quarta-feira, 22 de julho de 2020

BANCOS, TRANCOS e BARRANCOS


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Os grandes bancos estão se enforcando na próprias tripas.

Durante esta pandemia, tripudiam sobre seus clientes.

Há filas nas agências para quem precisa de atendimento presencial nos caixas. Nas calçadas, faça chuva ou faça sol. Todos em pé !

Os bancos digitais ainda não representam um real perigo para os “dinossauros” porque têm funcionários jovens, com péssima escolaridade e educação, incapazes de responder com objetividade a perguntas feitas por pessoas mais velhas.

O mal de origem do sistema bancário é o governo permitir que emprestem o dinheiro que NÃO é deles, e sim dos depositantes em contas-correntes à vista.

As cartas-patentes são verdadeiras cartas de corso !

Mas o golpe de misericórdia para a banca, foi a implantação do bloqueio de saldos pelo BacenJud.

Pessoas surpreendidas pela primeira vez ficam com ódio e passam a usar o banco tal qual um chuveiro frio; entram correndo e saem correndo.

Ditadorzinhos de plantão “podem” ordenar o fechamento das agência por qualquer pretexto.

Na crise de 2001/2002 a Argentina ficou vinte e três dias com os bancos fechados.

O dólar americano que era cotado até o início do “corralito” à taxa de 1 USD = 1 peso conversível, quando reabriram as agências , um USD era igual a QUATRO pesos. Para os depositantes houve uma perda de 75% de seus valores.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Anônimo disse...

Não demora e nos darão outro calote.