sexta-feira, 13 de março de 2020

Ser bonzinho ou responsável é uma escolha



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant’Ana

A maioria dos brasileiros tem boa inclinação moral. Será suficiente? Não! É preciso ser mais do que "bonzinho", sob pena de virar só um facilitador da maldade articulada. Querem ver?

Para alegria dos traficantes, a deputada socialista Luciana Genro está chamando para a "marcha da maconha", dizendo que a atual política antidrogas é "guerra aos pobres". É demagogia, claro! Mas muitos bonzinhos acreditam na falácia e vão marchar pela erva...


Essa esquerda coprofílica investe na pobreza, não nos pobres. Para quê? Para tocá-los como gado (marcha da maconha em favor da periferia...). E investe no sentimentalismo do bonzinho, que, quando tem cabeça oca, engole a retórica populista e vira massa de manobra.


Por muitos anos, isso colou. Só que, hoje, tem muito brasileiro abandonando o comodismo, pensando a política como adulto e deixando de "ser bonzinho" para "ser responsável": sim, o Brasil está mudando!


E os que não querem mudanças, apostando no desânimo dos bonzinhos, usam as redes sociais para difundir crenças como "oh, não adianta!", "que tolice, achar que os políticos ligam para a opinião pública!", etc.


Na real, tudo que a coalizão do atraso não quer é o povo nas ruas e o patriotismo despertado em 2013!


Que cada brasileiro escolha entre ser um bonzinho amestrado ou alguém que abraça com responsabilidade  o Brasil!


Renato Sant'Ana é Advogado e Psicólogo. E-mail: sentinela.rs@uol.com.br

Nenhum comentário: