domingo, 5 de outubro de 2014

Os nossos novos Monarcas


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Valmir Fonseca

Breve, brevíssimo, estaremos onde os incautos ambicionam, no fundo do poço.

Na história da humanidade, a maioria dos povos sempre amoldou - se como sobreviveria imersa na sanha de uns poucos, que sabedores de que a massa não vive, mas vegeta, assumem o poder sobre as submissas sociedades.

As sociedades, brancas, pretas, sabidas ou burras, licenciosas ou religiosas, têm como ponto comum a inércia e a inépcia.

Infelizmente, esta é a nossa história.

A massa humanoide se limita a ser mandada. Quem manda, não importa, basta que lhe brinde com algum pão e algum circo.

Nas ocasiões em que algum grupo revoltou - se, ele não representava a massa, porém algum grupo, que desejava assumir o poder e dar um basta nos abusos.

Quando isso aconteceu, em geral através das armas, os poderosos anteriores foram sumariamente anulados e um novo dono assumiu.

Assim, mudam - se os donos, mas o povinho permanece o mesmo, obediente, e seguindo a sua vidinha.

Em poucos dias, seremos mais ou muito mais comunistas. Contudo, o povinho nem sabe o que isto significa. Nem se importa.

Na prática, é como se tivéssemos enterrado as antigas monarquias, quando os herdeiros “eleitos” por um direito divino assumiam as rédeas do poder com a morte do seu falecido rei.

Tivemos os faraós, os aiatolás, os reis, os imperadores, os ditadores, os tiranos e qualquer tipo de mandante, conforme a nossa torta história humanística.

Ao povo, cabe a eterna obediência.

O comunismo, da mesma forma possui os seus herdeiros, e, por isso, adotado como o regime político de um país, só os membros privilegiados da família marxista é que serão os herdeiros do regime.

Tivemos o Lula, e depois o Lula, e depois a Dilma, em breve a Dilma ou talvez a Marina, e mais tarde o Lula, ou qualquer outro membro do partido, e assim será por centenas de anos.

O poder passa de pai para filho, seja de Marx, seja de Stalin, seja de Mao, de Fidel ou de Chávez.

O povo nem se importa, pois é submisso por sua própria natureza, tanto que na sua história admitiu que alguns nacionais eram abençoados por Deus para submetê-los aos seus desígnios.

Hoje, morto e enterrado o herdeiro de "sangue", preferem o herdeiro comunista, como se os privilegiados fossem abençoados pelo divino.

Embora ainda existam alguns idiotas como nós, que gostariam que a sociedade fosse mais esclarecida, lamentavelmente, os nativos brasileiros estão se lixando para a existência de padrões de moralidade ou de parâmetros, que julgam só poderiam prejudicar o seu doce modo de vida.

Hoje, o Brasil ocupa o topo como o pior em muitas coisas para o “orgulho nacional”. Somos o mais homicida, o mais corrupto, o mais licencioso, o mais drogado, o mais “social”, o mais carnavalesco, e o mais futebolístico.

Somos uma escória feliz, tanto que chafurdamos na lama, alegres e pernósticos. E, quando alguém fala em mudança, logo é amaldiçoado e repudiado.

Portanto, não espere um novo dia ou um novo rumo.
O povo não quer.
Quem sabe, não vai surgir um novo “grupo” para consertar as últimas décadas de incúria?


Valmir Fonseca Azevedo Pereira é General de Brigada reformado.

5 comentários:

Anônimo disse...

O pior são aqueles que têm o dever de zelar pelas instituições, nossa soberania e nossa segurança interna e que por omissão, covardia ou venalidade estão lavando as mãos, como o senhor e seus pares. Traidores!

Loumari disse...

Os ingratos são como as varejas; pois assim como estas empeçonham o corpo que as sustenta, eles vendem os protectores que os agasalham.
"José Martiniano de Alencar
Brasil 1829 // 1877 Escritor
Tema - Ingratidão

Anônimo disse...

É se esquecem que existe o irmão do norte e o braço forte aqui no
Brasil na hora H não passaram.

GRIFÃO disse...

Senhor general Fonseca: os senhores, militares, é que foram os responsáveis pela ascensão de Lulla, do PT; os senhores é que nos legaram essa merda toda, e poderiam ter evitado isso se tivessem compreendido que não são aptos para dirigir, pois treinados e condicionados para comandar. Erraram também em não terem implantado o Federalismo aqui no Brasil. Federalismo? Claro, pois essa tal de republica federativa brasileira é um engodo, não funciona, pois Federalismo e República são imiscíveis,imcompatíveis.

ducamillo disse...

Sou obrigado a concordar com o Sr. Estéfani afinal quem permitiu a volta destes comunistas? Creio que ainda exista tempo para se redimirem deste erro e mandá-los todos para Cuba, Venezuela, Bolivia e até mesmo para o inferno.
Robertho Camillo.