sábado, 12 de junho de 2021

Lula e FHC podem comemorar o Dia dos Namorados?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Facebook - @alertatotal

Neste sabadão 12 de junho, Dia dos Namorados, São Paulo deve sediar a maior “Motociata” da História. A manifestação em duas rodas será liderada pelo homenageado Jair Messias Bolsonaro. O evento, que já lotou de motociclistas as ruas de Brasília e do Rio de Janeiro, tende a registrar um número recorde de participantes na capital paulista. Será mais uma demonstração da popularidade e poder de mobilização do Presidente - candidatíssimo à reeleição (desgraça inventada por Fernando Henrique Cardoso).

 

A sucessão 2022 foi iniciada de maneira muito precoce. O desespero maior da oposição é que não consegue surgir um nome que represente uma alternativa competitiva a Jair Bolsonaro e Lula da Silva. Até agora, a tendência é que nem surja a tal “Terceira Via”. Mais provável é a polarização entre o “bolsonarismo” (um movimento natural, inorgânico) e o petismo (um esquema consolidado politicamente, com muita grana guardada, porém desmoralizado por dois fatores: incompetência de gestão e corrupção). O Establishment e a mídia gostariam de apoiar nenhum dos dois. Só que o nome novo não surge.

 

Claro que não se repetirá o fenômeno de 2018. Naquele ano, um veterano no parlamento, mas sem fama política consolidada, venceu a eleição sem dinheiro para campanha e sem tempo de rádio e televisão. A facada em Bolsonaro, que por pouco foi fatal para ele, feriu de morte a oposição perdida e desmoralizada. A vítima tirou proveito da grave situação. O candidato não participou de debates. Ganhou no segundo turno contra o poste petista Fernando Haddad. Condenado por corrupção, Lula foi impedido de concorrer.

 

Tudo indica que a rejeição à corrupção deve se repetir e até se intensificar na campanha de 2022. Neste caso, o maior prejudicado é Lula da Silva. O chefão petralha foi reabilitado politicamente pelo golpe que o Poder Supremo deu em três instâncias do Poder Judiciário que condenaram, confirmaram e ratificaram a punição criminal a Lula. Apesar do desgaste de imagem, Lula só não pode ser subestimado porque foi um Presidente com alta popularidade, sobretudo nas classes de condição econômica mais baixa, que beneficiou, diretamente, com políticas distributivas de renda - demagógicas ou não. A memória disso no imaginário popular é uma ressalva importante a favor de Lula.

 

A dificuldade maior do companheiro $talinácio, que escapou da prisão com ajuda da maioria que indicou ao STF, é fugir do rótulo consolidado de “corrupto” - no popular, “ladrão”. Outro óbice para Lula é tentar roubar a nada fiel base aliada de Bolsonaro. No passado, Lula comprou o Centrão - que hoje parece fechado com Bolsonaro, pelo menos para que ele não sofra qualquer ameaça de impeachment. Mas nada garante que a fidelidade se estenda à política. Bolsonaro depende da manutenção de acordos, formalização de novos e do desempenho concreto da economia. Se melhorar efetivamente, Bolsonaro ganha força e se recupera do desgaste de imagem gerado pelas polêmicas inúteis e inoportunas que gerou na pandemia.

 

Lula tenta reatar um antigo namoro, praticamente um casamento ideológico oculto, para ter força competitiva. Em articulação tocada pelo “banqueiro-novo” Nelson Jobim, o petista tenta uma aliança com o velho amigo FHC (com quem sempre fingiu estar brigado ou rompido, o que nunca foi verdade na prática). Azar de Lula é que o PSDB age como cego no meio do tiroteio. Os tucanos também estão desmoralizados por denúncias de corrupção de seus principais dirigentes. Não conseguem indicar um nome viável para a disputa do Palácio do Planalto. A cúpula tucana rejeita João Dória. E o governador paulista se queimou na briga com Bolsonaro (que traiu depois do “Bolsodória da eleição passada) e com o “exagero de mão” na imposição do questionável lockdown durante a pandemia.

 

O namoro entre Lula e FHC, mantendo um forçado casamento às escondidas, tem pouca chance de prosperar popularmente. As duas figuras são desgastadíssimas. Vão apanhar muito dos bolsonaristas. Não conseguem unir a mídia que sofre da doença da adicção por falta de verbas de publicidade estatal. A vanguarda midiática do atraso só conseguiu uma vitória recente, porque fez um lobby forte no Congresso e conseguiu derrubar os vetos presidenciais à obrigatoriedade de publicação de editais de empresas e de nomeações do serviço público em jornais de circulação diária. A máfia cartorial venceu e o Presidente foi obrigado a sancionar uma nova lei de licitações que já nasce velha.

