terça-feira, 15 de setembro de 2020

O risco de Bolsonaro vencer perdendo

 


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

É um indício de fragilidade e inconsistência da articulação política o fato de Jair Bolsonaro não indicar, pessoalmente, aqueles seriam seus candidatos a Prefeito, principalmente nas maiores cidades. O problema é um paradoxo diante da boa popularidade do Presidente. Enquetes indicam que Bolsonaro tem grandes chances de se reeleger. Só que o triunfo dele pode não representar uma vitória real para seu eleitorado.

Bolsonaro conta com uma governabilidade de dar inveja a seus antecessores no regime de Presidencialismo de coalizão. No primeiro ano de mandato, Bolsonaro ficou travado porque jogou duro e negociou mal com o Congresso Nacional. No segundo ano, o pandemônico 2020, o Presidente constatou que nada aprovaria na Câmara ou no Senado, se não cedesse alguns cargos relevantes aos parlamentares do Centrão.

Nas atuais condições de pressão e temperatura política, o Presidente não corre risco de ser derrubado. No entanto, o Presidente não tem tranqüilidade para aprovar matérias de seu interesse. Antes de toda votação, muita tensão, mesmo quando o jogo parece combinado. As principais reformas motivaram a eleição de Bolsonaro (Tributária e Administrativa) tendem a acontecer no estilo “meia-boca”. Assim, as vitórias inseguras de Bolsonaro não representam, na prática, conquistas para a maior parte de seu eleitorado.

O governo Bolsonaro ainda deixa a desejar no timming político. Curioso que isto ocorre diante do desastre de uma oposição débil, burra, mentirosa e sem propostas sérias para nada. Bolsonaro só apanha ostensivamente da mídia. Os políticos adversários ou inimigos não conseguem atingi-lo porque continuam desgastados pela pecha de envolvimento com a corrupção dos governos anteriores. Até agora, o carimbo de corrupto não cola em Bolsonaro.

Assim segue o governo, em meio ao patrimonialismo que afeta a atuação política e o padrão de comportamento do estamento burocrático. Os clãs oligárquicos seguem mandando. O Presidente fica no meio. E os filhos dele (Carlos, Flávio e Eduardo) agem para se firmar como mais uma família poderosa. Segue o jogo... O papel de Bolsonaro está claro desde o começo: um governante de transição (mesmo que conquiste um segundo mandato).

A oligarquia só precisa ficar mais esperta. Seu modus operandi está manjado. A praia bacana, com linda maré baixa, é prenúncio de tsunami.

Já Bolsonaro precisa ficar atento para o risco concreto de vencer perdendo. “Ao vencedor, os pepinos” não é lema ideal de governo.     






Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 15 de Setembro de 2020.

9 comentários:

Loumari disse...

15 DE SETEMBRO: REZAMOS A BEATA VIRGEM MARIA DOLORIDA!

ORAÇÃO A BEATA VIRGEM DOLORIDA (Texto do Servo de Deus Don Dolindo Ruotolo)

Vem, ó excelsa Senhora, ó Maria, vem visitar nossos corações e, com os exemplos de Tua Vida Santa, ilumine as mentes obscurecidas.

Vem Co-redentora do mundo, visita Teu povo e dissipa as dores que nos ameaçam.

Vem, ceptro real da potência Divina, vem guiar esta humanidade sem rumo e trazei-a a unidade da fé, onde só ali podemos achar a salvação.

Vem, Rainha, e intercede por nós ante o Espírito Santo para que recebamos abundantes dons e sejamos nesta vida guiados nas nossas acções com rectidão.

Vem, e fazes-nos que através de Ti recebamos a ajuda divina e Louvemos o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Ámen.


15 SETTEMBRE: BEATA VERGINE MARIA ADDOLORATA

ALLA BEATA VERGINE ADDOLORATA (Testo del Servo di Dio don Dolindo Ruotolo)

Vieni, o eccelsa Signora, o Maria, vieni, visita i nostri cuori, e con gli esempi della tua santa vita, illumina le menti ottenebrate!

