quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Motivos do mimimi contra Bolsonaro na Petrobras


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Deu nos jornais: “Os conselheiros decidiram por unanimidade interpelar o presidente da República a respeito das declarações que deu nos últimos dias sobre a gestão da empresa. Até mesmo os mais fiéis a Bolsonaro, como o presidente do colegiado, o almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, chancelaram a iniciativa. A decisão constará em ata e será comunicada ao jurídico da companhia (...) Como a interpelação não tem caráter de ordem judicial, Bolsonaro pode não respondê-la. Isso porém, não impede que ele venha a ser processado pelo que disse. Na prática, a interpelação representa uma chance de ele se retratar, evitando maiores complicações. No fundo, nenhum conselheiro acredita que ele o faça”.

A bronca do politburo da Petrobras com o Presidente da República é porque Bolsonaro reclamou que “coisas erradas estão acontecendo”. Bolsonaro disse que o salário de Roberto Castello Branco é alto demais, que ele está há 11 meses em casa sem trabalhar e que a política de combustíveis da companhia é uma caixa preta. O posicionamento duro de Bolsonaro provocou reações iradas. Um juiz federal de Minas Gerais deu 72 horas a Bolsonaro para explicar as mudanças na estatal. A Comissão de Valores Mobiliários abriu duas investigações para apurar a suposta interferência do acionista controlador da empresa. O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União pediu que a corte de contas (órgão auxiliar do Legislativo, e não um tribunal do judiciário) avalie e julgue a troca de comando na empresa.

Tem mais: Investidores estrangeiros, em ejaculação precoce, ameaçam ações coletivas contra a Petrobras nos Estados Unidos. Só que isso não deve prosperar, porque o item 4.1 - Fatores de Risco, na letra “f”, do Formulário de Referência de 2020 da Petrobrás está claramente explicitado e avisado aos investidores da empresa que: “A União Federal, como acionista controlador da Companhia, pode buscar  objetivos distintos dos acionistas minoritários da Companhia, o que pode impactar negativamente os objetivos  econômicos e empresariais da Companhia”. Ou seja, qualquer juiz minimamente sensato vai perguntar aos advogados acusadores se eles leram a advertência no documento oficial da empresa.

As narrativas contra Bolsonaro não resistem aos fatos históricos da relação entre Presidentes da República e da Petrobras, na chamada Nova República de 1985. Fernando Henrique Cardoso trocou três vezes o presidente da petrolífera: José Coutinho Barbosa, Henri Philippe Reichstul e Francisco Gross. Lula duas vezes: José Eduardo Dutra e José Sérgio Gabrielli. Dilma Rousseff outras duas vezes: Maria das Graças Foster e Aldemir Bendine. Michel Temer, duas vezes: Pedro Parente e Ivan Monteiro. Bolsonaro só nomeou Roberto Castello Branco e agora indicou Joaquim Silva e Luna. Por isso, não tem o menor cabimento a gritaria da esquerdalha, do sindicalismo de resultados e do corporativismo da estatal contra Bolsonaro. A acusação de “interferência política” é leviana.

Outra “acusação” improcedente é refutada, com fatos objetivos, pelo ex-conselheiro da empresa, Mauro Rodrigues da Cunha: “Sim. Bolsonaro pode intervir na política de preços da Petrobras. Quem disse isso foi a CVM, nas decisões que absolveram diretores, conselheiros e controlador (a União Federal e seus Presidentes da República) naquele que foi o maior escândalo corporativo da História mundial”.

O mimimi contra Bolsonaro é uma reação natural daqueles que correm risco de perder privilégios na “estatal” (de economia mista). O mercado sabe que o nome do  futuro presidente da empresa deve ser aprovado (mesmo a contragosto) pelo Conselho de Administração, em Assembleia de acionistas. O maior cagaço é que Bolsonaro solicite ao General Joaquim Silva e Luna providências que não foram tomadas, até hoje, pelo Jurídico da Petrobras. A principal delas é que abra um processo para responsabilizar os dirigentes e conselheiros da petroleira pelos crimes do Petrolão. Bolsonaro também pode tomar a decisão de aconselhar Luna a mandar e empresa indenizar investidores brasileiros que tiveram prejuízos com a “roubalheira” exposta pela Lava Jato, sobretudo em função de fraudes demonstradas em balanços da empresa.

Bolsonaro demorou, mas constatou que a Petrobras precisa ser passada a limpo. A empresa, que posa de “vítima”, ainda tem contas a acertar com investidores lesados e, acima de tudo, com a sociedade brasileira, que segue pagando caro pelo preço dos combustíveis, em função da equivocada equiparação à variação dos preços internacionais do Petróleo. Adotada na gestão de Pedro Parente, a regra tem aplicação cínica. Cotação do óleo sobe, os combustíveis daqui acompanham. Mas quando a cotação desce, os preços internos não abaixam, pelo menos na mesma proporção? O lendário Negão da Chatuba pergunta: “Que porra é essa?”...

De que adianta a Petrobras tirar onda que dá lucro? Lucro favorecendo quem? A União Federal que a controla majoritariamente? Os seus investidores com ações nas bolsas daqui e de fora? Seus empregados (em sua maioria esmagadora) muito bem remunerados? Seus dirigentes e conselheiros, idem?

As respostas óbvias comprovam que o General Silva e Luna merece todo apoio para um trabalho de austeridade e transparência na próxima gestão de comando na Petrobras. É fundamental manter o foco na exploração e produção do pré-sal. É fundamental rever a política de preços dos combustíveis, para não penalizar a população brasileira, que paga absurdos valores pela gasolina, diesel, gás de cozinha e álcool (como ele é misturado à gasolina).

O Governo Federal não deve interferir na empresa, o que é quase impossível de se impedir, na prática, já que ela é “estatal” (ops, de “economia mista”, quando convém à demagogia liberalóide e “estatal” sempre que interessa à demagogia governamental ou corporativista de seus empregados).

A Petrobras tem de acertar as contas com a sociedade brasileira. O Governo Federal tem de fazer a parte dele, doa a quem doer. O Presidente Bolsonaro terá de mexer no vespeiro e abrir a caixa preta do esquema em que fundos de pensão dos empregados de estatais torram (ops, investem) bilhões em empresas, sociedades de propósito específico e fundos de investimentos em participações. Ali permanece a fonte de financiamento da mais descarada e refinada corrupção do Capimunismo Tupiniquim.

Quer uma verdade que dói? A Lava Jato & afins apenas mostraram o rabo do monstro, até agora… O bicho é muito maior, muito mais perigoso e danoso ao Brasil… Bolsonaro sequer fez cócegas no Mecanismo do Crime Institucionalizado - que conspira e sabota, sem parar, para derrubar o Presidente que desagrada ao Establishment e seus rentistas… Eles são os patrocinadores de todo mimimi contra Bolsonaro...  






 

Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://loja.umlivro.com.br/a-ultima-marcha-da-maconaria/p

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. Secretário-Geral do Ibrasg - Instituto Brasileiro de Ativismo Societário e Governança.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 25 de Fevereiro de 2021.

10 comentários:

Anônimo disse...



Uma empresa que beneficia uma parte da elite, inclusive financiando certas midias, blogs sem trazer nenhum benefício para o Brasil. Espera-se que o lucro seja investido na Educação agora.


Vejam a live do Kim Paim que está ótima como sempre. Ele fala do governo de São que parece querer quebrar o Estado forçando com lockdwns, toque de recolher e os prejuízos que causam tudo isso com perdas de emprego.


https://www.youtube.com/watch?v=oPf1IcLVodY

Anônimo disse...

O PREÇO NÃO APENAS DOS COMBUSTIVEIS DISPARARAM PORQUE BOLSONARO É O MAIÓR LADRÃO DA HISTÓRIA E SÓ FAZ CAGADAS... IMPUNIDADE É A MARCA REGISTRDA DA MAÇONARIA... VIVA A APOSENTADORIA COMPULSÓRIA...

Rodrigo Almeida disse...

No BNDES foi só gritaria, não deu em nada.
Vamos ver na petro.
Como mexer em um monte de concursado???

Anônimo disse...

Prove que é ladrão, seu safado!

Marcilio disse...

Existe grupo telegram de vcs

Unknown disse...

Valeu Lulista, um abraço.

Valter Pettenatti disse...

Amigo, me desculpe, não sou de extrema esquerda e muito menos de extrema direita. Sou um patriota que quer o melhor para nosso país. Mas seu presidente só tem feito e falado bobagens. Por ele a Lava Jato já teria acabado. Os filhos dele são um desastre! Com relação à Petrobrás ele não tem a mínima idéia do que está falando, aliás, este modelo de "economia mista" é uma excrecência; ou é estatal ou é privada, simples assim. O governo sempre vai meter o bedelho nas empresas onde mantém controle.

Valter Pettenatti disse...

Amigo, me desculpe, não sou de extrema esquerda e muito menos de extrema direita. Sou um patriota que quer o melhor para nosso país. Mas seu presidente só tem feito e falado bobagens. Por ele a Lava Jato já teria acabado. Os filhos dele são um desastre! Com relação à Petrobrás ele não tem a mínima idéia do que está falando, aliás, este modelo de "economia mista" é uma excrecência; ou é estatal ou é privada, simples assim. O governo sempre vai meter o bedelho nas empresas onde mantém controle.

ALMANAKUT BRASIL disse...

QUANDO CHEGAR A HORA, NÃO TERÁ VOLTA!

Aberração: Grupo teatral carioca estreia, em março, peça “Precisamos matar o presidente” - 26/01/2021

O “espetáculo” é de um tal grupo carioca chamado “Blabonga Cia Teatral” e disseram que vão explorar as “possibilidades” de encenação virtual para apresentar ao público, a partir do dia 06/03, pela plataforma Doity.

https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/27354/aberracao-grupo-teatral-carioca-estreia-em-marco-peca-precisamos-matar-o-presidente

Jornalista que pediu assassinato de Bolsonaro continua solto. E aí STF? Permanece ou não o “flagrante”? - 25/02/2021

https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/27348/jornalista-que-pediu-assassinato-de-bolsonaro-continua-solto-e-ai-stf-permanece-ou-nao-o-flagrante

Militantes de esquerda ameaçam nova facada em Bolsonaro - 15/02/2021

https://tercalivre.com.br/militantes-de-esquerda-ameacam-nova-facada-em-bolsonaro

Jornalista brasileiro pede a morte de Bolsonaro, é demitido de TV alemã e dá chiliques na web - 20/06/2020

https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/21277/jornalista-brasileiro-pede-a-morte-de-bolsonaro-e-demitido-de-tv-alema-e-da-chiliques-na-web


Anônimo disse...

A retirada do apoio do presidente à Lava Jato não seria pela constatação de que a interpretação da legislação foi centrada no juiz (como nos países anglo-saxões) e o regime jurídico do Brasil é baseado na interpretação formal do Direito? Quanto poderia ser exigido de indenização por esse desvio? A esquerda globalista não deixou brecha na blindagem de seus corruptos no modelo de interpretação formal.