 

A polarização Bolsonaro x Lula é previsível e a mais provável. O apoio de FHC a Lula faz pouca ou nenhuma diferença. O namoro forçado entre ambos é inútil. Nenhum deles merece ganhar presentinho ou saidinha para almoçar, jantar ou motel neste 12 de junho. Se a rejeição a corrupto persistir, Lula não conseguirá namorar a maioria honesta do povo brasileiro. Bolsonaro depende da maior rapidez e eficácia na vacinação, junto com a melhoria concreta e da percepção econômica, para se manter um candidato viável - embora algumas enquetes insistam em pregar o contrário, em clara contrapropaganda a Bolsonaro.

 

Foi-se - Aos 80 anos, morre em Brasília um dos maiores articuladores políticos desde o regime militar: Marco Maciel, que foi vice de FHC, conseguiu a façanha de nunca ser apontado por envolvimento em esquemas de corrupção. O foco de Maciel eram as articulações políticas de bastidores, evitando entrar em negociatas.    



#3em1 - Jorge Serrão aponta imposições legal, social e civilizatória por trás do uso da máscara, mas relembra que a eficácia científica não foi totalmente comprovada. Narrativa covidiana desvia o foco sobre saúde da população https://youtu.be/ocR7iYX3K0Q

 











  

 

Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://www.amazon.com.br/s?k=A+ULTIMA+MARCHA+DA+MA%C3%87ONARIA&__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&ref=nb_sb_noss_2

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Flamenguista. Editor-chefe do Alerta Total. Comentarista Político da Rede Jovem Pan.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 12 de Junho de 2021.

8 comentários:

ELTON PORTELA disse...

a unica coisa que mudaram com o passar dos anos, foi o lugar na foto

Paulo LIma disse...

parabéns serrão pelo teu trabalho...precisamos de mais gente igual a ti.

Rodrigo Almeida disse...

Vc esqueceu um fator que pode dar a vitoria a Lula: a urna eletrônica

Anônimo disse...

MAIS UMA VEZ O IMBECIL,LADRÃO,BURRO,DITADOR DE BÓSTA SÓ FEZ E FALOU MÉRDA,UM BANDIDO MAFIOSO NATU DEVE TER PAGO UNS 70 REAIS PARA CADA CAHORRO LOUCO A MAIORIA COM MOTOS ROUBADAS E SEM PLACAS,MENTIROSO IGUAL AO CAPETA TEVE A CARA DE PAU EM AFIRMAR QUE SE CUROU DA COOVID COM APENAS UMA CAPSULA DE CLOROQUINA QUE ELE DEVE TER ENFIADO NO KU, BOZOLIXO POSSUIDO PELO ESPIRITO DE HITLER NO LUGAR DE IR EM UM TERREIRO PARA SE LIBERTAR PAGOU OS PASTORES CADEIEIROS PARA ORAREM PELA CLOROQUINA... UM MINUTO DE BOBEIRA E A MAÇONARIA O TRANSFORMA EM KENEED DA RIBEIRA... EU NÃO SOU BESTA PRA TIRAR ONDA DE HERÓI SOU VACINADO BLA,BLA,BLA... A MINHA VONDADE É DE ENCHER A BOCA DESSE FDP DE PORRADA...

Anônimo disse...

Faça isso com a chocadeira vagabunda e arrombada que te cuspiu ! Você sabe por onde ela ela está rodando hoje em dia ? Duvido ! Você não a vê desde que ela era aproveitável em cima de uma cama.....

Anônimo disse...

A MINHA ERA UMA MAQUINA CHOCADEIRA E A SUA É A PUTA DE CINQUENTÃO QUE FICA ATÉ HOJE NOS CANTOS DA ESQUINA, AH, VÁ LÁ E DE O CÚ PRA ELE, FAÇA MENAGE E LEVE A SUA MÃE JUNTO, SEU PAU NO CÚ DO CARALHO...

Anônimo disse...

Sortudo ! Mostra teu focinho de filho de outa vagabu da e arr mbada ! A chocadeira arr8mbada e filha da puta gerencia hoje quantos puteiros ? Tua mulher está ajudando ? E tua filha putinha rampeira ?

Anônimo disse...

Pela natureza do próprio signo (Gêmeos), FHC só desenvolve alguma coisa junto com outro.