Vieni, Corredentrice del mondo, visita il tuo popolo e dissipa le pene che ci minacciano!

Vieni, scettro regale della divina potenza, riconduci le masse degli erranti all’unità della fede, nella quale solo può trovarsi salvezza!

Vieni, Regina, e impetraci dallo Spirito Santo i doni più abbondanti, affinché siamo guidati rettamente nelle azioni di questa vita!

Vieni, e fa’ che per Te lodiamo il Padre, il Figlio e lo Spirito Santo, e riceviamo gli aiuti divini!
Amen.

Anônimo disse...

Poder360
Congelar aposentadoria por 2 anos pode ajudar economia pós-pandemia, diz Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defende que o congelamento de aposentadorias abriria espaço fiscal nos próximos 2 anos© Sérgio Lima/Poder 360 O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defende que o congelamento de aposentadorias abriria espaço fiscal nos próximos 2 anos

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é a favor do congelamento provisório de aposentadorias. No entanto, diz que a medida deve atingir quem ganha mais de 1 salário mínimo. As declarações foram feitas em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo publicada nesta 3ª feira (15.set.2020).

O secretário Especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse ao G1 que a área econômica do governo defende que aposentados e pensionistas fiquem sem aumento por até 2 anos. A economia gerada pelas novas regras seria destinada ao financiamento do Renda Brasil, programa de assistência social que o governo pretende implementar em 2021.

Com isso, os beneficiários receberiam em 2021 e 2022 os mesmo valores que ganham hoje. Como a correção anual do benefício está prevista na Constituição, o congelamento precisa ser aprovado no Congresso. O ajuste seria feito por meio da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) do Pacto Federativo, enviada ao Congresso em novembro de 2019.

Maia analisa que o congelamento abriria espaço fiscal nos próximos 2 anos. “Para que tenhamos condições de garantir o teto de gastos e resolver, no pós-pandemia, o problema dos informais e dos que ficaram fora do mercado de trabalho e que vão precisar de uma renda”, diz o deputado. Para ele, o congelamento teria que ser “acima do 1º salário mínimo” e “uma coisa provisória“. “Até porque uma coisa permanente teria muita dificuldade em passar [no Congresso].”

De acordo com Waldery Rodrigues, o congelamento teria impacto fiscal de R$ 17 bilhões em 2021 e de R$ 41,5 bilhões em 2022. No entanto, segundo o jornal O Globo, fontes que trabalham no projeto avaliam que os valores só seriam alcançados se o governo ampliasse as medidas, propondo, por exemplo, o congelamento do salário mínimo. Para conseguir que a medida seja aprovada, o governo deve dizer que, em momentos de crise, as empresas também não concedem reajuste. CONTINUA...

Anônimo disse...



PODER 360 – CONTINUA II....

Segundo O Globo, o governo está elaborando uma proposta com pelo menos 10 variáveis que poderiam ter recursos desviados para custear o Renda Brasil. Além da Previdência, as mudanças podem atingir o abono salarial e programas como o seguro-defeso (pago a pescadores nos períodos em que a pesca está proibida). Entretanto, as duas medidas já foram criticadas pelo presidente Jair Bolsonaro, que condenou a ideia de tirar de pobres para dar aos paupérrimos.

TETO DE GASTOS
Perguntado se o governo não teria como acionar medidas de ajuste antes de o teto de gastos estourar, Maia disse que é “praticamente impossível”. “Na verdade os gatilhos deveriam estar vinculados a um porcentual antes de chegar no estouro no teto. Não tem muito caminho a não ser tentar resolver antes que chegue no limite de estourar o teto de gastos”, disse o presidente da Câmara.

