domingo, 7 de junho de 2020

Direitos e garantias constitucionais


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli
Aproveitando-se do momento e logo em seguida o Ministro Paulo Guedes se referir à classe do funcionalismo como parasitas da Nação, e aboletados pelos recursos do Tesouro, governadores e prefeitos resolvem dar um passa moleque nos servidores de forma clamorosa. Tanto assim que a matéria já foi levada ao conhecimento do Supremo Tribunal Federal.
Explico mais e melhor: além do congelamento salarial vergonhoso, tudo sobe preços públicos e privados, além é claro do plano de saúde,temos agora que todos os benefícios a serem adquiridos ficarão congelado como se fosse uma espécie de pedágio a pagar, e pior de tudo quem tem direitos e garantias não os tem, de forma que o Estado desavergonhadamente paga como e quanto quer, sonegando a integralidade de férias, licença prêmio e compensações.
Seria o mesmo que se alterar a regra do jogo quando em pleno andamento,mais do que isso existe um discurso neoliberal frontal ao servidor público honesto, trabalhador e concursado, já que doravante ninguém mais terá o funcionalismo como pólo atrativo, é evidente que os
concursos não serão realizados frente à pandemia e quem pagará a conta a sociedade o próprio contribuinte.
Hoje o serviço ou desserviço público não existe notadamente em grandes cidades. Tente ligar e ver se o agente atende a ocorrência é tudo burocrático e sem noção, uma árvore cupinizada até a prefeitura constatar já caiu com provável vítima fatal, enfim somos escravos do establisment no qual o Estado somente tem direitos e o cidadão deveres.
Não é sem razão o grito de revolta calado da cidadania a começar dos Estados Unidos. Uma forma, talvez única, da população se expressar que o tipo de democracia não atende mais aos anseios da maioria da população que baliza interesse emprego,saúde e poder aquisitivo.
O salário do servidor a par de congelado sofre com o brutal aumento da alíquota da previdência social,ou seja,curto e grosso,metade do salário é drenado para imposto de renda e previdência social, cujo Governo não corrige a tabela e penaliza o cidadão honesto e de bem, infelizmente.
A continuar o caminho revolto e sem rumo do governo milhões de
brasileiros participarão saída do País e qualquer moradia no exterior com tranquilidade, sossego e sem violência. O Brasil,passo a passo,vai se tornando ingovernável,violando direitos e garantias,anárquico, demonizando servidor e tratando o como sub espécie já que o grosso seria comissionado que trabalha no legislativo e no executivo, e não concursado que presta serviço e presta diariamente contas aos superiores e à sociedade.
Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Um comentário:

aparecido disse...

Ora senhores desembargadores : a ninguém será obrigatório ser funcionario publico.. não tão contente?? .. peguem suas coisas e vazem ...vão procurar serviço em outra freguesia.. a nação agradece... O Brasil tem os piores servidores publicos do planeta..ganham 5 vezes o salario do trabalhador privado e tem superdireitos e choram o tempo todo...a nação não precisa de voces... para quem ir embora... temos muitos brasileiros decentes querendo ocupar o lugar...voces precisam conhecer como funcionam as coisas dentro de uma empresa privada.. onde se trabalha de verdade para garantir as coisas que se consome no pais...chega de mimimi estou de sa..co cheio de choradeiras de quem esta de barriga cheia...