sexta-feira, 10 de abril de 2020

Reflexões sobre a “Via Sacra da Vida”


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Francisco Carlos Fighera

Que a Via Sacra de nossas vidas não seja um caminho doloroso, para que não façamos de cada dia um calvário, como o de Jesus na Sexta-Feira da Paixão.

“I ESTAÇÃO”
Que nessa Via Sacra não condenemos a nós e aos outros, nem nos deixemos condenar por críticas, injúrias, amarguras, mágoas, medos, solidões;

“II ESTAÇÃO”
Que possamos carregar nossas Cruzes, sem lamentações, aceitando as dificuldades; quando acharmos que nossas cruzes estão muito pesadas, olhemos para os lados e veremos que há outras mais pesadas do que as nossas;

“III, VII e IX ESTAÇÕES”
Quando cairmos, pela primeira vez, segunda, terceira, que nos encorajemos e levantemos mais decididos a enfrentar e superar os obstáculos, com perseverança, dedicação e fé, na direção de nossos propósitos
e objetivos;

“IV ESTAÇÃO”
Que nos encontremos mais no sentido de nos vermos, mas também de nos entendermos, sendo pacientes, resilientes;

“V e VI ESTAÇÕES”
Que nos ajudemos mais e ao próximo, com amor, ouvindo na essência, entendendo, enxugando as lágrimas, doando carinho, humanidade, compreensão;

“VIII ESTAÇÃO”
Que lutemos com dignidade para deixar um mundo melhor para nossos filhos, um legado de amor e paz, ao invés de lágrimas e desesperanças;

“X ESTAÇÃO”
Que nos despojemos das vaidades (que são como perfumes fortes, cujos cheiros só agradam a quem os usa), das maldades, dos apegos a coisas materiais, e pratiquemos mais a humildade e a bondade;

“XI ESTAÇÃO”
Que não julguemos e crucifiquemos os outros pelos seus erros, ou a nós mesmos pelos nossos erros, cobrando e cobrando-nos a perfeição;

“XII ESTAÇÃO”
Que possamos viver intensamente nossos sonhos, pois deixar de sonhar é como já ter morrido, a vida fica sem sentido, a passagem por esta vida é tão curta, sendo ela tão bela para não ser vivida;

“XIII ESTAÇÃO”
Que possamos fazer alguma coisa pelo próximo, para que não precisemos vê-lo descer de sua cruz, morto por suas más escolhas (drogas, bebidas, crimes...);

“XIV ESTAÇÃO”
Por fim, que não sepultemos em nós mesmos nossas emoções, sonhos, inspirações, amor, paixão, misericórdia, perdão;

Que seja a Páscoa a grande oportunidade de renovação de nossos propósitos, sem condenações, lamentações, com fé, perseverança, paciência, exemplo, resiliência, amor ao próximo, compreensão, humanidade, dignidade, humildade, bondade, sem cobranças por perfeição, com muitos sonhos para serem sonhados e realizados, acima de tudo, com muita gratidão pelo que somos e temos, com alma, coração e espírito vitorioso sobre nossas fraquezas.

Só assim a Via Sacra de nossas vidas valerá a pena!

Francisco Carlos Fighera é Administrador.

3 comentários:

Anônimo disse...

Quem disse que o Cristo não sai em procissão este ano de 2020? (Padre Rafael André) https://www.youtube.com/watch?v=qFuiBks8NbU

Loumari disse...

*11ª ESTAÇÃO: "JESUS É CRAVADO NA CRUZ"* ❤️ ❤️ ❤️ 🕊️

Nosso Senhor sobe ao púlpito por última vez. Desta vez não é a barca de Pedro, nem as colinas galileanas, mas o púlpito da Cruz que, como as palavras que Ele pronuncia, será eloquente mesmo quando passado o tempo.

O Pregador é a Palavra de Deus; a congregação é composta de soldados que sacodem dados por Seus vestidos, por não crentes, cujas bocas são crateras de ódio e vulcões de blasfémias; e dos fiéis, Maria, Madalena e João: a inocência, a penitência e o sacerdócio, os três tipos de almas que se encontrarão sempre sob o púlpito da Cruz. A homilia é composta de "Sete Últimas Palavras", palavra de Amor e de perdão, primeira aos inimigos: "Pai perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem", ao pecador: Hoje estarás comigo no Paraíso, depois a santos: "Mãe, eis aí o teu filho".