“Nenhuma saída, como está sendo colocada, vai resolver o problema. Apenas vai gerar uma insegurança jurídica, política e econômica”, completa. O deputado diz que, na sua visão, o melhor caminho é a aprovação das reformas tributária, administrativa e previdenciária.
O sombra diz.....
OS APOSENTADOS DO INSS JA TEM SIDO ESTORQUIDOS EM SUAS APOSENTADORIAS DESDE A ENTRADA DOS VAGABUNDOS DO PT NO PODER. SUAS APOSENTADORIAS SAO DE 5 POR CENTO AO ANO. HA MAIS DE QUINZE ANOS ESTE HISTORICO VEM SENDO REPETIDO VARIAS E VARIAS VEZES ANUALMENTE.
QUE TAL CONTAR AS MORDOMIAS DOS VAGABUNDOS DOS TRES PODERES DE MERDA. TAIS COMO VARIOS E VARIOS ASPONES, SEGURO SAUDE, SEGURO DENTARIO. QUANTO OS IMPOSTORES DO GOVERNO PAGAM AOS HOSPITAIS DE MEU GLORIOSO SUM PAULO PARA FAZER PLASTICAS EM SUAS EXCRESCENTIAS CONTINUA

Anônimo disse...



PODER 360 – CONTINUA III E O SOMBRA DIZ E TERMINA ....

QUANTO O GOVERNO PAGAS NESSAS CIRURGIAS. QUANTO E A DESPESA DO GOVERNO COM A SAUDE DA MARGINALIDADE DOS TRES PODERES DE BOSTA. QUANTOS ASPONES CADA GABINETE POSSUI, QUANTOS VAGABUNDOS ENFIADOS DENTRO DOS TRES PODERES PARA TRAFICAR DENTRO DESSES PODERES.
POR QUE NAO CORTAM TODOS OS PRIVILEGIOS. OS FUNCIONARIOS PUBLICOS DEVERIAM SE TRATAR NOS HOSPITAIS DO GOVERNO EM VEZ DE SE TRATEREM EM HOSPITAIS DE SAO PAULO.
O NEGOCIO EM QUE SE TRANSFORMOU A SEM VERGONHICE DAS APOSENTADORIAS ESTA TOTALMENTE FORA DOS PADROES E DOS SAPATOS DE TODO O POVO BRASILEIRO QUE PAGOU PARA SE APOSENTAR E AGORA SE VE MASSACRADO PELOS VIGARISTAS QUE SE ETERNIZARAM NO PODER.
ATE QUANDO VAMOS FICAR VENDO A GUERRA DAS GANGUES DOS QUARENTA PARTIDINHOS MULAMBENTOS LUTADO PARA CONTINUAR A MAMAR NAS TETAS DA VACA. A CRETINICE E AVACALHAÇAO DOS FICHAS SUJAS QUE HABITAM DENTRO DOS TRES PODERES JA SAIU DA ENCOLHA PARA SE ESCANCAR A CEU ABERTO. ESTA NA HORA DE TOMARMOS PROVIDENCIAS. A CRETINICE, PATIFARIAS E CARAS DE PAU SAO AS MESMAS. A ESBORNIA E A MESMA E A SEM VERGONHICE E A MESMA. NAO VEJO DIFERENCA EM NENHUM PARTIDO. ATE O BOLSO NABO JA ADERIU A PUTARIA PARA SE ENTRONIZAR NO PODER. ATE QUANDO. AS IGREJAS QUE SAO VERDADEIRAS MAQUINAS DE FAZER DINHEIRO VAO CONTINUAR A NAO PAGAR IMPOSTOS E ELES RETIRAREM DOS QUE JA TRABALHARAM PARA MANTER ESTA ESBORNIA ESCANCARADA A CEU ABERTO. O BOLSONABO E O PIOR INIMIGO DELE MESMO. DESDE QUE ASSUMIU SO FAZ BURRADA EM CIMA DE BURRADA E SE TRANSFORMOU NUM ENORME PAQUIDERME QUE ESTA BLOQUEANDO A LAVAJADO DE MANDAR EMBORA TODO OS MULAMBENTOS QUE INFESTAM A ILHA DA FANTASIA CHAMADA TRES PODERES DE MERDA. SEM VERGONHA CONTEM ATE O OSSO AS BENESSES DE TODOS, E AI TERAO DINHEIRO SUFICIENTE PARA ACABAR COM A PATAQUADA QUE ESTA INFESTANDO OS CEUS DE BRASILIA. PAREM DE FINGIR QUE TRABALHAM E VAO A LUTA PARA MERECER O DINHEIRO QUE RECEBEM. BULSONABO MOSTROU A QUE VEIO E O MESMO PRATO REQUENTADO DA POLITITICA VELHA. SAO TODOS FEITOS UNS PARA OS OUTROS. FALOU TANTO DELES E AGORA E AMIGUINHO DE TODOS ELE E SALVO CONDUTO DOS FICHAS SUJAS QUE AINDA ESTAO NO PODER. BOLSO NABO NAO ABRE MAO DE SEUS PRIVILEGIOS E NEM DOS PRIVILEGIOS DE SEUS FILHOTES E COM ELE PASSAN TODOS.

