoltantes foi a pena de silêncio imposta a Dom Hélder Câmara. Dom Hélder não podia fazer palestra em lugar algum. Quem se atravesse a furar o bloqueio podia ser punido. O nome do Bispo não podia ser mencionado nos jornais, no rádio ou na televisão.

Não obstante a proibição, tive a honra de homenagear Dom Hélder num artigo publicado no semanário “A Ordem”, de São José do Calçado, cidade e comarca onde exercia, na época, a função de Juiz de Direito. O texto contestatório foi estampado na edição de 4 de agosto de 1969, quando estava em plena vigência o Ato Institucional Número 5. Escolhi para o artigo um título ameno (Reflexões após um período de férias), título que, de alguma forma me protegia e protegia também o Prefeito, responsável pelo bom comportamento do jornal, que era editado pelo Município.

Os censores (que como todo censor não prima pela inteligência e tem preguiça de ler um texto até o fim) não poderiam imaginar que o articulista, após o gozo de merecidas férias, estivesse refletindo sobre a brutalidade de calar o Profeta Hélder Câmara. Lembre-se que, nesses tristes tempos de Brasil, os magistrados tinham sido privados da garantia de vitaliciedade. Um simples decreto mandava o juiz vestir pijama. Até ministros do Supremo Tribunal Federal foram então compulsoriamente aposentados.

Mencionar estes fatos é importante, principalmente para conhecimento dos jovens, a fim de que compreendam o valor da Democracia e da Liberdade e estejam vigilantes. Atrás de teses nobres e justas (defesa da família, luta contra a corrupção) escondem-se muitas vezes propósitos espúrios. É preciso cuidado para separar o joio do trigo e surpreender o lobo camuflado na pele de cordeiro.
         
Não obstante todos os problemas e dificuldades que o país está enfrentando, ninguém pode hoje ser punido pelo que pensa, fala ou escreve.
         
Não devemos rememorar 64 com ódio ou sentimento de vingança. O que cabe é celebrar a reconquista do estado de direito, que foi fruto da luta do povo unido reclamando “Diretas já”, anistia ampla, geral e irrestrita, convocação de uma Assembleia Constituinte livre e soberana.
         
Há muito ainda a ser feito. Temos de acabar com a fome. Todos os seres humanos têm direito ao repouso noturno numa casa, ainda que modesta, mas de cujas janelas possam ser contempladas as estrelas. Lugar de crianças e adolescentes é numa escola de excelente qualidade, não é numa prisão, por mais românticos que sejam os vocábulos concebidos para significar cadeia para menores.

João Baptista Herkenhoff é magistrado aposentado e Livre-Docente da Universidade Federal do Espírito Santo. Foi um dos fundadores e primeiro presidente da Comissão de Justiça e Paz, da Arquidiocese e Vitória. CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2197242784380520 - E-mail: jbherkenhoff@uol.com.br

6 comentários:

Anônimo disse...

Alguém pode explicar estes artigos nos links abaixo?

A esquerda queria trocar uma ditadura por outra nos moldes da antiga União Soviética que morreram milhões de pessoas por tortura e execução.


http://otambosi.blogspot.com.br/2014/03/esquerdas-queriam-trocar-uma-ditadura.html

E tem mais este artigo. Por que reclamam de censura se hoje estão nos censurando quando discordamos das políticas esquerdistas que só roubam e provoca uma quebradeira no país, incitam o ódio uns contra os outros e apoia tudo que é tipo de bandidagem?

http://www.libertar.in/2014/03/censura-petista-criticos-do-governo.html


Deve ser porque eu falo a verdade, por isto, estou sempre bloqueada no facebook.





Anônimo disse...

Vejam o que diz o texto "ninguém pode hoje ser punido pelo que pensa, fala ou escreve".Será mesmo, vc não deve tá falando do Brasil. Olha o que tá acontecendo com a repórter do sbt.

Anônimo disse...

O que temos hoje é desordem, baderna,
corrupção. Se isto é democracia, en-
tão estamos no paraíso e não sabemos.
O que me deixa perplexo é este artigo
partir de uma pessoa esclarecida com
conhecimentos acima de uma pessoa nor
mal(raciocínio). Tenho 74 anos de ida
de e vivi este período, que para mim
e minha família foi a salvação deste
país os militares assumirem o poder e
restaurar a verdadeira democracia que
é um bem maior de qualquer Nação. Imaginem como estaríamos hoje se não tivesse havido esta salvação.No
mínimo seríamos satélite da Rússia. Se juízes eram compulsória-
mente aposentados naquela época, era porque desejava ver este País comunizado. Hoje temos um judiciá-
rio que não decide obedecendo as
leis, mas decidindo politicamente em suas sentenças. Que DEUS nos guarde desta patifaria que está aí.
suas sentenças

Anônimo disse...

Se estudarmos atentamente a biografia de Dom Helder, veremos que ele comungava com os ideais do comunismo. Tinha alguma ligação com o Partido Comunista Brasileiro.

Anônimo disse...

Se estudarmos atentamente a biografia de Dom Helder, veremos que ele comungava com os ideais do comunismo. Tinha alguma ligação com o Partido Comunista Brasileiro.

Anônimo disse...

Don Hélder traiu a Igreja Católica e os seus fiéis.
Ele e outros comunistas de batina davam proteção, guarida e escondiam guerrilheiros e terroristas, armas e dinheiro em vários porões das catedrais de São Pedro.
Os túneis do Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro-RJ,por exemplo, ainda devem preservar o cheiro de pólvora exalado pelos poros daqueles assassinos, psicopatas marxistas, que por lá transitaram.