terça-feira, 1 de abril de 2014

Relação de Vítimas


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Ilich Santos Azambuja

Ricardo Noblat: Você publicou em sua coluna os nomes dos 362 mortos e desaparecidos durante a luta armada que teve início com o atentado no Aeroporto dos Guararapes em 1966, que matou duas pessoas e feriu 17, Então, ainda não havia AI-5. 

Você deveria publicar também que o terrorismo teve início em 1961, ainda no governo Jânio Quadros, quando o primeiro grupo de terroristas foi enviado à China para receber treinamento de guerrilhas. 

Você sabia disso?  Se não sabia bastava ler O Globo da época!  Você deveria publicar também os nomes das 130 vítimas do terrorismo aloprado. 

Para saber seus nomes bastaria ler O Globo!  Você sabia que os terroristas praticaram sequestros de aviões e de autoridades estrangeiras (embaixadores da Alemanha, da Suiça e o Cônsul do Japão) e brasileiras (Salles, Alonso, Beltran Martinez, Olivetto e Abilio Diniz), assaltos, assassinatos e justiçamentos, alguns de seus próprios companheiros?  Se não sabia, como o Lula, bastaria ler O Globo da época"!  

Você não publicou que a Organização VPR, à qual pertencia a presidentA da República mandou pelos ares o Soldado Mario Kosel Filho, sentinela de uma Organização militar em SP, que trucidou a coronhadas o Ten Mendes, da PMSP, no Vale da Ribeira, o Capitão Chandler, na frente de sua mulher e seus flhos, em São Paulo  — um dos matadores, anistiado e recompensado financeiramente, não se cansa de dar entrevistas a jornais, inclusive ao O Globo —, do Major da Alemanha, aluno da EsCEME, na Praia Vermelha, do marinheiro inglês (que não me lembro o nome, mas Você pode buscar no google). 

Você sabia disso?  Se não sabia, bastava ler O Globo da época. 
Você deveria escrever também sobre os justiçamentos, como os de Hening Boilesen, e dos próprios companheiros, como Marcio Leite Toledo, metralhado nas ruas de São Paulo por um seu companheiro da ALN que nunca foi preso. 

Se não sabia, bastava ler O Globo da época. 

Você deveria escrever sobre a insana Guerrilha do Araguaia, onde o primeiro a ser morto foi um militar do Exército, Se não sabia, bastava ler O Globo. 
Enfim, O Globo perdeu credibilidade, alegando que o apoio  — inclusive em artigo assinado pelo próprio Roberto Marinho — foi "um erro editorial". 

Agora, como a (C) Omissão da Verdade, o jornal atira em uma única direção para posar de bom moço para o Partido dos petralhas que atualmente desgoverna o país (basta ler O Globo). 

O Globo transformou-se em um jornal escroto graças a seus redatores de agora que ignoram o passado e o seu fundador Roberto Marinho!  Tudo isso eu escrevi ontem em carta para o Globo, mas como a carta não continha elogios, não foi publicada.


Carlos Ilich Santos Azambuja é Historiador - azamba7424@terra.com.br.

2 comentários:

Unknown disse...

É impressionante como todos os comunistas cínicos, ex-terroristas e integrantes da comissão da meia verdade mentem e tentam passar a idéia, que os guerrilheiros de 1964 foram uma espécie de heróis que lutaram pela democracia, contra a opressão da ditadura militar sobre o povo, na verdade eles lutaram pelos interesses deles, que era implementar uma ditadura comunista em nosso País, com o beneplácito da Rússia que os financiava e de Cuba, que os treinava com táticas de guerrilhas, objetivando derrubar o governo militar pelas armas e assumir o poder para nos escravizar, como acontece em Cuba, na Rússia e outros Países que mantém esse regime desumano, destaque-se que pegar em armas, fez parte do plano B desses guerrilheiros, que planejavam em avant premiere, introduzir o comunismo soviético stalinista aqui no Brasil.
Nenhum deles era santo, todos eles eram guerrilheiros comunistas, eles mataram, seqüestraram e torturaram pessoas tanto quanto os militares, eles invadiram quartéis matando soldados, assaltaram bancos e promoveram atentados com bombas, matando e mutilando pessoas inocentes.
Vale salientar que em momento algum eles tiveram apoio do povo, que nunca confiou neles.
Tenho plena certeza que esses comunistas no comando do País, seriam muito mais deletérios, opressores, antidemocráticos e sanguinários, do que foram os militares e nosso País estaria em condições miseráveis, semelhante as condições de Cuba e todos os outros países comunistas, onde somente os líderes vivem como reis e o povo vive escravizado, com comida racionada, sem nenhum direito individual ou garantia constitucional, o povo vive socializado e nivelado na miséria, enquanto os líderes socializam a riqueza e o status, em uma ditadura de partido único, que governa a seu bel prazer, com o legislativo e o judiciário a seu serviço, onde os políticos não servem ao povo mais se servem do povo, onde não existe liberdade de imprensa, nem de expressão ou pensamento, onde qualquer um poderá ser um delator do governo tirânico, que prende, tortura e mata quem dele venha a discordar ou criticar, inclusive seus próprios membros, como aconteceu muito na Rússia stalinista e acontece em Cuba e outros Paises de regime correlato, que fuzila seus dissidentes em nome da democracia comunista que não aceita objeção.
Os comunistas mataram estão matando e irão matar muita gente ainda pelo mundo, eles mataram mais que o nazismo, odeiam a democracia que é o governo do povo para o povo, onde todo o poder emana do povo, que elege seus representantes para governar e legislar, através do multipartidarismo e do pluralismo ideológico.
O comunismo ao contrário da democracia, é um governo autoritário de partido único, onde um grupo de opressores se apoderam do País e se perpetuam no poder, contra a vontade popular, governando para seus interesses próprios com mão de ferro sobre um povo oprimido que nasce e morre escravizado pelo Estado que os vampiriza.
Veja com seus próprios olhos:
https://www.youtube.com/watch?v=k_lj7ri48_8&hd=1
http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1046

Anônimo disse...

aaaanjr57, muda o tom! Não existiram "guerrilheiros de 64". Existiram os militares de 64! Os guerrilheiros existiam (antes de 64), existiram e ainda existem! Os militares vieram e se foram num breve momento dessa existência.

Além disso, corta essa de dar munição a bandido e usar esses termos de que houve "opressão militar sobre o povo". O povo nunca foi oprimido por nada. O povo demandou ação dos militares. Esse termo é criação dos inimigos, então não o use! Não conheço uma história da minha enorme família à época ou de qualquer um de minhas relações que tenha sofrido, reclamado ou mesmo insinuado de sofrer opressão dos militares. Agora, os 'comunistas' estavam em guerra declarada e se houve "opressão" contra eles é por que não existe guerra sem ela.