Anônimo disse...

https://welbi.blogspot.com/2020/09/o-evangelho-bolsonarista.html

O evangelho bolsonarista
15.9.20
A caridade com as igrejas só se presta a alimentar a base de apoio de Bolsonaro com vista à reeleição, seu único projeto claro

Bolsonaro e Edir Macedo

O Estado de S.Paulo

Em célebre passagem da Bíblia (Mateus 22:17-21), o próprio Cristo aconselha a pagar os impostos em dia: “Dai, pois, a César o que é de César, a Deus o que é de Deus”. Religioso como diz ser, o presidente Jair Bolsonaro deve conhecer essa prédica, mas aparentemente se esqueceu dela ao defender a criação de “instrumentos normativos” para permitir que entidades religiosas, já isentas do pagamento de impostos, deixem de pagar também contribuições, como a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e a previdenciária.

A defesa da isenção total para igrejas foi feita depois que Bolsonaro se viu na contingência de, muito a contragosto, vetar um “jabuti” incorporado ao Projeto de Lei 1.581/2020, que trata de acordos para pagamento de precatórios entre a União e seus credores. Se sancionado pelo presidente, o tal quelônio que a Câmara desavergonhadamente aprovou anistiaria R$ 1 bilhão em débitos tributários das igrejas, segundo cálculos da equipe econômica.

O Ministério da Economia, obviamente, recomendou a Bolsonaro que vetasse esse dispositivo, que já seria absurdo em condições normais, mas que se tornaria especialmente ofensivo diante do quadro de penúria fiscal e de despesas crescentes com a pandemia de covid-19. O presidente o fez, mas apenas parcialmente – manteve uma anistia a multas aplicadas pela Receita Federal pela não quitação de tributos sobre a chamada “prebenda”, nome que se dá ao pagamento que ministros de ordens religiosas recebem, entendido como remuneração direta ou indireta. Uma lei de junho de 2015 isentou os religiosos desse tributo, e o dispositivo sancionado por Bolsonaro perdoa todas as autuações feitas antes daquela data. Uma dádiva.

Não é preciso ler a Bíblia para saber que se trata de uma imoralidade – além de uma ilegalidade. Basta consultar o Código Tributário Nacional, cujo artigo 144 mantém multas e autuações mesmo que a lei que as determinou seja posteriormente alterada ou revogada. Foi essa singela constatação – a de que havia um “obstáculo jurídico incontornável”, segundo nota da Secretaria Geral da Presidência – que fez Bolsonaro acatar a necessidade de vetar parcialmente as manobras para privilegiar escandalosamente os donos de igrejas evangélicas que o apoiam. Só a igreja pertencente à família do deputado David Soares, autor do “jabuti”, deve algo em torno de R$ 38 milhões à União. CONTINUA....

Anônimo disse...



https://welbi.blogspot.com/2020/09/o-evangelho-bolsonarista.html CONTINUA II E TERMINA....

