domingo, 1 de março de 2020

CIÚMES



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Há varios tipos de ciúmes:

-do companheiro (a) em relação a (ao) companheira (o);
-do (a) intelectual em relação a outro (a) pensante;
-do bibliófilo em relação a seus livros;
-do (a) vaidoso(a) em relação aos que lhe ofuscam, etc.

Inconformados com sua singela aparência, as pessoas buscam ornamentos de toda sorte: mantos, chapéus, plumas, fardões...

O ciúme é cúmplice da vaidade.

Criam-se condecorações, pseudo títulos de nobreza e vários outros artifícios adulatórios.

Há cerca de cinquenta anos, havia uma seção no Diário Oficial chamada “Ineditoriais”.

Espertalhões fundavam uma associação de “altos estudos” que conferia a emergentes endinheirados, títulos de nobreza e outras mercês.

Certa vez li uma carta de brazão passada a um simplório, mais ou menos nos seguintes termos: “Num campo de azure, um cerdo passante, de sua própria cor, sobre terreno gramado (verde, dito sinopla)”. Publicado no Diário Oficial, o recipiendário enchia-se de orgulho, ainda que “aliviado” de boa quantidade de moeda, por ter recebido tal docunento.

Proponho a abertura de concurso público para cargos de cirineus. Seu mister será lembrar aos urubus, nhônos e batorés sua frágil condição.

Lembrem-se do ditado: “Contra a força não há argumento”.

Depois não chorem as pitangas, sem cocares, só de tangas.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: