segunda-feira, 6 de julho de 2020

Como comer e beber usando máscara?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

Ainda não conseguiram explicar como alguém vai comer e beber usando máscara. Claro, não tem como acontecer. Por isso, torna-se uma demagogia que bares, restaurantes e pessoas sejam obrigadas a cumprir regras idiotas. O paradoxo é ululante: se é preciso tirar a máscara para comer, então, a pergunta fatal: para quê a máscara? Seu uso obrigatório fica desmoralizado pela realidade prática.

Enquanto alguém tenta comer e beber com a máscara (idiotas dirão que podem dar um jeitinho por baixo ou pelo lado do “Face Shield”), seguimos  correndo atrás de milagres para sobreviver. Certo é que a economia vai melhorar. Até porque não dá para piorar. Será? Tem certeza? No Brasil, sempre existe uma margem grande para a situação ficar mais péssima. O Estado-Ladrão e seus “jestores” (com Jota de Jegue) incompetentes e/ou corruptos têm um repertório de maldades contra cidadãos pagadores de impostos.

As “máscaras” começam a cair. Os exageros estatais de governadores e prefeitos durante a pandemia começam a custar muito caro para a maioria da população. Sorte de quem não faliu, perdeu o emprego ou os clientes. Sortudos mesmo só os servidores públicos – que receberam e continuarão recebendo seus salários absolutamente em dia. Situação melhor ainda para aqueles que não precisaram comparecer fisicamente às “repartições”. Tem gente rezando para o “Home Office” durar para sempre. A tendência é que se torne majoritário. É o desejo de muito parasita – que finge que trabalha para o povo, o suposto “patrão” pagador de tributos.

A Velhinha de Taubaté teve vários orgasmos ontem com a entrevista de Paulo Guedes à CNN. O ministro da Economia avisou que neste momento, uma das preocupações do governo é “organizar a saída” do período de quarentena e isolamento social. “Hoje, os principais fatores são saúde, emprego e renda. Nosso desafio é fazer uma rampa de ascensão social”. O Posto Ipiranga de Bolsonaro ressalvou: “No ano passado, nossa preocupação era fiscal. Hoje, não é isso que me tira o sono”.

Guedes avisou que o governo federal deverá anunciar planos para quatro grandes privatizações em período de “30, 60 a 90 dias”. Na semana passada, o secretário de desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, anunciou que o desejo é privatizar pelo menos 12 estatais, mas ano que vem. Entre as empresas previstas para 2021, estão os Correios, Eletrobras, CBTU, Serpro, Dataprev e Telebrás.

A pedrinha no meio do caminho: Tudo precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional. Outra dificuldade: Nada está sendo debatido abertamente com a sociedade e com os empregados destas “estatais”. Portanto, haverá reação, gritaria e sabotagem. Assim, as promessas e sonhos de Guedes ou Mattar podem não se tornar realidade, tão facilmente, ou no tempo desejável.

Bolsonaro não pode se calar (sobretudo sobre as privatizações). Não pode seguir conselho de FHC – craque nas privatarias, trocando monopólios estatais lucrativos pelos monopólios privados. A desestatização precisa acontecer segundo um modelo que ofereça concorrência de verdade. Do contrário, será o consumidor e o contribuinte quem pagarão a fatura, com tarifas altas e serviços de qualidade questionável.

Bolsonaro deveria tomar cuidado para não entrar para a História como mais um “Presidente entreguista”. Enquanto FHC mandar Bolsonaro calar a boca ou falar menos, a situação dará para aturar. Quando FHC elogiar as medidas econômicas, aí a vaca já terá ido para o brejo.

Aguardemos... Pois é muito fácil e perigoso que o Brasil Acima de Tudo acabe corrompido pelo Dinheiro Acima de Todos! 

Releia o artigo: Doideiras em tempos de Kung Flu





Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 6 de Julho de 2020.

3 comentários:

Anônimo disse...

O Governo quer privatizar Serpro e Dataprev, de verdade? Sério? Vai entregar de mão beijada, para a iniciativa privada, a folha de pagamento de MILHÕES de aposentados e pensionistas, e o cadastro completo de MILHÕES de cidadãos e de empresas. DUVIDE-O-DÓ! Seria insensatez e loucura total.

Anônimo disse...



Privatizar com o dinheiro do BNDES como fez o FHC com a Vale do Rio Doce e a turma do PSDB é revoltante. A Eletropaulo também foi privatizada com dinheiro do BNDES.

Vanderlei Lux disse...

"Guedes avisou que o governo federal deverá anunciar planos para quatro grandes privatizações em período de 30, 60 a 90 dias".

Guedes vai privatizar com recursos do BNDES? Rsrsrsrs... Eu empresto seu dinheiro para comprar sua própria empresa, e com o lucro que seria seu eu te pago... Negócio da CHINA!

Minha singela opinião? D-U-V-I-D-O!

Guedes não quer privatizar nada! Só quer uma desculpa para poder negociar com o "centrão" a "ressurreição" da CPMF, aumentar algum outro imposto ou ambos, ao mesmo tempo que joga na opinião pública (principalmente funcionários públicos) uma escolha de sofia: "ou privatizamos ou aumentamos impostos".

Privatização, ainda mais de grandes estatais, vai levar tempo, e é bem possível que tais processos não cheguem a serem concluídos até o final de 2022, turbinando uma possível volta das esquerdas no pleito de outubro nas eleições.

Já um novo imposto basta um acordinho com o "centrão" e tchan! Volta da CPMF! E isso vai agradar em muito tanto as "direitas", quanto as esquerdas!