Mas a fé move montanhas. Enquanto se via obrigado a cumprir o que determina a lei – reconhecendo que, se não o fizesse, incorreria em crime de responsabilidade, com risco inclusive de impeachment –, o presidente Bolsonaro estimulava os deputados a ignorá-la, derrubando seu próprio veto. “Confesso. Caso fosse deputado ou senador, por ocasião da análise do veto que deve ocorrer até outubro, votaria pela derrubada do mesmo (sic)”, declarou o presidente nas redes sociais, desmoralizando de vez o instituto do veto presidencial – fundamental no processo legislativo. Bolsonaro prometeu ainda que apresentará “nesta semana” uma proposta de emenda constitucional para determinar “uma possível solução para estabelecer o alcance adequado para a imunidade das igrejas nas questões tributárias”.

Há tempos o presidente Bolsonaro vem pressionando a Receita Federal a, segundo suas palavras, “resolver o assunto” das dívidas tributárias das igrejas, tema de grande interesse da bancada evangélica. Diante da resistência dos técnicos do Fisco, que preferem a ortodoxia da lei à heterodoxia do evangelho bolsonarista, restou articular a aprovação legislativa de alguma manobra que facilitasse o drible nas obrigações fiscais das igrejas e de seus donos. O problema é que essa caridade com chapéu alheio, além de ser acintosa em tempos de pandemia, só se presta a alimentar a base de apoio de Bolsonaro com vista à sua reeleição, o único projeto claro de sua Presidência até o momento.

Já os brasileiros comuns – religiosos ou ateus – continuarão obrigados a pagar seus impostos em dia, sem a menor possibilidade de perdão – que, no Brasil de Bolsonaro, está reservado somente a uns poucos eleitos.

Anônimo disse...

Se o presidente apoiasse Russomano, mostraria que não conhece a realidade política e a imagem de Edir Macedo em São Paulo. O apoio do presidente só teria sentido se fosse para alguém desconhecido do eleitorado, semelhante ao apoio que Bolsonaro deu ao PSL quando ele havia elegido apenas um deputado. O candidato do PTC não se apresenta socialmente para que os eleitores saibam que ele existe? Vejo vários comentaristas em outros blogs mostrarem desânimo pela lista de candidatos a prefeito em São Paulo, mas nenhum cita o candidato do PTC. Como vão saber que ele poderia ser uma boa opção?

Loumari disse...

SEXTA DOR DE MARIA SANTÍSSIMA!

Quem está em contínua atitude de adoração, a beijar as Minhas Chagas, em acto de reparação, em acção de graças e mais, em nome de todo o género humano, é como se Me tivesse em seus braços, como Me teve Minha Mãe nos Seus braços quando fui deposto da Cruz e participa da sexta dor (de Maria Santíssima).

(Extracto do Livro do Céu, Setembro 17 de 1905 - Luisa Picarreta)


"Quien está en continua actitud de adorar, de besar mis llagas, de reparaciones, de agradecimientos y más, a nombre de todo el género humano, es como si me tuviera en sus brazos, como me tuvo mi Madre cuando fui depuesto de la cruz, y participa del sexto dolor (de María Santísima)."

+Libro de Cielo, Septiembre 17, 1905.

Anônimo disse...

Os desconhecidos candidatos a prefeito em São Paulo deveriam acreditar em sua possibilidade de vitória porque a situação política favorece a renovação. O presidente Bolsonaro estabeleceu uma prática de independência na candidatura que faz os candidatos que se encolhem diante dos golias perderem prestígio perante o eleitorado. Especialmente São Paulo que não tem estilo de subordinação. O PT sempre mostrou autonomia para crescer de eleição a eleição porque acredita em seu ideário. Quando um partido lança candidato e depois se alia a um inimigo de seu programa, faz o eleitor concluir que foi melhor ele trair o ideário conservador antes do que depois da eleição, como fizeram Major Olímpio e tantos outros.