*ORAÇÃO:*

"Amado Jesus, ao escutar o Teu Sermão, que revela a Tua tremenda sede de Amor, começo a descobrir o que é realmente o Amor e quantas vezes com os meus pecados Te Crucifiquei: Tuas mãos, que tantas vezes levantaste-as para abençoar-me, e eu preguei de forma expeditiva; os Teus pés, que tantas vezes procuraram-me por caminhos de minha vida de pecados dissimulados, e que traspassei até com aço; os Teus lábios, que tantas vezes chamaram-me de volta das sendas do mal, e eu me cobri de pó.

E agora sinto a Tua palavra de Amor que perdoa e perdoa outra e outra vez, e começo a compreender que quando traspassei o Teu Coração foi o meu próprio coração que matei.

Para a Tua Cruz agora retorno como um vaso cheio de todas as misérias comuns e com a esperança de pecadores desamparados. Sempre debaixo desta, permite-me aprender a lição, que não me tome muito tempo para tornar-me santo, somente com muito amor; e que, se nunca houvesse pecado, ó Jesus, nunca ter-te-ia chamado "Salvador".

(Beato Fulton J. Sheen, da "La Via Crucis")


*XI STAZIONE: "GESÙ È INCHIODATO SULLA CROCE"*

Nostro Signore sale sul suo pulpito per l'ultima volta. Questa volta non è la barca di Pietro, né le colline galileiane, ma il pulpito della Croce che, come le parole che Egli pronuncerà, sarà eloquente anche quando il tempo sarà finito.

Il Predicatore è la Parola di Dio; la congregazione è composta da soldati che scuotono i dadi per le Sue vesti; da non credenti, le cui bocche sono crateri di odio e vulcani di bestemmia; e dai fedeli, Maria, Maddalena e Giovanni: l’innocenza, la penitenza e il sacerdozio, i tre tipi di anime che si troveranno sempre sotto il pulpito della Croce. L'omelia è composta dalle “Sette Ultime Parole”, parole d'amore e di perdono, prima ai nemici: "Padre perdonali, perché non sanno quello che fanno", ai peccatori: "Oggi sarai con me in Paradiso", poi ai santi: "Madre, ecco tuo figlio."

*Preghiera:*

"Caro Gesù, mentre ascolto il tuo sermone, che rivela la tua tremenda sete d'amore, comincio a scoprire che cos'è veramente l'Amore e quante volte l'ho Crocifisso: le tue mani, che così spesso si sono alzate per benedirmi, e io ho inchiodato così velocemente; i tuoi piedi, che tante volte mi hanno cercato nelle subdole vie dei miei peccati, e io ho trafitto con l'acciaio; le tue labbra, che tanto spesso mi hanno richiamato dai sentieri della malvagità, e io ho riempito di polvere.

E ora sento la Tua parola d'amore che perdona e perdona ancora, e comincio a capire che quando ho trafitto il Tuo Cuore, è stato il mio stesso cuore che ho ucciso.

Alla tua Croce ritorno ora come un calice pieno di tutte le miserie comuni e con la speranza dei peccatori abbandonati. Sempre sotto di essa, lasciami imparare la lezione che non ci vuole molto tempo per farmi santo, ma solo molto amore; e che, se non avessi mai peccato, o Gesù, non potrei mai chiamarti "Salvatore"."

(Beato Fulton J. Sheen, da "La Via Crucis")

Maria disse...

A pergunta para todos é: Quais dos meus pecados chagou N. Sr Jesus Cristo?, Quais dos meus pecados esbofeteou-O?, Quais dos meus pecados colocaram os pregos em suas divinas mãos que só fez o bem neste mundo?, Quais dos meus pecados colocaram os pregos em seus divinos pés que peregrinou neste mundo anunciando o Reino de Deus, Sua misericórdia e Justiça? Cada um faça sua reflexão, confesse com um padre na primeira oportunidade, curve os joelhos e chore suas culpas e reviva pela Pascoa da Ressurreição. Mas, infelizmente, tenho certeza que uma boa parte responderá a esta questão simplesmente dizendo que prefere a continuar a ser um Deicida.