terça-feira, 17 de março de 2015

O Povo sem CUT


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ernesto Caruso

Povo sem CUT e sem medo. Sem amarras. Sem quentinha, bolsa manifesto. Na cara e na coragem. Velhos, crianças, família de verde-amarelo, pensando Brasil, clamando pela paz, liberdade para o cidadão e prisão para o bandido corrupto. Emoção. Não há quem na distância dos grandes centros ou nas inúmeras cidades, presente, não sinta o grito de revolta, de indignação que está entalado na garganta de todos diante dos depoimentos, onde a palavra propina é pronunciada de forma repetitiva e descarada.

Propina... propina... de cá e de lá.  Aos milhões, milhões que são a sustentação do poder corrupto emaranhado, combinado nos porões de Brasília, do governo central. Repetição do mensalão que a suprema cegueira da Justiça suprema não enxergou como quadrilha, onde os núcleos empresariais, financeiros e políticos trocavam informações e se acertavam na propina. Hoje em pauta igual.

Povo sem amarras, sem o toma lá, da cá, com a liberdade que nem os partidos têm subjugados por seus donos e imposições de líderes a serviço do governo para o voto de cabresto e não com a própria consciência. Meia dúzia de caciques a determinar o que fazer e a quem beneficiar. Não é o número de partidos que atrapalha, são os grilhões nos pés dos parlamentares controlados pelos capatazes.

É essa a voz da rua. Para o governo Dilma/PT que repele. Para os ministros da Suprema Corte que batem os ombros às críticas, como se viu nas entrevistas do Min. Dias Toffoli que ao invés de se dizer impedido de julgar os enquadrados na operação Lava Jato muda de Turma exatamente para fazê-lo, tendo sido advogado do PT, alvo da delação premiada acusando o seu tesoureiro.

O cartaz “totofoli chega de maracutaia” chamou a atenção do cinegrafista da TV. No passado recente um político exclamou “estou me lixando para a opinião pública”. Poder, pode, mas... Polido? Politicamente correto?

Voz da rua principalmente para o Congresso Nacional. Deputados e Senadores que não queiram se vender, nem sucumbir sob os escombros do governo Dilma/Lula/PT visto e tido como mentor e interesse em se manter no poder a todo custo. Que tenham a coragem e respeito a si próprios até para impor o impeachment reclamado com medida importante, cirúrgica, drástica, mas necessária para vencer este momento de instabilidade política e administrativa. A sugar e definhar empresas do porte da Petrobras.

Voz da rua que não se contenta com as migalhas em suas mãos como esmolas, mas que não preenchem as suas necessidades em trabalho digno, assistência à família em especial no item saúde. Terrorismo diário nas portas dos hospitais públicos que não cumprem as regras de contrato no plano de saúde assinado entre o povo trabalhador, governo e SUS. O trabalhador paga já deduzidos os valores no contracheque sem a contrapartida dos governos central e regionais.

Gente que não aguenta mais os investimentos no exterior com verbas secretas do BNDES e a falência de tudo em todos os cantos do território. Que não aceita mais a “presidenta” mostrar na televisão o país da maravilha que não encontra nos transportes da casa ao trabalho, no posto médico vizinho, no bairro das ruas esburacadas, que enchem quando chove e que como diz o poeta, de dia falta água, de noite falta luz.

O recado está dado. A ampla e intensa demonstração da vontade popular não parece que vai esmorecer e deixar que termine em pizza. Se não ocorrer o impeachment ou a renúncia que enfim traria a paz e a esperança do aprofundamento das investigações nos bancos oficiais e empresas, sem as autoridades atuais, outros protestos virão. Firmeza e determinação estão presentes na pacífica revolta popular. Que inflamada pode deixar de ser.

Ernesto Caruso é Coronel de Artilharia e Estado Maior, reformado, do EB.

5 comentários:

Anônimo disse...

Acabei de ler a entrevista do FHC para o Valor e digo-lhe que o medo dele e de todos os demais partidos é que os militares voltem ao poder.
Eles vão se aglutinar, PT, PMDB e PSDB para enrolar o povo mais uma vez.
Mas estaremos vigilantes e confio em Deus e no FFAA que se preciso contaremos com braço forte do povo brasileiro: os MILITARES.

Emanoel

Anônimo disse...

Cleonice I Ferreira disse: Sr.Coronel Ernesto Caruso, o povo sabe que não é só o PT responsável por esta desordem e anárquia. Impeachment ou renúncia da presidente Dilma não resolve nada, isto é o mesmo que achar que pode enganar o povo, é continuar tudo piorando cada vaz mais. Estamos numa infame guerra civil não declarada.Uma guerra suja, não suportamos mais esse faz de conta que está tudo normal, porque está tudo caótico. É normal todos os dias pais desesperados, enterrando seus filhos? As drogas destruindo as famílias, suas casas como se fossem cupins? Sabemos por meio da história que quando a família está destruída, PÁTRIA destruída, tudo destruído.
Um impeachment já foi suficiente para mostrar ao povo para quê serve, enganar o povo.
Que Deus ilumine a todos.

Anônimo disse...

Cleonice I Ferreira disse: Sr.Coronel Ernesto Caruso, o povo sabe que não é só o PT responsável por esta desordem e anárquia. Impeachment ou renúncia da presidente Dilma não resolve nada, isto é o mesmo que achar que pode enganar o povo, é continuar tudo piorando cada vaz mais. Estamos numa infame guerra civil não declarada.Uma guerra suja, não suportamos mais esse faz de conta que está tudo normal, porque está tudo caótico. É normal todos os dias pais desesperados, enterrando seus filhos? As drogas destruindo as famílias, suas casas como se fossem cupins? Sabemos por meio da história que quando a família está destruída, PÁTRIA destruída, tudo destruído.
Um impeachment já foi suficiente para mostrar ao povo para quê serve, enganar o povo.
Que Deus ilumine a todos.

Anônimo disse...

Esperar por impeachment...Vocês só podem estar brincando! Onde estão as Fraquezas Desarmadas do Brasil? Os generalecos (nem mesmo os de Facebook) estão com a língua no rabo e nem vieram a público falar alguma coisa. Eles já estão tão desmoralizados que não sabem mais que desculpa inventar para justificar a COVARDIA e a CONIVÊNCIA CRIMINOSA daqueles que estão na ativa.

Anônimo disse...

Parece que os tucanos paulistas estão devendo ao distinto público uma explicação.
Ano passado o Sindicato dos Metroviários propôs que o governo liberasse as catracas em troca do fim da greve. Geraldo Tucano deixou claro: 'Não! Pois liberar as catracas é ilegal'. Porém... Liberar as catracas em uma manifestação contra o partido ao qual o governador faz oposição pode? A atitude chama atenção não só por ser inusitada, mas pelo simbolismo que carrega. ( Metro libera a Catraca para Manifestantes anti Dilma - https://www.youtube.com/watch?v=fE4v8Y2aZdU ). A passagem ainda custa R$3,50 mas... 'passe livre', só em manifestação anti-Dilma/PT?