terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Vacinas que precisamos...

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por André Luís Vieira

O ano de 2020 mostrou-se repleto de provações e de privações para a humanidade. Entre debates científicos, discussões ideológicas e devaneios eleitoreiros, a população, particularmente no Brasil, parece exausta de tanta desinformação e desmandos no trato da pandemia. E a ansiedade natural por uma vacina redentora cresce exponencialmente...

Questionar-se o estabelecimento de um planejamento capaz de coordenar os esforços logísticos que atendam a urgência da vacinação diante das dimensões continentais é aspecto oportuno e necessário. Porém, não parece fazer muito sentido exigir-se, via judicial, um plano de vacinação com data de início e de término, quando se sequer existem vacinas aprovadas.

Fato é que vivemos na sociedade do espetáculo, onde a população se torna refém do joguete político e assiste impotente aos devaneios de eleitos e não eleitos. Todos alegam agir sob suas consciências em defesa do bem comum e da moralidade pública.

Falsos profetas, sacerdotes hipócritas e tribunos inconsequente ajudam a construir a narrativa que substitui a vox populi pela vox mídia.

Trata-se da “ideologização de tudo” que ampliou a “politização de tudo” e acirrou a “judicialização de tudo”.

A teoria da complexidade demonstra que sistemas e instituições precisam entender e respeitar limites funcionais, sob pena de incremento de sobrecarrega de complexidade que tende ao colapso estrutural.

Decisões simbólicas e apartadas da realidade só se mostram cínicas na razão e inconfessáveis na intenção.

Precisamos urgentemente de dois tipos de vacinas. Uma viral, que nos retire do confinamento e nos devolva a sagrada liberdade cotidiana de ir e vir. Outra moral, que sirva tanto para coibir irresponsabilidades políticas, quanto para conter o simbolismo retórico.

Enquanto não houver uma vacina contra essa triste disfunção do nosso estado de coisas, nossa democracia continuará a ser hipócrita e incoerente. E permanecerá inalterado nosso compromisso histórico com o subdesenvolvimento e com a subcidadania.

André Luís Vieira é Advogado.

4 comentários:

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Esse artigo do Dr.André Luiz Vieira contém a melhor e mais ampla abordagem que já li sobre a praga chinesa,que fez emergir,,sem meis palavras,a total decadência política do Brasil.

aparecido disse...

Serrão.. me desculpe se fui direto demais quando voce sumiu do blog...um abração bem vivo !!! e eu também tomo os cinco comprimidos diarios que meu cardiologista receita.. alias meu ex ... porque ele um homem sadio de 62 anos, a mesma idade minha, fazia academia todos os dias, clinicava e dava aulas numa grande faculdade de medicina...pegou covid em agosto e morreu em setembro...deixando milhares de pacientes orfãos...agora terei que procurar outro no inicio do ano...Aqui no Brasil temos um caso unico no mundo em que bandidos fazem e modificam as leis criminais...é um circulo vicioso...temos que quebrar este circulo..pois um bandido jamais vai fazer leis criminais que sejam NEUTRAS em relação aos cidadãos... as leis favorecem os bandidos porque são feitas por bandidos.. e bandido não é TROUXA....TROUXAS são os cidadãos que pagam impostos extorsivos para eles... Uma das melhores leis sugeridas para diminuir a corrupção é aquela , sugerida pela LJ em que se poderia investigar a corrupção enquanto ela estava ainda sendo preparada, atraves de escutas e uso da inteligencia policial...Mas isso é sonho.. jamais um bandido deixaria aprovar uma lei assim.. pegar a ave ainda no ninho...MORO foi um ponto bem fora da curva e já foi devidamente neutralizado, em que pese sua inexperiencia e falta de jeito na politica, ele jamais deveria ter abandonado a magistratura... que lhe dava proteção pessoal e profissional...fora dela ficou sujeito a ataques e caiu facilmente.....Agora veja o caso mais novo.. o atentado ao Jornalista Osvaldo Eustaquio numa cela em Brasila....um preso politico sem processo legal e de responsabilidade direta do STF..qualquer juiz do Brasil não acataria uma prisão assim.... o caso Vlado Herzog acontecendo agora do lado contrário do espectro ideológico...o proximo ano promete...Bom ano novo 11

Anônimo disse...

Com as mutações, os vírus têm a tendência de diminuir a letalidade e atingir mais pessoas, como acontece com o vírus da Influenza. Uma vacina pouco testada pode ser mais prejudicial que o vírus que já mudou algumas vezes.

Anônimo disse...

Sobrecarga?