segunda-feira, 7 de junho de 2021

Perguntas sobre a Crise do Oxigênio em Manaus


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Facebook - @alertatotal

Coisas da Comissão Picareta de Inquisição do Covidão: o presidente Omar Aziz havia sido enfático sobre a necessidade de se apurar responsabilidades a respeito da crise de Oxigênio ocorrida em Manaus. Mesma atitude do senador Eduardo Braga. Também manifestaram grande indignação com a falta de Oxigênio o senador Renan Calheiros, o senador Randolfe Rodrigues, o senador Humberto Costa e diversos outros senadores. Todos massacraram a médica Mayra Pinheiro e o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuelo, com o evidente propósito de tornar o Governo Federal (leia-se, Jair Bolsonaro) o responsável pela tragédia.

 

Diante deste cenário, nada mais natural que convocar o representante da fornecedora de oxigênio White Martins para que responsabilidades fossem apuradas. E assim foi feito: no dia 26 de maio ficou definida a convocação do representante da fornecedora, Paulo Baraúna, para comparecer à CPI e esclarecer o acontecido. Tal convocação era indispensável, até mesmo porque, segundo a mídia: “Em depoimento ao colegiado, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello atribuiu à empresa e ao governo do Amazonas a responsabilidade pela crise de desabastecimento de oxigênio que atingiu Manaus no início do ano”.

 

Até aí, tudo republicano. Porém....Não mais se falou na convocação do representante da empresa transnacional. Acontece que surgiram rumores que o ex-ministro da saúde e integrante do chamado G-7 da CPI, Humberto Costa, poderia ser colocado numa saia justa, por já ter sido processado pelo Ministério Público, acusado de ter recebido da própria White Martins R$ 1 milhão “off label” – termo usado para caracterizar uma prática consagrada que ainda não tenha sido comprovada cientificamente, no caso, pela Polícia Federal.

 

Por razões didáticas, antes de passarmos às perguntas, tornam-se convenientes alguns esclarecimentos sobre o produto Oxigênio com o qual a White Martins tanto lucra. Resultante da separação dos diversos gases que compõem o Ar Atmosférico (Oxigênio, Nitrogênio, Argônio, etc.), o Oxigênio é um produto indispensável, tanto para o uso industrial como para o uso medicinal.

 

A separação é feita em plantas industriais, nas quais o Ar Atmosférico é coletado, filtrado, comprimido e resfriado a baixíssima temperatura, passando do estado gasoso para o estado líquido. Em prosseguimento ao processo de produção, o Ar Atmosférico no estado líquido vai sendo aquecido, permitindo, assim, que os diversos gases componentes do ar sejam separados.

 

Depois de produzido, parte do Oxigênio é submetida a um controle mais rigoroso, livrando o produto de impurezas, e distribuindo-o aos hospitais. É o chamado Oxigênio Medicinal. A outra parte do mesmo produto destina-se aos clientes industriais, e é chamada de Oxigênio Industrial. Assim, a diferença entre o Oxigênio Medicinal e o Oxigênio Industrial, que, ressalte-se, são produzidos em conjunto, é apenas a seguinte: a parte que será destinada aos hospitais é submetida a um controle mais rigoroso, filtrando-se as impurezas.

 

A propósito – considerando que a matéria-prima para a produção de Oxigênio, o Ar Atmosférico, se encontra disponível gratuitamente em qualquer lugar – o fator decisivo para a viabilidade econômica da instalação de uma planta industrial é o somatório da demanda dos dois tipos de clientes, o industrial e o medicinal. Isto explica o fato de não haver plantas para produzir gases do Ar em diversas capitais, inclusive Brasília, que, apesar de ter um consumo hospitalar significativo, apresenta uma demanda industrial irrisória. Por outro lado, é de se concluir que o fato de Manaus ter um grande distrito industrial pesou na decisão de, lá, ser instalada uma planta para produzir Oxigênio, apesar da demanda hospitalar não ser significativa.

 

No que se refere aos custos, além dos gastos na instalação da planta que produz o Oxigênio e dos gastos devido ao alto consumo de energia elétrica, outro item influi grandemente na economicidade do produto: a distribuição aos clientes, que é feita, normalmente, pelo transporte rodoviário. Importante: O Oxigênio permanece no estado líquido a baixíssima temperatura.

 

Tal fato possibilita o armazenamento e o transporte de grandes quantidades do produto em carretas com tanques criogênicos, que mantêm o produto no estado líquido a baixíssima temperatura. Esta modalidade é extremamente mais barata que o transporte do produto pela outra alternativa, que é o produto no estado gasoso, comprimido a alta pressão em cilindros de aço especial.

 

A seguir, as perguntas a serem feitas ao representante da White Martins, caso ele tenha condições (políticas) de comparecer à CPI:

 

1 – Em um momento de crise, é viável direcionar parte do Oxigênio que seria destinado ao setor industrial para o setor medicinal?

 

2 – A partir do ocorrido em Manaus, quais as providências tomadas para minorar possíveis crises em outras regiões remotas de difícil acesso, como Amapá, Acre, Rondônia, etc.?

 

3 – Na condição de maior fabricante de cilindros para acondicionamento de Oxigênio, como está sendo vista pela White Martins a possibilidade de falta de cilindros, principalmente nos estados citados?

 

Finalizando, é de se salientar que – mesmo se não for convocado o representante da White Martins para evitar possíveis constrangimentos de um de seus titulares mais ativos, o senador e ex-Ministro da Saúde Humberto Costa – as perguntas acima enumeradas terão que ser respondidas, sob pena de a CPI se distanciar cada vez mais do que deveria ser o seu principal objetivo: minimizar a perda de vidas. Ou, então, ficará provado que o objetivo-mor da CPI era apenas detonar Jair Bolsonaro...

 

Dinheiro Acima de Tudo? - Só na terça ou certamente na quarta-feira se saberá se a Copa América de futebol será disputada no Brasil. A Conmebol já garantiu que sim. O Presidente Jair Bolsonaro defende que sim. Mas a CBF só bate o martelo depois do jogo da Seleção brasileira contra o Paraguai, pelas eliminatórias da Copa do Catar (Katar ou Qatar). Por ser contra a competição, o técnico (P)Tite pode ser demitido ou pedir para sair. Jogadores que atuam fora do Brasil também não desejam jogar, porque se consideram “em férias”. No meio da indefinição, a máquina de assassinar reputações foi ativada contra Rogério Caboclo. O presidente da CBF foi afastado, por 30 dias, a partir de domingo, para que a Comissão de Ética da “empresa” apure a denúncia de assédio e importunação sexual contra ele feita por uma empregada do setor de cerimonial da CBF. O Grupo Globo, que denunciou publicamente o fato, é contra a realização da competição no Brasil, porque não tem os direitos de transmissão (perdidos para o SBT). Para todos os efeitos, a desculpa (ou fato) contra a Copa América é a pandemia. Mas como ficam os demais campeonatos em disputa? O lema “Dinheiro Acima de Tudo” coincide com outro lema “Hipocrisia acima de todos”, tendo, no meio a politicagem.   

 








 

Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://www.amazon.com.br/s?k=A+ULTIMA+MARCHA+DA+MA%C3%87ONARIA&__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&ref=nb_sb_noss_2

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Flamenguista. Editor-chefe do Alerta Total. Comentarista Político da Rede Jovem Pan.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 7 de Junho de 2021.

Um comentário:

Anônimo disse...

Tentaram passar a imagem de mentiroso no general Pazzuelo no caso do pedido de ajuda para Manaus, mas o Estadão publicou que o governador não quis aceitar a ajuda porque foi pedida pela oposição.